Montreal

12 dicas de Montreal para ler antes da viagem

Dicas essenciais para planejar sua viagem a Montreal, desde o visto até onde é melhor fazer o câmbio. Prepare-se para conhecer a cidade mais europeia do Canadá.

Montreal é a cidade mais europeia da América do Norte e a segunda maior de língua francesa do mundo. E aqui vão as dicas básicas para planejar sua viagem. Desde a escolha da melhor época, passando por idioma e dicas de transporte, até destinos próximos para ir de trem.

São dicas valiosas, que vão ajudar você a levar os itens certos na mala para fazer turismo sem erro em Montreal, cidade que ganha de lavada de Toronto e Vancouver nos quesitos charme e estilo. E se tiver qualquer dúvida, é só perguntar pelos comentários.

1. Evite viajar no inverno

O inverno é Montreal é rigoroso. Temperaturas mínimas abaixo de –10ºC com sensação térmica de –40ºC podem acontecer nos meses de dezembro, janeiro, fevereiro e março, os mais frios do ano. Com tanto frio, fica difícil sair de casa, imagine então percorrer pontos turísticos. Por mais que as atrações interligadas da cidade subterrânea ajudem, não é a mesma coisa que poder transitar pelas ruas. Já outubro, novembro e abril também podem ser de frio intenso, mas nem tanto e nem sempre.

Quando é melhor viajar para Montreal

Se não gosta de frio, vá no verão, nos meses de junho, julho, agosto e setembro. Nessa época a cidade fica mais animada, com festivais musicais em praças e esportes ao ar livre, como a tirolesa em Old Port. Agora, se quer ver a cidade multicolorida e o chão repleto de folhas de bordo (maple leafs), vá na primavera, de preferência nos meses de outubro e novembro. 

2. Lembre-se de tirar o visto canadense ou o ETA

Por apenas 7 Dólares Canadenses e tudo pela internet, é possível emitir o ETA,  um tipo de visto de turismo para o Canadá. Mas ele é permitido apenas para quem já teve algum visto para o Canadá ou tem visto para os Estados Unidos, além de ser válido somente por 6 meses e para chegada de avião. Já o “visto normal” custa 100 Dólares Canadenses para ser solicitiado pelo Site do Governo do Canadá (em inglês e francês). Vistos de estudo e trabalho são ainda mais caros.

Esse é o site oficial pra tirar o ETA. Cuidado com “agências” que cobram mais de 20 vezes que o preço oficial.

3. Leve adaptador de tomada para o padrão canadense

As tomadas em Montreal seguem o padrão canadense: duas entradas para pinos chatos paralelos e uma para pino redondo abaixo e no meio. O pino redondo não é obrigatório, então, se tiver aparelhos ou adaptadores só com os chatinhos, pode levar. É o padrão mesmo utilizado em países como Estados Unidos e Colômbia, por exemplo. Sai mais barato e é mais prático levar seu adaptador do Brasil, assim já pode chegar no aeroporto e no hotel carregando celulares e câmeras. A voltagem é 110V.

Assim é a entrada padrão de tomadas em Montreal e em todo o Canadá

4. A principal língua é o francês, mas é possível se virar com o inglês

Já li em blogs que “todo mundo em Montreal fala inglês”. Isso é uma grande mentira. Cerca de 70% da população é de nativos de língua francesa e os bairros mais turísticos estão em zona de predomínio francófono. A maioria dos profissionais de atendimento ao público, como em restaurantes e atrativos, se comunica bem em inglês, mas reparei em algumas excessões. Cardápios e placas quase sempre são bilíngues.

Jornal de Montreal, todo em francês

5. Compre Dólares Canadenses no Brasil mesmo

O Dólar do Canadá é difente do Dólar dos Estados Unidos. Suas notas são de plástico e a cotação é inferior ao do vizinho norte-americano. O melhor lugar para fazer o câmbio é no Brasil. Muitas casas de câmbio vendem Dólar Canadense sem necessidade de reserva. Comprando aqui, a cotação é melhor é paga-se “apenas” 1,1% de IOF. Não vale a pena levar Dólar Estadunidense, pois há muita perda no câmbio duplo.Também não compensa sacar em caixas eletrônicos de Montreal, pois nesse caso o IOF é de 6,38% e muitos bancos cobram taxas por transação, geralmente acima de R$ 20. Não compensa. Para gastar menos, a melhor opção é realmente levar tudo em dinheiro já trocado.

Cotação do Dólar Canadense diante do Real em Janeiro de 2019
Cotação do Dólar Canadense diante do Dólar Estadunidense em janeiro de 2019

6. É fácil utilizar metô e ônibus

Hoje em dia, com o Google Maps e outros aplicativos indicando rotas, números dos ônibus, quantas paradas ele faz e até que hora ele chega no ponto, não tem segredo. Para um roteiro com menos de uma semana em Montreal, pode comprar as passagens únicas, dentro dos ônibus mesmo, por 3 dólares cada, com direito a se conectar a outros ônibus e ao metrô. O transporte subterrâneo é limpo, eficiente, custo o mesmo preço e tem várias estações, principalmente próximas a pontos turísticos.

Passagem de metrô, dentro de ônibus em Montreal

7. Vá com o preparo físico em dia

A melhor programação em Montreal é explorar seu bairros com lindas casas em estilo francês, parques, áreas comerciais estilosas e muros grafitados. Não vale a pena gastar dinheiro com Uber ou Metrô entre lugares menos distantes. E ainda tem as ladeiras, como para sair da Cidade Velha e chegar ao Mirante do Monte Royal. Esse último ainda exige esforço numa série de escadarias morro acima.

Escadaria para chegar ao mirante do Montrel Royal

8. Escolha bem onde se hospedar

Não se deixe enganar pelos mapas. A ilha de Montreal é imensa (um pouco maior do que a ilha de Santa Catarina, onde ficar Florianópolis) e você perderia muito tempo entre um hotel distante da área mais turística. É o barato que sai caro. Então, por mais que custem um pouco mais, os hotéis nessa região com mais atrações facilitam a locomoção, sendo uma escolha mais integeligente. Expliquei com muitas fotos e riqueza de detalhes no post Onde Ficar em Montreal: melhores bairros e dicas de hotéis. A imagem acima também ajuda a entender melhor.

Melhor região para se hospedar em Montreal

9. Visite o centro histórico de dia e de noite

A Cidade Antiga de Montreal (Vieux-Montreal/Old Montreal) é o trecho mais bem preservado da história da cidade. Entre ruas que parecem saídas da Europa Medieval, estão contruções grandiosas como a Basílica de Notre-Dame, a Câmara Municipal e a Praça Jacques-Cartier. Destaque para o antigo porto que foi revitalizado, e hoje tem cinema, lojas, lugares legais pra comer e atrações como a tirolesa (somente no verã) e a roda gigante. E tudo isso, que já é lindo durante o dia, fica ainda mais bonito iluminado à noite. Tem mais dicas de atividades no post O que fazer em Montreal.

The Montreal Observation Wheel, a roda gigante no Porto Velho de Montreal.
The Montreal Observation Wheel, a roda gigante no Porto Velho de Montreal, iluminada à noite

10. Combine sua viagem com Toronto e Nova Iorque, tudo de trem

Montrel fica relativamente próxima de outras importantes destinos no Canadá e nos Estados Unidos: Toronto (550 km), Ottawa (200 km), Quebec City (255 km) e Nova Iorque (596 km). Para todos esses destinos, é possiveis viajar de trem. Fiz a viagem de Toronto a Montreal pela RailCanada e depois de Montreal a Nova Iorque pela Amtrak, numa rota cênica considerada uma das mais bonitas do mundo.

Cabine panorâmica no trem de Montreal a Nova Iorque

11. Faça seguro viagem

Apesar de ser um dos países mais ricos do mundo, líder em rankings de segurança e qualidade de vida, o Canadá não oferece sua rede público médica e hospitalar para turistas. E os serviços custam caro. Por isso recomendo viajar com um bom plano de seguro viagem, assim você viajar tranquilo. Por um pequeno valor (seguro viagem não custa caro), você viajar com coberturas médicas para consultas, internações, dentistas, entre outras, e assistências com indenizações em casos de malas danificadas ou extraviadas, cancelmento de voos e outros imprevistos que acontem em qualquer lugar, até mesmo no Canadá. Aqui no blog tem muitas dicas sobre o assunto, como o post Onde comprar seguro viagem. E se tiver qualquer dúvida, é só perguntar.

Bicicletas para alugar em Montreal. E se você cair? Melhor ter seguro viagem.

12. Deixe o preconceito em casa, se por acaso tiver algum

A última dica de Montreal é uma das mais importantes. Enquanto o Brasil retrocede, o Canadá se torna um lugar cada vez mais livre de preconceitos. Milhões de imigrantes foram incoporados pela sociedade, o que levou grandes cidades a enriquecerem sua cultura e gastronomia. E Montreal tem um dos maiores bairros gays do mundo, Le Village. E se acha pouco, em 2018 foi liberado o uso recreativo de maconha. Uma medida para reduzir o tráfico e tornar as cidades ainda mais seguras.

Le Village, o bairro gay de Montreal. O aborto e a maconha são liberados no Canadá.
Viajar com tudo reservado é bem melhor
  • Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
  • Real Seguros: compare preços de seguro viagem
  • RentCars: aluguel de carro pelo menor preço nas principais locadoras do mundo

Descontos para economizar na viagem

Criador e principal editor do Buenas Dicas, o blog do viajante inteligente (que é você 😄). Siga nossas redes sociais e para dúvidas, propostas e parcerias, veja nosso contato.

Comentários