Curitiba

O que vale a pena fazer em Curitiba: 11 melhores dicas

Finalmente gostei de Curitiba. A cidade é mais divertida do que dizem e tem inúmeras atrações fora da rota comum que merecem ser exploradas, sem deixar de lado os melhores pontos turísticos da capital.

Sempre que eu jogava no Google “o que fazer em Curitiba”, lia as mesmas dicas clichê sobre museus, igrejas e parques. Mas eu não gosto dessas coisas. Então, se você também é assim e busca atividades legais em Curitiba, esse pequeno artigo pode ajudar.

As 11 melhores coisas pra fazer em Curitiba

Fiz minha terceira viagem para Curitiba, sempre misturando turismo e trabalho, e finalmente selecionei os lugares mais interessantes da cidade, segundo meu ponto de vista, lógico. Tem um pouco de tudo: gastronomia, vida noturna, história e, pasmem, parques! Então vem comigo ver só o que vale a pena fazer em Curitiba.

Mapa de turismo em Curitiba: marquei no mapa as localizações de todos os locais indicados. Em azul os cafés, bares e restaurantes, em vermelho os pontos turísticos e outras atrações. Acesse aqui esse mapa interativo e veja como é melhor montar seu roteiro.

 

1. Caminhe no Centro Histórico

Só na última viagem a Curitiba eu tomei vergonha na cara e fui conhecer o Centro Histórico. Que lugar legal! Muito limpo, preservado e seguro durante o dia, vale gastar uma duas horas, no mínimo, explorando a região. Uma dica de roteiro é começar pelo Largo da Ordem, onde estão o Bar do Alemão e o Memorial Curitiba. Depois atravesse até a Praça Tiradentes, passe pela bonita Rua Monsenhor Célso e pegue a Rua XV de Novembro, que foi a primeira grande via pública exclusiva para pedestres no Brasil. Finalize da Praça Osório, que está ali desde 1878.

2. Coma (e beba) num bar histórico

Em frente à Praça Osório está um verdadeiro patrimônio histórico da boêmia curitibana, O Bar Stuart, fundado há mais de 110 anos e no mesmo endereço desde 1954. Estive lá no almoço e comi um excelente pão com ovo e bife e fui tão bem atendido que me senti no século passado, além de ter a companhia do Rei Roberto Carlos, cliente de casa, estampado no forro da mesa. Na mesma região estão outros bares e restaurantes tradicionais, como o Bar Mignon (1925), Lanches Itália (1969) e o Maneko’s (1988).

3. Visite o Jardim Botânico

Se tem um parque de Curitiba que vale a pena visitar, ele é o Jardim Botânico, onde fica a famosa estufa de metal e vidro (inspirada no antigo The Crystal Palace, em Londres). O parque é bonito, com extensos gramados que lembram o mundo dos Teletubbies, jardins floridos e um belo paisagismo. É interessante entrar na estufa para conhecer diferentes espécies da flora da Mata Atlântica. Mas sem dúvida o que faz valer a visita é todo o visual do parque, cartão-postal de Curitiba. (Fazendo o passeio da Linha Turismo de Curitiba, conheci outros parques como o Tanguá, o Tingui e o Bosque Alemão).

  • Funcionamento: todos os dias, das 6h às 19h30 e, no horário de verão, até 20h
  • Preço: entrada gratuita

4. Relaxe na Universidade Livre do Meio Ambiente

Não se assuste com o nome, você não precisa estudar aqui. Na verdade o local é uma espécie de parque (e sede de uma ONG que oferece cursos), numa área surpreendente que eu nunca imaginei encontrar no meio de uma grande capital. A parte interessante da atração se chama Bosque Zaninelli (site oficial), onde está um paredão de pedra e uma represa, cercados de mata nativa, onde funcionou uma pedreira até os anos 1940. Foi inaugurado com a presença do histórico inventor francês Jacques Cousteau. Na entrada do bosque tem um simpático café, bom para relaxar depois de subir até o topo do edifício de eucalipto.

  • Funcionamento: o bosque pode ser visitado todos os dias, das 8h às 18h
  • Preço: entrada gratuita

5. Dê um volta no elegante Pátio Batel

“Como assim o Buenas Dicas tá sugerindo conhecer um shopping?”, perguntaria o mais atento leitor. É verdade, não sou dado a esses tipos de dicas comerciais. Mas achei o Pátio Batel um shopping com elegância acima da média nacional. Ele dá um show de luxo em shoppings famosos como o JK Iguatemi, de São Paulo. E se fizer muito calor ou muito frio durante seu roteiro em Curitiba, ele é um bom lugar para se proteger, comer e passar o tempo, como na charmosa Livraria da Vila,

6. Vá para Morretes de trem

Morretes é uma cidade histórica, ocupada no ciclo do ouro, na década de 1640. Às margens do Rio Nhundiaquara, a cidade preserva casarões coloniais, fabrica cachaças tradicionais e é o berço do barreado, prato típico mais famoso e saboroso do Paraná. Se não bastasse o charme da cidade, o caminho até lá é ainda melhor: vá de trem, descendo entre cachoeiras e despenhadeiros no meio trecho de Mata Atlântica preservada no Brasil. Na volta, suba de van pela também histórica estrada da Graciosa. Aliás, se tiver mais tempo, em vez do bate e volta, saiba que vale a pena passar uma noite em Morretes.

7. Experimente os cafés e doces

Curitiba tem dezenas de boas cafeterias, entre clássicas e para hipsters. No Centro Histórico, o Café do Paço fica dentro do Paço da Liberdade, edifício com detalhes em art-noveau inaugurado em 1916. Sem sair do café, é possível acessar as mostras do espaço cultural SESC. Já no Batel, gostei do Supernova Coffee Roasters. No quesito doces, recomendo a Banoffi Bistrô e Confeitaria. E se você é daqueles que troca qualquer passeio por uma doce, tem que fazer o Tour Curitidoce, uma espécie de “pub crawl” para viciados em açúcar.

8. Se acabe em Santa Felicidade, o bairro gastronômico de Curitiba

Formado por imigrantes italiano, o bairro de Santa Felicidade se converteu, naturalmente, em um centro gastronômico curitibano. A 7 km do Centro, Santa Felicidade concentra alguns dos melhores restaurantes de Curitiba, como o Veneza, o Ristorante Siciliano, a Casa Dos Arcos, o Dom Antonio e o Madalosso, considerado pelo Guinness Book como o maior restaurante da América Latina. E todos eles estão localizados na mesma rua, a Av. Manoel Ribas. Então, se seu foco em Curitiba é se esbaldar na culinária italiana, pode se hospedar nessa região, onde está um hotel Ibis Styles, perto de tudo isso.

9. Não se esqueça da vida noturna

Nesse assunto confesso que não me aprofundei. Mas visitei alguns bares e bairros que são alguns dos melhores lugares da vida noturna de Curitiba. No estilo mais alternativo, tipo galera de humanas, o Largo da Ordem é a melhor pedida, onde estão bares despojados, com mesas na rua e cerveja gelada. Outra região de alta concentração de gente e baladas é no Bairro Batel, especialmente na esquina das ruas Comendador Araújo e Cel. Dulcídio. Pra turma das baladas chiques e camarotes, Curitiba tem o bar animado Hard Rock, a boate Shed Bar e a balada eletrônica Danghai Club, entre outras.

10. Se despeça no Mercado Municipal

Nessa última viagem a Curitiba, fui especialmente para o encontro de blogueiros de viagem de RBBV. E um dos locais de palestras do evento era justamente o Mercado Municipal (site oficial). Bom que não faltava o que comer. O local tem alguns restaurantes e lanchonetes simples e baratos. O que mais gostei foi a Pastelaria Curitiba, onde provei sabores como o Pastel de Linguiça Blumenau. Também é um bom local para comprar, com lojas de artigos regionais, bancas de frutas e chocolates, queijos e vinhos, mercados e cafeterias. Uma visita que vale a pena, principalmente para o estômago.

  • Funcionamento: terça a sábado das 9h às 18h, domingos das 7h às 13h e segundas das 7h às 14

11. E veja tudo do alto da Torre Panorâmica

Mesmo com certo “receio” de altura, sempre gosto de subir a mirantes. Em Curitiba, fui até a Torre Panorâmica (site oficial), uma antiga torre de telefonia que se converteu em um pequeno museu do telefone e em atração turística. Localizado no ponto mais alto da cidade e com 109 metros de altura, a vista lá do alto é uma das melhores da cidade. Eu cheguei lá sem pontos de referência e não aproveitei muito a visita. Por isso recomendo que seja uma das últimas coisas a fazer em Curitiba. Assim você pode ficar lá do alto reconhecendo os pontos que visitou, com auxílio dos mapa no local, que orientam os visitantes.

  • Funcionamento: terça a domingo, das 10h às 19h
  • Preços: R$ 6 para adultos e R$ 3 para idosos e crianças de 5 a 9 anos

Tem mais alguma coisa pra fazer em Curitiba?

Lógico que tem. Mas é impossível falar tudo sobre essa grande cidade num único artigo. Entre outras dicas que ficaram sem lugar nos tópicos acima, recomendo:

  • Maneki Lamen: o melhor ramen que já comi. Restaurante simples, a preços justo e com porção generosa.
  • Shopping Curitiba: tem boa praça de alimentação e lojas mais acessíveis, sem a ostentação do Pátio Batel
  • Museu “do olho” Oscar Niemeyer: fotogênico, essa obra do arquiteto mais famoso do Brasil recebe exposições significantes, tem boa acessibilidade e é uma das melhores atrações culturais de Curitiba. Mas passei pouco tempo lá, então não tenho propriedade para falar. Recomendo ver o site oficial e buscar mais dicas.
Salve no seu pinterest e acesse o blog quando estiver planejando sua viagem para Curitibia.

E se você tiver alguma dúvida ou dica extra sobre o que fazer em Curitiba e atividades que realmente valem a pena, não se intimide e mande um comentário pelo formulário abaixo. Em sempre vejo e respondo o mais rápido possível.

Viajar com tudo reservado é bem melhor
  • Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
  • Real Seguros: compare preços de seguro viagem
  • RentCars: aluguel de carro pelo menor preço nas principais locadoras do mundo

Descontos para economizar na viagem

Criador e principal editor do Buenas Dicas, o blog do viajante inteligente (que é você 😄). Siga nossas redes sociais e para dúvidas, propostas e parcerias, veja nosso contato.

Comentários