Portugal

Onde ficar em Lisboa: 10 melhores bairros e dicas de hotéis

Conheça os melhores bairros para se hospedar em Lisboa, com dicas de hotéis perto do metrô e de pontos turísticos, dos mais baratos aos mais luxuosos.

Capital de Portugal, Lisboa é um museu a céu aberto. Apesar de ser “pequena”, com cerca de 500 mil habitantes, Lisboa tem mais de 800 anos de história. Seus bairros históricos estão repletos de atrações turísticas, restaurantes tradicionais e excelentes hotéis. Mas onde ficar em Lisboa para aproveitar o melhor da cidade?

É isso que vou explicar agora. Fiz uma seleção com os melhores bairros de Lisboa para turistas de primeira viagem.

Indo direito ao ao ponto, o Centro é a melhor região para se hospedar em Lisboa. Mas ele é grande, com áreas bem diferentes entre si, como a movimentada Baixa de Lisboa. Dependendo do seu perfil, há lugares mais tranquilos para ficar.

Por isso detalhei as vantagens e desvantagens de cada bairro, analisando fatores como transporte, atrações próximas, segurança, gastronomia e vida noturna. E incluí dicas de hotéis nas melhores regiões, em diferentes faixas de preço.

Onde ficar em Lisboa – Detalhes dos 10 melhores bairros e dicas de hotéis

Melhores bairros de Lisboa no mapa:

  1. Baixa
  2. Chiado
  3. Rossio
  4. Bairro Alto
  5. Cais do Sodré
  6. Alfama
  7. Liberdade
  8. Príncipe real
  9. Marquês de Pombal
  10. Picoas e Bairro Rego

Além dos melhores bairros para ficar hospedado em Lisboa propriamente dita, também vale a pena considerar distritos e cidades no entorno da capital.

Por exemplo, se gosta de praia, fique em Cascais, a poucos minutos de trem do centro de Lisboa, pela mesma linha que passa pela histórica Belém. Na outro sentido, tem o moderno Parque das Nações. Se gosta de tranquilidade, fique em Trafaria, do outro lado do Rio Tejo, acessível de balsa.

Descubra agora quais são e como são os melhores bairros turísticos e outra regiões onde também compensa se hospedar na linda capital de Portugal.


Dicas importantes para facilitar sua escolha de acomodação em Lisboa

  • Segurança – Embora Lisboa seja uma cidade segura, as regiões turísticas são visadas por batedores de carteiras e vendedores de orégano (que dizem ser maconha) que importunam viajantes na região da Rua Augusta.
  • Transporte – Não recomendo alugar carro. Uber em Lisboa é mais caro do que no Brasil, devido ao trânsito ruim e falta de vagas para estacionar. Bondinho, só pra tirar foto. A melhor forma de circular é de metrô. Valor do bilhete: € 1,33 a viagem ou € 6,40 por dia.
  • Quer economizar muito? Em vez de procurar pelos melhores bairros, busque hotéis baratos perto das estações de metrô, transporte eficiente e com estações perto dos principais pontos turísticos.
  • Ladeiras – Na região central de Lisboa, alguns bairros turísticos ficam no alto de colinas, como o Bairro Alto e parte da Alfama. E no topo não tem metrô. Se não está com bom preparo físico ou tem mobilidade reduzida, melhor evitá-los.
  • Reservas com (muita) antecedência – Lisboa ganhou vários prêmio de turismo na Europa e é uma cidade quase sempre lotada. Se quer ficar num hotel bem avaliado, nos melhores bairros ou com o melhor custo-benefício, reserve com antecedência.

1. Baixa – Principal região turística de Lisboa

Quer ficar perto de tudo em Lisboa? Fique na Baixa! O bairro é o miolo do Centro Histórico de Lisboa. Tem mais turistas do que moradores. As calçadas são lotadas noite e dia.

Além de estar perto de muitos pontos turísticos e estações de metrô, o bairro é plano, o que é raro em Lisboa.

A espinha dorsal do bairro é a Rua Augusta, exclusiva para pedestres e com lojas e restaurantes de fora a fora. Na sua extremidade, junto ao Rio Tejo, está a Praça do Comércio, a mais bonita e turística de Lisboa.

  • Principais pontos turísticos da Baixa: Rua Augusta, Praça do Comércio, Arco da Rua Augusta, Elevador de Santa Justa.
  • Onde comer: a turística Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau é cara mas vale a pena. No botequim As Bifanas do Afonso, se come bem e barato.
Dica de hotel confortável na Baixa:

Confortável, perto de tudo e cheio de estilo num edifício histórico, o Hotel Lis tem ótimo custo-benefício.

E apesar da fachada antiga, o interior do hotel é moderno. Os quartos mais baratos são pequenos, mas bastante funcionais. Se puder pagar um pouco mais, prefira uma suíte com varanda, pra se sentir ainda mais na antiga Lisboa.

Dica de pousada/hostel barato na Baixa:

Não existe hotel bom e barato na região mais turística de Lisboa. Se quer gastar pouco, a dica é se hospedar num hostel. Mas não tô dizendo pra você abrir mão de sua privacidade num quarto coletivo.

Em albergues como o Draft Hostel, também tem quartos privativos, e eles custam bem menos do que quartos de pousadas. E com todas as vantagens de um hostel, com atividades, cozinha compartilhada e clima amigável.


2. Chiado – Bairro comercial turístico

Do ladinho da Baixa, o Chiado é uma continuação do centro turístico de Lisboa, com muitos pontos turísticos, restaurantes e estações de metrô. A diferença?

Ladeiras!

Pelas ruas do bairro, estão lugares como o lendário café A Brasileira, frequentado pelo poeta Fernando Pessoa. Na mesma Rua Garret, está a bonita Basílica de Nossa Senhora dos Mártires.

Ao se hospedar no Chiado, você também será vizinho do Convento do Carmo. Há ainda muitas lojas de grife, padarias e lugares pra comer pastel de nata. E a noite animada do Bairro Alto está ali pertinho.

Dica de hotel confortável no Chiado:

No bairro preferido de Fernando Pessoa, o hotel que leva o nome e o estilo dele é uma das melhores opções de hospedagem.

Fique no Lisboa Pessoa Hotel e esteja a poucos passos da Fonte do Carmo, do Elevador de Santa Justa e de cafés e restaurantes legitimamente lisboetas.

Dica de hotel com o melhor custo-benefício no Chiado:

Numa estreita rua de paralelepípedos, o Stay Hotel pelo bom custo-benefício. Não chega a ser um hotel barato, mas em sua faixa de preço (R$ 500 em média por dia) ele é um dos mais completos.

O visual moderno, como um Ibis melhorado, e os quartos são bem estruturados, alguns deles com vista para os casarios históricos da região.


3. Rossio – Região comercial e turística

Gosta de tradição e lugares monumentais? Seu lugar para se hospedar em Lisboa é perto da Praça do Rossio. Ela marca o fim do bairro da Baixa, mas tem vida e estilo próprios.

Pelas ruelas e escadarias de pedras, estão igrejas, botequins tradicionais e marcos culturais, como o Teatro Nacional D. Maria II.

Mas, se você gosta de bairros tranquilos, procure outro lugar. O Rossio é uma das regiões mais movimentadas de Lisboa.

  • Principais pontos turísticos do Rossio: Praça do Rossio, Teatro Nacional D. Maria II e o Monumento aos Restauradores.
  • Onde e beber: a tasca Zé dos Cornos é um legítimo boteco português. No histórico A Ginjinha, se vende a mais tradicional bebida alcoólica portuguesa.
O melhor hotel no Rossio

Bem em frente à Praça do Rossio, o My Story Hotel não tem concorrência à altura na região. Apesar de ter apenas 3 estrelas, ele tem dependências sofisticadas, e os quartos também têm design contemporâneo.

E costuma ter bom custo-benefício. Encontrei diárias para quarto de casal por menos de R$ 400, o que é uma pechincha nessa região de Lisboa.


4. Bairro Alto – Bairro histórico e boêmio

Fado, vida noturna animada e ladeiras intermináveis. Planejado e construído há mais de 500 anos numa das regiões mais altas de Lisboa, a fim de estar protegido de maremotos, o Bairro Alto é hoje um dos lugares mais turísticos de Lisboa.

Vale a pena se hospedar no Bairro Alto, mas é preciso estar com o preparo físico em dia. Não tem metrô, mas dá pra chegar lá de bondinho ou pelo turístico Elevador da Bica, funicular que liga o Bairro Alto aos Cais do Sodré.

Mesmo com muitos bares e shows de fado, ainda é possível encontrar ruas tranquilas no Bairro Alto.

  • Pontos turísticos no Bairro Alto:  Elevador da Bica, Tasca do Chico e as famosas escadarias e ladeiras.
  • Desvantagens: subidas intermináveis e barulho até altas horas.
Dica de pousada em rua tranquila do Bairro Alto:

Para ficar perto de tudo e não sofrer com barulho, há que se procurar bem. Uma boa dica é a Casa das Janelas com Vista, pousada elegante na Rua Nova do Loureiro, numa área residencial do Bairro Alto.

Além do silêncio, a vista dos quartos e o café da manhã são muito elogiados pelos hóspedes. Tudo isso perto das tascas mais famosas de Lisboa, como a turística (e gratuita) Tasca do Chico, onde cantores se apresentam entre as mesinhas.


5. Cais do Sodré – Bairro boêmio revitalizado

Às margens do Rio Tejo, era uma região feia e perigosa. Mas foi revitalizada e se tornou um dos lugares mais descolados e joviais de Lisboa.

A gastronomia do bairro se destaca por ter o Mercado da Ribeira, onde fica o Time Out Market Lisboa, um galpão com dezenas de restaurantes de comidas típicas. A vida noturna é animada, com muitos bares na Rua Cor-do-Rosa, entre eles o famoso Sol e Pesca, que serve enlatados e já foi visitado por Anthony Bourdain.

Suba as escadarias, com belos prédios de azulejos portugueses, e chegue ao Bairro Alto. Ou vá no Elevador da Bica. E em 10 minutos de caminhada se chega à Praça do Comércio.

  • Transporte fácil: a Estação Cais do Sodré possui metrô e trem. De lá se chega fácil ao aeroporto e também a Belém e Cascais.
  • Pontos turísticos: Mercado da Ribeira com Time Out, Rua Rosa e Elevador da Bica.
Dica de pousada estilosa no Cais do Sodré:

Perto do mercado da Time Out e do metrô, a Azulejos Cais Sodré é um bem avaliado B&B, de quartos espaçosos e ambientação retrô. Praticamente uma viagem no tempo.

Hostel DENTRO da estação de metrô:

É isso mesmo. O Sunset Destination Hostel fica no mesmo prédio da Estação Cais do Sodré. Basta sair do quarto, embarcar no trem e em 7 minutos você estará em Belém, de trem. De metrô, se chega ainda mais rápido a outros pontos turísticos.

Vale a pena também pelo terraço, com piscina e vista privilegiada para o Rio Tejo. Possui dormitórios mistos e femininos, com valores na faixa dos R$ 100 por pessoa.


6. Alfama – Bairro histórico e boêmio

Entre o Tejo e a Baixa, a Alfama é uma das regiões mais antigas e preservadas de Lisboa, por ter sobrevivido, intacta, ao terremoto de 1755.

Ainda guarda certa autenticidade, apesar do turismo estar expulsando os moradores antigos. Entre ruelas e escadarias ladeira acima, encontre mirantes com as melhores vistas de Lisboa, como o Portas do Sol e o próprio Castelo de São Jorge. Bairro com pequenos e simpáticos bares. E nenhuma estação de metrô.

Dica de hotel de luxo na Alfama:

Sabia que você pode se hospedar em um palácio? Na parte baixa da Alfama, perto do metrô, o Palacete Chafariz del Rei ocupa um edifício com mais de 100 anos. Reformado em 2007, se tornou um charmoso hotel boutique.

Ambiente requintado, quartos confortáveis e uma vista privilegiado para o Rio Tejo e o movimento dos navios que chegam ao Terminal de Cruzeiros de Lisboa.

Apartamento de temporada na Alfama:

Hoje em dia a forma mais comum de se hospedar na Alfama é nos apartamentos de temporada, disponíveis em plataformas como Airbnb, Vrbo e Booking.

Perto do Miradouro de Santa Luzia, que oferece uma das melhores vistas de Lisboa, o Alfama Loft Studio acomoda até 4 pessoas, com direito a uma pequena cozinha. Além de ser todo estiloso e com lindas vistas.

Encontrei diárias a partir de R$ 350, um valor abaixo do que se paga por hotéis em padrão similar na mesma região. É a melhor escolha para quem gosta de privacidade e quer se sentir um morador de Lisboa.


7. Liberdade – Avenida rodeada de hotéis de luxo

A larga Avenida da Liberdade, com seu canteiro central que é praticamente um parque, marca separação entre os bairros turísticos de Lisboa e a região mais residencial da cidade.

Nesse meio do caminho, a região da Liberdade oferece o melhor dos dois mundo: a proximidade com atrações e estações de metrô, e a tranquilidade de uma região mais moderna e menos turística.

Ao longo da avenida e ruas paralelas, estão alguns dos melhores hotéis de luxo de Lisboa, como o Sofitel Lisbon Liberdade, mas também há opções de hospedagem econômica, como hostels e apartamentos de temporada.

Dica de hotel com o melhor custo-benefício na Avenida da Liberdade:

Endereçado na própria avenida, o Bessa Liberdade é um hotel para quem faz questão de uma boa infraestrutura. Conta com sauna, piscina coberta e os quartos são modernos, alguns deles com vista para os prédios clássicos da avenida.


8. Príncipe Real – O bairro “cool” de Lisboa

Surgiu uma novidade em Lisboa? Provavelmente ela está no bairro Príncipe Real. Colado no Bairro Alto, ele ainda é menos explorado por turistas.

O que há de melhor no bairro são os restaurantes da moda e bares, como o Imprensa Cocktail and Oyster Bar, especialista em drinques.

No quesito hospedagem, o Príncipe Real também inova. Ao escolher seu hotel na região, você poderá ir a pé curtir a noite no Bairro Alto, e depois descansar na tranquilidade de um bairro menos visado.

Dica de hotel 5 estrelas no bairro Príncipe Real:

Luxuoso e de grife, o Memmo Príncipe Real é um dos melhores hotéis 5 estrelas de Lisboa, com localização privilegiada no bairro da moda.

Destaque para a piscina, com vista privilegiada.


9. Marquês do Pombal – Região moderna

O colossal parque Eduardo VII, um dos lugares mais bonitos de Lisboa, é o grande atrativo da região de Marquês do Pombal. Fora isso, não é uma área muito turística.

E como fica um tanto acima do eixo mais movimentado de Lisboa, os preços de hotéis são um pouco mais baixos.

Aqui estão hotéis mais modernos e muitos apartamentos de temporada. Não tem o charme da Baixa ou a vida noturna animada como a Alfama e os Cais do Sodré. Mas tem metrô e fácil acesso às atrações de Lisboa.

  • Pontos turísticos: Miradouro do Parque Eduardo VII, Palácio Sotto Mayor e Museu Calouste Gulbenkian.
  • Vantagens: hotéis com melhor custo-benefício e mais opções de hotéis com estacionamento. Bairro rico em serviços, como bancos e agências de aluguel de carro. Região mais silenciosa e estações de metrô menos lotadas.
Dica de hotel confortável em Marquês do Pombal:

Em frente à praça, e portante em frente também à Estação Marquês de Pombal do metrô, o HF Fenix Lisboa é um dos hotéis que mais valem a hospedagem na região.

Quartos espaçosos, SEM carpetes, o que é ótimo para alérgicos.

É pra quem gosta de hotel grande, com serviços 24 horas, atendimento de quarto e serviços úteis para quem viaja com crianças, com babás e lavanderia, a custos adicionais.


10. Picoas e Bairro do Rego – Bairros menos turísticos

Acima do Marquês de Pombal, numa região ainda menos turísticas, estão o entorno da estação de metrô Picoas e o Bairro do Rego.

Nessas áreas estão hotéis mais modernos e bem mais baratos do que nos bairros turísticos. Até que dá pra ir a pé ao Centro, principalmente porque é descida até a Baixa, mas nem precisa: basta pegar o metrô.

Dica de hotel bom e barato perto do metrô no Bairro do Rego:

No quesito “bom e barato” é raro achar onde ficar em Lisboa. E é preciso ficar em olho em promoções e buscar diárias em dias e meses menos concorridos.

Foi assim que encontrei diárias na faixa dos R$ 300 no Zenit Lisboa, um hotel confortável e bem avaliado, localizado a apenas 200 metros da Estação Saldanha do metrô.

Outras regiões em que vale a hospedagem em Lisboa

Não faz questão de ficar na região central? Então aqui tem ainda mais dicas de bairros em Lisboa e arredores para você, com as devidas distâncias e melhor forma de transporte até a região central.

Parque das Nações – 11 km do Centro de Lisboa

Bairro novo e moderno, aos pés da Ponte Vasco da Gama. Fica perto do Aeroporto, então é uma boa escolha para quem vai passar apenas uma noite. Tem hotéis novos, entre eles o futurista Myriad by Sana, que lembra os prédios de Dubai.

O bairro tem algumas atrações turísticas, como o Casino de Lisboa, o Teatro Camões, o Oceanário de Lisboa e o Teleférico Telecabine Lisboa.

Para ir até o centro, pode embarcar na Estação Oriente do metrô, que fica perto do Pavilhão de Portugal.

Belém – 10 km do Centro de Lisboa

Essa antiga cidade, que se tornou um bairro de Lisboa, foi berço das grandes navegações portugueses, de onde partiram caravelas para “descobrir” o novo mundo.

Dos tempos de glória, Belém guarda o monumental Mosteiro dos Jerónimos, considerado uma das maravilhas históricas de Portugal. Na região também estão marcos como a Torre de Belém, o Padrão dos Descobrimentos e o MAAT, um dos principais museus de Lisboa.

Mas, nas ruas além dos pontos turísticos, Belém é uma região residencial, que mais parece uma pequena cidade do interior. E tem bons hotéis, como o luxuoso Palácio do Governador, e lugares mais simples e baratos, como a Pousada Casa Amarela.

Tudo isso a apenas 7 minutos até o centro de Lisboa, se for de trem e desembarcar a na Estação Cais do Sodré.

Trafaria – Do outro lado do Rio Tejo

Essa dica é para quem gosta de experiências diferentes. Se não faz questão de pontos turísticos e quer distância das multidões, fique de lá do rio.

A pequena cidade de Trafaria fica a 25 minutos do centro de Lisboa, seja cruzando a ponte de carro, ou atravessando o Rio Tejo de Balsa.

Pouco visitada por turistas estrangeiros, Trafaria é autêntica e tem bons restaurantes de frente para o Rio. Clima bucólico, para viajantes sem pressa. E ali pertinho estão as praias da Costa Caparica, que lotam de lisboetas no verão.

Não tem hotéis de luxo, mas há simpáticas casas de temporada para alugar como a Beach Holiday Trafaria, e lugares que parecem saídos de catálogos do Airbnb, como a Fisherman’s House, uma casa de 3 quartos para até 6 hóspedes.

Cascais – Cidade com as melhores praias perto de Lisboa

Vale a pena? Apenas na baixa temporada (meses frios) quando tem promoções nos hotéis.

Com praias frequentadas desde os tempos do império e um simpático centro histórico, Cascais é um importante destino turístico em Portugal. E fica a menos de 30 km distância de Lisboa, o que pode ser feito em 40 minutos de trem (preço da passagem: € 2,25)  Os pontos turísticos são concentrados no centro e dá pra conhecer as principais praias num único dia.

Tem bons hotéis e pousadas em Cascais, principalmente no centro histórico perto da praia, como tradicional Hotel Baia, em frente ao mar.

No verão, a cidade fica lotada. Mas se for nos meses mais frios do ano, pode curtir a vida beira-mar e aproveitar as promoções nos hotéis, que ficam muito baratos. Não recomendo fazer de Cascais sua principal base, mas vale a pena se hospedar umas duas noites se for no inverno pra sair um pouco do caos turístico de Lisboa.


Dúvidas, críticas ou sugestões?

Se você tem alguma dica de hotel em Lisboa, que você se hospedou e recomenda, mande aqui pelos comentários, assim ajuda os próximos viajantes.

E se tem alguma dúvida sobre onde ficar, ou para escolher um hotel de acordo com seu perfil, envie sua pergunta. Eu mesmo respondo, sempre o mais rápido possível.

Se quiser ver dicas diferentes, sob outro ponto de vista, recomendo assistir a este vídeo do Pedro pelo Mundo e seu roteiro pela capital Portuguesa:

Boa viagem!

Viajar com tudo reservado é bem melhor
      • Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
      • Real Seguros: compare preços de seguro viagem
      • Passagens aéreas: melhores sites para pesquisar preços de passagens

Descontos para economizar na viagem (e antes dela)

        • Utilize o cupom BUENASDICAS5 na Seguros Promo e tenha   5% de desconto  em seguro viagem
        • Acesse o site O Meu Chip por esse link e tenha   15% de desconto  usando o cupom CHIPMAISBARATO

Criador e editor do Buenas Dicas, o blog de viagem super sincero. Siga nossas redes sociais e para dúvidas, propostas e parcerias, veja nosso contato.

Comentários