Com a viagem definida na última hora, escolhi às pressas um hotel em BH. Li rapidamente as dicas na internet e vi que a Savassi era o bairro mais indicado para turistas. Então reservei as três diárias no Promenade Ianelli, sem pesquisar muito as ruas e facilidades de transporte e turismo que teria na região. Chegando lá, descobri que foi uma ótima escolha.

No meu roteiro em BH, a localização do hotel foi essencial. Ele fica a 400 metros do Pátio Savassi, um dos principais shoppings de Belo Horizonte. E a região tem muitas outras coisas úteis, como McDonald’s, bares, pastelaria e até uma lanchonete especializada em acarajé (vou tentar falar de outras coisas além de comidas).

Minha vista da janela do hotel em BH

Reparei também em agências do Banco do Brasil e do Bradesco pertinho do hotel. Do hotel fui andando para a Praça da Liberdade e para o Mercado Central de Belo Horizonte, como vou detalhar a seguir.

Segurança na Savassi e no Centro de BH

Antes da viagem, me alertaram muito sobre roubos em BH, principalmente sobre batedores de carteiro no centro e ladrões que pegam o passageiro na saída do táxi. Então já cheguei lá esperto, ligado principalmente nessas duas possibilidades, além da sagacidade básica que se deve ter em qualquer grande cidade da América do Sul.

Reparei num bom número do que chamo de nóias e dingões nas ruas de BH, principalmente quando fui andar no centro. Uma quantidade maior do que vejo em São Paulo e parecida ao que observei nas ruas da Cidade Baixa em Porto Alegre. Na Savassi, considerado o bairro nobre de BH, a sensação de segurança foi maior do que no Centro. Embora também não seja um lugar indicado para andar à noite. Resumindo, aproveite para andar durante o dia e pegue táxi ou Cabify à noite.

O que fazer perto do hotel

Como só tinha dois dias, preferi ir em locais próximos. Apenas 800 metros separam o hotel da Praça da Liberdade, que por si só é um ponto turístico interessante em BH. Em volta dela estão prédios que são símbolos da arquitetura da cidade, todo muito bonitos e que valem um registro pra garantir umas curtidas no Instagram. São eles:

• Prédio Amarelo: Memorial Minais Gerais Vale (1897)

• Prédio Rosa: Museu das Minas e do Metal (1897)

• Centro Cultural Banco do Brasil (1930)

• Prédio Verde: Casa do Patrimônio Cultural de Minas Gerais (1897)

• Edifício Niemeyer (1955)

Gostei da praticidade dos mineiros ao dar nomes ou apelidos para os edifícios. O Prédio Amarelo e o Prédio Verde realmente são nessas cores e são conhecidos assim na cidade. Já o Prédio Amarelo não tem referências a ele com esse nome na internet. Mas, pra honrar a cor e o padrão mineiro, resolvi chamá-lo assim. O que também faz sentido histórico, afinal os três prédios foram inaugurados em 1897.

A caminhada até o Mercado Central foi mais puxada, de cerca de 2 km. Mas como fui pensando nos queijos e temperos, passou rapidinho.

 

Por dentro do hotel Promenade Ianelli em BH

Acho que o hotel merece as 3 estrelas que tem e acho até que deveria ter 4. Além de localização no melhor bairro de BH, as instalações também merecem elogios. Quarto espaçoso, até grande demais para apenas uma ou duas pessoas. Ducha a gás com temperatura estável e boa pressão. Cama confortável e um bom silêncio para dormir.  Gostei da piscina. Se não estivesse tão frio em BH, eu teria arriscado nadar um pouco. Não entendo de sauna, mas me pareceu bem honesta para quem gosta de suar em público.

Café da manhã muito gostoso. Os mineiros realmente levam a sério o tema pão de queijo.

 

Como reservar o hotel Promenade Ianelli em BH

O hotel está cadastrado no sistema do Booking, onde você pode ver mais dezenas de fotos e fazer sua reserva. Foi por onde reservei. Também é possível ver outra galeria de fotos e reservas pelo site oficial do hotel. Os preços são similares.

Pelo Booking | Pelo site oficial

 Como economizar na viagem:  

  • Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
  • Seguros Promo: compare preços de seguro viagem (cupom de desconto: BUENASDICAS5)

Escreva seu comentário