Na China é normal comer barata frita? E carne de cachorro? E os preços por lá? E o mandarim, dá pra aprender? Como é morar na China? Bom, pra tirar essas e outras dúvidas, entrevistei a Mayumi Tsuruyama, do blog Mundo de Viajante.

A Mayumi morou em duas diferentes cidades na China e tem as respostas na ponta da língua. Aliás, minhas dúvidas estão entre as 8 perguntas que mais fazem a ela sobre a China. Só mesmo um país tão grande, tão longe e tão fechado poderia gerar dúvidas assim na cabeça dos brasileiros.

Olha só o que ela tem a dizer

“Quando surgiu a ideia de ir para o outro lado do mundo, pareceu uma mera loucra. Imagina só… a China! Como eu iria me virar por lá? Comecei a refletir racionalmente sobre qual rumo minha vida tomaria caso eu fosse ou caso ficasse. Perguntei pra mim mesma “o que eu tenho a perder?” Nenhuma resposta que consegui pensar pareceu boa o suficiente para me fazer desistir da ideia. E no dia 16 de janeiro de 2013, lá estava eu no aeroporto, com o coração apertado por deixar as pessoas queridas no Brasil, sem previsão de retorno.

A aventura durou quase dois anos. Só quando voltei me dei conta do quanto estava mudada, enquanto tudo aqui estava praticamente igual. A grande China mudou a minha vida. Também percebi que vão sempre me apresentar aos outros como a filha, irmã ou amiga que morou na China. E, por mais que o tempo passe, acho que vou continuar ouvindo estas mesmas perguntas.”

Minhas 8 perguntas sobre a China – Que também são as dúvidas de muitos brasileiros

1. O que você foi fazer lá?

Estudar mandarim e trabalhar. Fui com uns negócios meio encaminhados do Brasil, mas nenhum deles deu certo lá. Acabei tendo que fazer freelances e trabalhar em várias empresas diferentes. Ainda bem, porque isso permitiu que eu me encontrasse profissionalmente. Mais um ponto pra China!

2. Comeu barata?

Barata, escorpião e similares não são pratos típicos, são atrações pra turista ver. É verdade que em algumas regiões ainda há chineses que comem insetos, mas é uma minoria. Normalmente eles comem muito arroz, macarrão (de manhã e bem apimentado! Haha), tofu, vegetais e carne. Claro que há pratos bem estranhos e eles variam bastante de uma região para outra… Ah, respondendo à pergunta: não comi. Só vi “baratas comestíveis” uma vez, em uma feira. Elas fediam e tinham um aspecto mais nojento do que você pode imaginar. Decidi que não era porque eu estava lá que deveria fazer algo que, com toda a certeza, não queria.

comidas-china

Insetos não, mas polvo, tofu, linguiça doce e pézinho de galinha… ah, isso é mega comum!

3. E carne de cachorro?

Se pulei a barata, o cachorro passou mais longe ainda. Infelizmente, nosso querido pet está muito mais propício a ir parar na mesa dos chineses do que a barata. Quando fiz uma viagem de ônibus ao interior do país, passou um caminhão cheio de cães engaiolados, provavelmente destinados ao abate. Nessa mesma viagem também encontrei “dog meat” no cardápio de um restaurante. Foi pesado. A naturalidade com que eles comem um animal que amamos e protegemos me fez parar para refletir pela primeira vez: se o que eles fazem nos parece tão horrível, por que mesmo é menos pior quando comemos boi, porco ou a galinha? Por essa e outras razões, a China me fez virar vegetariana. Foi talvez a decisão que mais me trouxe bem-estar e sensação de estar fazendo a coisa certa.

4. Como você fazia pra se comunicar?

Estudei mandarim por pouco mais de 4 meses. Apesar de estar longe da fluência, meu aprendizado quebrou belos galhos. Mas quando cheguei naquelas terras loucas, não sabia falar nem “oi”! Foi tudo na base da mímica, tradutor do Google (ou Baidu, já que o Google não funciona bem lá), mapas, endereços impressos e, claro, muita ajuda de quem falava inglês ou de brasileiros que já moravam lá há um tempo. Sim, na minha cidade tinham vários!

5. Mas como é lá na China?

Haha, não se faz essa pergunta, né? É tão abrangente que se torna quase impossível de responder. Vou tentar resumir alguns aspectos: em cidades grandes como Xangai, Pequim, Shenzhen e Guangzhou (morei nessas duas últimas), há muitos shoppings e prédios enormes, supermercados com produtos importados, várias linhas de metrô e restaurantes das mais diversas nacionalidades, tudo super moderno.

O legal é que ainda é possível encontrar prédios antigões e barraquinhas bem tradicionais em vários bairros. Pra completar, parques e ruas arborizadas se misturam à paisagem urbana. E mesmo não sendo o tipo de programa que chinês curte, também há uma grande quantidade de baladas, incomparavelmente melhor estruturadas do que as de Floripa, por exemplo. Esse tipo de entretenimento foi construído para os estrangeiros que moram na China e, aliás, são tantos que formam uma comunidade internacional que me dá muita saudade. E o lado ruim? Basta sair de uma avenida para encontrar pequenas ruas sujas, mal cheirosas e dezenas de motos elétricas buzinando. Ao mesmo tempo! Falo mais detalhes sobre como são as ruas da China.

Morar lá não é pra qualquer um, mas eu diria que quem encara colhe os melhores frutos.

ruas-da-china

6. Viu a famosa Grande Muralha da China?

Fui deixando para depois e o depois acabou não chegando. Parti da China sem conhecer a Grande Muralha, acredita? Agora o jeito vai ser voltar lá pra resolver essa pendência e matar as saudades!

7. Lá é tudo barato mesmo?

Bom, muita coisa. Aluguel é proporcionalmente mais barato; luz e água são irrisórios perto das faturas brasileiras. Comidas em geral são bem mais em conta, exceto algumas frutas e alimentos importados – incluindo queijos e leite. Nunca fui tanto a restaurantes como quando morava lá! Mas o que você quer saber, que são roupas, acessórios e eletrônicos, depende. Comprar produtos de marcas famosas em shoppings sai quase no mesmo preço do Brasil; já fora deles, muito provavelmente será falsificado, aí vai de você arriscar. Há roupas de marcas chinesas que são de qualidade e possuem ótimos preços, você só precisa saber escolher. Também se encontra opções absurdamente baratas, mas, de tão fuleiras, são descartáveis. Lá é o paraíso dos eletrodomésticos! Comprei altos processadores de alimentos pelo equivalente a uns R$30.

8. O que mais te impressionou na China?

Descobrir como é possível viver de uma forma tão diferente… Há muitas curiosidades impressionantes sobre os chineses e seria no mínimo injusto escolher apenas uma. Só para você ter uma ideia, chineses de diferentes regiões podem não conseguir se comunicar por causa dos diferentes dialetos ou sotaques carregadíssimos. Outra coisa que me chamou muita atenção foi a comovente receptividade deles com estrangeiros. Eles tentam ajudar, nos tratam de um jeito todo especial e fazem de tudo que podem para agradar. Nem sempre dá certo, porque o que eles consideram bom muitas vezes não nos agrada muito haha. Mas o que vale é a intenção, né?

É gostoso perceber como essas respostas impressionam quem pergunta. E cada vez que respondo, relembro o quanto é bom ter me permitido vivenciar todas essas experiências, podendo trazer um pouquinho da China para o Brasil.

caracteres-chineses

Sobre o Mundo de Viajante | Por Mayumi Tsuruyama

“Desde a minha primeira viagem, nunca mais quis ficar por muito tempo no mesmo lugar. Mas foi na China que aprendi a ver o mundo de uma forma completamente diferente… Buscando incentivar a maior quantidade possível de pessoas a se apaixonarem pelo mundo como eu, criei o MundoDeViajante.com. Vem viajar comigo!”

Viajar com tudo reservado é bem melhor
      • Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
      • Real Seguros: compare preços de seguro viagem
      • Touron: ingressos e tours em todo o Brasil.
      • Airbnb: reservas de quartos e apartamentos de temporada.

Descontos paraco economizar na viagem (e antes dela)

        • Utilize o cupom BUENASDICAS5 na Seguro Promo e tenha   5% de desconto  em seguro viagem
        • Acesse o Airbnb por esse link e ganhe mais de  R$ 150 em crédito  de hospedagem se ainda não for cadastrado.
Autor

Criador e editor do Buenas Dicas, o blog de viagem super sincero. Siga nossas redes sociais e para dúvidas, propostas e parcerias, veja nosso contato.

Comentários