Fui pro Chile no início de 2015 e não encontrei informações satisfatórias comparando Pucón e Villarrica, as duas cidades que servem de base pra explorar a região do lagos chilena e sobretudo o vulcão Villarrica.

No fim das contas acabei escolhendo Pucón, onde fiquei na boa Pousada La Frontera. Mas como ainda não sabia se tinha sido a melhor escolha, fui um Villarrica só pra entender como é a cidade e fazer esse comparativo.

Por dentro de Pucón

pucon rua do centro

Veja todos os hotéis e hostels de Pucón

Se você já foi em Gramado ou nas vilas de montanha da Suíça, tem meio caminho andado para entender Pucón, que tem 20 mil habitantes, ruas tranquilas e uma sucessão de casinhas bonitas com jardim e belas pousadas por todos os lados.

A Av. Bernardo O’Higgins, a principal da cidade, é repleta de restaurantes, casas de chocolate e agência de turismo. Nas ruas que cruzam é a mesma coisa, principalmente se andar em direção à praia do Lago Villarrica. Quanto mais longe do lago, menos coisas turísticas e mais coisas “normais”, como casas, supermercados e os terminais de ônibus.

Circulando pelas ruas da Pucón no verão (que é alta temporada e a época em que eu fui pra lá), é clara a predominância de turistas, principalmente americanos em europeus. O clima de férias fica ainda maior nos restaurantes, que abrem as portas para cantores de rua, que tocam duas ou três músicas e depois passam o chapéu.

Pucón tem praia?

Sim, Pucón tem uma bela praia às margens do lago, onde está o Grand Hotel Enjoy, o mais conhecido da cidade. Na praia de Pucón é possível alugar caiaque e stand up paddle, ambos por um preço muito em conta. Como a cidade é pequena, dá pra ir andando a partir de boa parte dos hotéis.

Por dentro de Villarrica

restaurantes pucon

Veja todos os hotéis e pousadas de Villarrica

Com a desculpa de conhecer uma sorveteria que vi no Lonely Planet como imperdível, peguei a Ruta 199 que liga Pucón a Villarrica. No Uno Mille alugado, fiz os 25 km que separam as das cidades em exatamente 30 minutos.

Com 45 mil habitantes, Villarrica tem mais que o dobro da população de Pucón. E ao contrário da vizinha famosa, sua economia não gira em torno do turismo. Villarrica tem a cara e o movimento de uma típica cidade médio do interior, com um vaivém de gente entre os bancos, lojas e hospitais.

Na entrada principal de Villarrica tem um calçadão à beira do lago, também lembrando muito os parques de cidades do interior no Brasil, com muita gente fazendo caminhada. Não reparei se as pessoas nadavam no lago, mas ele me pareceu muito pouco turístico. Também andei bastante pelo centro da cidade, principalmente pela Av. Gerónimo de Alderete, que concentra boa parte do comércio.

E a sorveteria?

A dica do Lonely Planet era a Huerto Azul. Passei na porta, numa avenida movimentada, e estacionei o mais perto possível. Chegando na sorveteria, me senti numa loja de geleias e artesanato. O sorvete era até honesto, mas nada que justificasse estar na página de destaques do famoso guia.

Na volta pro carro, encontro uma multa do guarda de trânsito no parabrisa. Achei que ia pagar caro demais por aquele sorvete, mas um comerciante me avisou que era só comprar tipo um bilhete azul e levar até a guarda, que estava na região ainda.

Resultado | Pucón ou Villarrica?

Depende do seu tempo de estadia e do seu estilo de viagem.

• Villarrica – Se a ideia é alugar uma casa e passar um bom tempo, como mais de uma semana, por exemplo, Villarrica é a melhor escolha. Isso porque a tem mais serviços e utilidades. Não chega a ser mais barata, mas como não tem tantos bons restaurantes, logo se gasta menos. Se é a sua primeira vez no Chile e você quer entender o estilo de vida das pessoas e o ritmo da cidade, em Villarrica sua experiência vai ser mais real. Resumindo: mais utilidades do dia a dia, menos hotéis e menos agências de turismo. Reserve sua hospedagem.

• Pucón – Foi a minha escolha e não me arrependo nem um pouco. Isso porque minha viagem foi curta e eu precisava sentir aquele clima de férias, só com turistas na rua, sorveterias, churrascarias, botes do lado de fora das agências de turismo e gente com aquele bronzeado de óculos de escalada no rosto. Além de ter uma praia que dá pra ir a pé e ser um pouco mais próxima do vulcão Villarrica. Resumindo, melhor localização, mais turistas e mais hotéis. Reserve sua hospedagem.

• Mais dicas de Pucón:

O que fazer em Pucón

Os melhores hostels e pousadas de Pucón

Por dentro da estação de esqui de Pucón

Última dica: não recomendo ficar transitando entre as duas cidades na alta temporada. O tráfego é intenso. Na volta de Villarrica pra Pucón, um acidente interditou a pista por mais de uma hora e quase perdi meu ônibus pra Santiago.

 

Viajar com tudo reservado é bem melhor
  • Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
  • Real Seguros: compare preços de seguro viagem
  • RentCars: aluguel de carro pelo menor preço em dezenas de países
  • Chip Internacional: internet no celular em qualquer lugar do mundo

Descontos para economizar na viagem (e antes dela)

Autor

Criador e principal editor do Buenas Dicas, o blog do viajante inteligente (que é você 😄). Siga nossas redes sociais e para dúvidas, propostas e parcerias, veja nosso contato.

2 Comments

  1. Obrigado pelas dicas. Eu estava justamente pesquisando sobre esse tema. Irei ficar em Pucón, pois como você ficarei 4 dias. Uma coisa que vejo pelo seu comentário que fiz errado foi pegar vôo para temuco, já que você escreveu que pegou um ônibus até santiago. Poderia acrescentar no seu post se vale a pena ir a partir de Santiago ou a partir de Temuco.

    • Nivaldo responder

      Fala Mark. Essa questão de ir de ônibus ou carro não tem certo ou errado, depende do que cada um prefere ou pretende gastar. Eu fiz tudo de ônibus porque tava saindo bem mais barato e o ônibus é bom, falei sobre ele no post Ônibus no Chile. Tenho um amigo que também foi pra Temuco de avião e lá ele alugou um carro, o que é outra opção, que pode sair até mais barato se for um grupo de 4 pessoas e só 4 dias em Pucón, por exemplo. Boa viagem!

Comentários