Meu tempo foi curto em Nova Iorque. Apenas 6 dias. Por isso fui direto aos lugares mais importantes. Tudo muito planejado. E agora compartilho com vocês meu roteiro inteligente na Big Apple. (Se você tiver um tempo parecido por lá, tipo 5 dias ou uma semana, também pode se planejar com essas dicas).

Tem os pontos turísticos mais famosos, restaurantes tradicionais, lojas imperdíveis e lugares que foram cenários de filmes como Esqueceram de Mim. Aliás, é impossível andar em NY sem se lembrar de filmes e séries que fizeram parte da nossa vida. Então vem comigo nesse roteiro de 6 dias em Nova Iorque. Dicas NY pra todo mundo! Qualquer dúvida é só perguntar nos comentários.

Links úteis

Mapa do metrô de NY → site oficial

Transporte do aeroporto JFK para Manhattan → passo-a-passo

Solicitação de visto e formulário D-160 para os EUA  → site oficial US

Mais de mil hotéis em NYC, a partir do mais barato →  lista e reservas

 

Mapa de pontos turísticos em NYC

SALVE O MAPA! Pra facilitar a caminhada, salve esse mapa no seu Google Maps. Basta estar logado na sua conta e clicar na estrela, na barra cinza na parte superior do mapa. Aí você vai andar com desenvoltura entre as principais atrações e ótimos restaurantes em Nova Iorque.

 

1º dia do roteiro em NYC

Vamos começar a conhecer NY pelos locais mais característicos (logo os lugares mais cheios de turistas) na cidade, a região de Midtown.

Para começar o dia, desça na estação de metrô 5 Av/53 St. A 5th Avenue é conhecida como Fashion avenue e ela divide Manhattan em Leste e Oeste, além de ser um dos principais locais de compras dos americanos endinheirados.

Saindo da estação de metrô, vamos subir a 5th Avenue até a Trump Tower. Ela está toda protegida por ser uma das residências de Donald Trump.

Aproveitando que está aqui, aproveite para passar na Nike Town, a maior loja da Nike de NYC. A entrada da loja é pela 56th St. Dali, podemos seguir até a famosa Apple Store, a loja em formato de cubo da marca americana. (Se quer comprar um iPhone em Nova Iorque, eis aqui uma boa loja).

Entrada da loja da Apple na Quinta Avenida de NYC | Foto de md111 (CC)

 

Quando sair da loja, podemos seguir pela 59th St, tendo o Central Park à nossa direita, até o Columbus Circle. Esse é um dos lugares onde você se sentirá realmente em NYC, muitos carros, hotéis e turistas por toda a parte.

Essa pracinha, foi desenhada para homenagear Christopher Columbus (os americanos até possuem um feirado em homenagem ao explorador). Aqui, estamos no cruzamento da 8th Avenue, Broadway, Central Park South e Central Park West.

Após algumas fotos, seguimos pela Broadway. Descendo essa rua, passaremos em frente a vários teatros e também uma das poucas M&M’s Store do mundo, para comprarmos alguns chocolates.

Times Square e ingressos para espetáculos da Brodway

Aqui, com certeza, estará LOTADA de turistas, fotos, personagens da Disney, o Cowboy de Cueca e também algumas intervenções de artistas poderão ser vistas em algumas épocas do ano. Você verá a vitrine das principais lojas do mundo e propagandas das mais variadas feitas exatamente para estarem ali. Tire muitas fotos e, em algum dos dias do seu roteiro em NYC, volte à noite, que também valerá a foto.

Na Times Square está localizado o ponto de vendas de ingressos dos shows da Broadway, a Tickts. Ali você pode comprar ingressos a preços mais baratos para as peças que estão em cartaz nos teatros da cidade. Os ingressos são apenas para as sessões do mesmo dia e variam de acordo com a disponibilidade de cada uma delas. Se você não quer arriscar, vale a pena comprar o ingresso antecipadamente pela internet ou no próprio teatro, que foi o nosso caso quando fomos assistir à peça The Lion King.

Saindo da Times Square. desça pela 7th Avenue e vire à esquerda na 42nd St, para ir até o Bryant Park. Aqui, podemos dar uma descansada da agitação que tivemos antes e depois, podemos conhecer a New York Public Library, que fica em um dos lados do parque. Ali, vamos nos sentir no filme O dia depois de amanhã e você não deve deixar de visitar o salão principal de leitura, o Rose Main reading room.

Grand Central Station, a maior estação de trem do mundo

Ao sair da livraria, vamos seguir para a Grand Central Station, que é uma estação de trem ainda ativa, um dos ícones de NY e possui uma arquitetura muito clássica em estilo Art Déco.

Tire muitas fotos do relógio central da estação e com alguns outros ícones que estiverem por ali. Ao sair, veremos o imponente Chrysler Building, que já foi um dos prédios mais altos dos Estados Unidos.  Hoje ele ocupa apenas o sétimo lugar do ranking. Sim, ele é realmente bonito, apesar de sua altura diminuída perto dos outros arranhas-céus da cidade. Vale uma foto de vários ângulos quando estiver passeando por Manhattan.

Um dica valiosa nesse momento: ao lado da Central Station e ao lado do MetLife Building (na esquina da 45th St com a Vanderbilt Ave.), você encontrará o UrbanSpace. uma espécia de galeria somente com restaurantes e onde você encontrara a única filias da Roberta’s, uma das melhores e mais tradicionais pizzarias da cidade, que nasceu no Brooklin (calma! ainda chegaremos até lá).

Em seguida, vamos andando pela 5th Avenue, novamente, até a St. Patrick Cathedral, uma catedral imponente. Infelizmente ela está encondida entre muitas prédios que se ergueram à sua volta.

Top of the Rock, o melhor mirante de NY

Para finalizar o dia, vamos subir no Top of The Rock, que fica no Rockfeller Center, um complexo de 19 prédios, erguidos no coração de NY. Não é o mais alto, quase todo mundo concorda que esse é o mirante mais legal de Manhattan, por ter a vista mais bonita da cidade.

Se a visita for em dezembro, é possível ver a famosa árvore de natal e o rinque de patinação ali montados (e que farão você lembrar do primeiro filme Esqueceram de mim).

A entrada principal para o observatório fica na 50th Street, entre a 5th Avenue e a 6th Avenue. Em algumas épocas do ano, as filas para a compra de ingressos e para a subida são gigantescas. Então, pode-se adquirir o ingresso antecipadamente pela internet (aqui no site oficial). Mas, caso prefira esperar um dia com céu azul para a visitação, você conseguirá comprar os ingressos na hora.

Sem fila para as fotos

Visitamos o Top of the Rock em novembro, em um dia no meio da semana. Esperamos fazer um dia de sol bem bonito para poder fotografar toda a ilha de Manhattan e o Central Park lá de cima. Não pegamos fila para comprar os ingressos e para a subida. Acho que vale arriscar para tirar as melhores fotos.

Se ainda tiver um pouco de energia e for um admirador de arte moderna, nessa mesma região fica localizado o The Museum of Modern Art (MoMA) um dos fantásticos museus da cidade.

Mapa do dia aqui.

 

2º dia do roteiro em NYC

Nesse segundo dia em NY, vamos um pouco mais ao norte da ilha e vamos passear pelo Central Park e arredores. Fizemos tudo a pé, mas também é possível alugar uma bike nas entradas do parque, o que seria bem interessante.

Para começar, vamos até o prédio da Time Warner na Columbus Circle, que já visitamos ontem. Nesse prédio, temos um grande shopping com várias opções de loja e um grande supermercado, onde podemos comprar várias comidinhas para um picnic no parque, caso você goste.

Bethesda Terrace, uma fonte cinematográfica no Central Park

Dentro do parque, vamos até o Bethesda Terrace, que já foi cenário para muitos filmes. Você verá ali um mistura de vida nova-iorquina com muitas pessoas fazendo ginástica, artistas de rua cantando, bolhas de sabão, corredores e ciclistas por todos os lados.

Filmes com cenas no local: Os Vingadores, Stuart Little 2, Esqueceram de Mim 2 e A Herança de Mr. Deeds, entre outros.

Vamos tirar muitas fotos do terraço. E depois de descer as escadas, vamos caminhado pelo lado esquerdo da fonte, até encontrarmos a Bow Bridge, uma ponte de ferro fundido, que é a segunda mais antiga dos EUA, que tem vista para um dos lagos do parque (com vários barquinhos passeando e casais apaixonados) e para o The Loeb Boathouse. Não estranhe se encontrar vários casais fazendo ensaios de casamento por aqui, pois o lugar é bem bonito.

Saindo da ponte, vamos andar até a estátua da Alice in Wonderland.

The MET, o maior museu de NY

Nessa altura do passeio, estaremos estaremos próximo ao The Metropolitan Museum of Art, também conhecido como The MET. Esse que é o maior museu da cidade. Contém mais de 2 milhões de obras que contam mais de 5.000 anos de história. É considerado a atração número um de Nova York. Não deixe de visitá-lo.

Se você visitar NY durante as estações da primavera ou verão, poderá subir até o Roof Garden Bar, um dos roof tops da cidade, que tem uma vista linda para o Central Park.

Pertinho do The Met, também temos o Guggenheim Museum, que possui uma arquitetura bem diferenciada e merece algumas fotos.

Continuando o nosso passeio pelo parque, vamos um pouco mais ao norte, até o Jacqueline Kennedy Onassis Reservoir. É o antigo reservatório de água da cidade, onde várias atletas costumam correr em volta do lago. Ótimo para fotos. Esse é o ponto mais ao norte que iremos no parque.

American Museum of Natural History, do filme Uma Noite no Museu

Continuamos nossa caminhada visitando o Belvedere Castle, um castelo em miniatura que foi erguido em 1869, que pode ser vistado também, caso queiram. De lá, seguindo a oeste do parque vamos até o American Museum of Natural History: um dos maiores e mais consagrados museus do mundo!

Quando entrar no museu, verá dois grandes fósseis de dinossauros expostos e, com certeza, vai lembrar do filme Um noite no Museu e irá querer o Tiranossauro correndo ali pelos corredores. O Museu contém mais de 32 milhões de exemplares de vida animal e, somente uma pequena fração, pode ser exibido a qualquer momento. Não deixe de visitar a coleção de fósseis de dinossauros e todos os mamíferos empalhados. É muito legal!

Onde morava John Lennon

Ainda no lado oeste do parque passamos podemos observar o edifício Dakota (perto da 72nd Street), onde John Lennon morava com Yoko Ono. Bem ali, dentro do parque, tem um memorial em homenagem ao ex Beatle, o Strawberry Fields.

O melhor hambúrguer de NYC

Uma boa pedida para o jantar nesse dia, para ficar nessa região, é ir até o Joint Burguer. Considerado por muitos o melhor hambúrguer de NY. A hamburgueria fica dentro do hotel Le Park Meridien, escondido atrás das cortinas, à esquerda da recepção do hotel.

O local é conhecido pela decoração undergroud, muito estilosa. E pela fila até conseguir pedir o lanche. Mas não se preocupe, vai ser rápido, pois no cardápio só tem duas opções.

Mapa do dia aqui.

 

3º dia do roteiro em NYC

A programação para esse dia é visitar a região mais badalada da cidade atualmente, uma região jovem e totalmente revitalizada da ilha de Manhattan: Chelsea.

Hoje, o Chelsea é uma região vanguardista da cidade. Arquitetura arrojada, prédios comerciais, bons restaurantes e mercados. Além de uma vida artística interessante (muitas galerias de arte) e lojas de renome. Também é conhecida como uma região de público LGBT, onde todos são respeitados independente de sua religião, orientação sexual ou cultura.

High Line, o parque da moda em Manhattan

Vamos começar o nosso dia passeando pelo High Line Park. Para chegar lá, basta pegar o metrô direto até a estação 34 Street/Penn Station. Inaugurado em 2009, o Highline é uma antiga linha de metrô suspensa que se transformou em um parque urbano linear. Tem muitas árvores, esculturas e grafites, e é uma das sensações da cidades.

Para acessá-lo, vamos usar a escadaria da 28th Street. Ao entrar no parque, ande nele até o final e desfrute das belas visões que terá de Midtown. Rende boas e bonitas fotos por aqui.

Vá até o final do parque e você estará no Meatpacking District (foto acima). Uma região que também está sendo revitalizada na cidade. Esse nome é porque a região era ocupada por matadouros e indústrias de processamento de carnes, principalmente no Gansevoort Market.

Nesta região, não podemos deixar de visitar o Whitney Museum, que possui um belo prédio (Piano Renzo) e conta com uma boa coleção de arte norte-americana. Ao sair do museu, vamos seguir para o Chelsea Market, um dos astros do bairro.

Chelsea Market, galeria com restaurantes e lojas

O Chelsea Market é um ótimo exemplo da revitalização pela qual passou o bairro. Antigamente o prédio era uma fábrica de biscoito da Nabisco, a criadora do delicioso Oreo, e foi transformado em uma galeria com excelentes restaurantes e lojas, além de ter um prédio comercial acima, onde fica um dos escritórios do YouTube nos Estados Unidos.

Quando visitamos o Chelsea Market ele estava lotado, conseguimos comprar algumas coisas de cozinha e de decoração bem legais e a preços acessíveis e seguimos para almoçar no Gansevoort Market. Uma galeria com pequenos restaurantes, onde tem várias mesas compartilhadas e temos pizzas, sanduíches e um dos melhores Ceviches da cidade, o Mission Ceviche.

O chame de Greenwich Village

Após almoçar e descansar um pouco, siga para Greenwich Village, uma das regiões mais interessantes para desbravar em Nova York enquanto pedestre, pois vai encontrar ruas de paralelepípedos, super agradáveis para um passeio tranquilo.

Caminhe no Village até o Washington Square Park, onde fica a NYU. Essa região é assim chamada pois parece mesmo uma vila com casinhas de tijolos, e você se sentirá nos filmes que se passaram por aqui.

Uma dica: faça esse caminho e tente seguir próximo à Bleecker St, e você passará em frente à uma unidade da Magnólia Bakery onde, com certeza, você encontrará o melhor Red Velvet da cidade. É delicioso.

Mapa da região aqui.

 

4º dia do roteiro em NYC

Depois de conhecer um pouco de Midtown e do Westside da ilha, hoje vamos andar um pouco pelo Eastside.

Nosso dia vai começar visitando o edifício da ONU. O edifício que obriga a entidade oferece visitas guiadas em vários idiomas. A visita vale a pena. Para reservar o passeio, faça a sua reserva com a melhor data e horário pelo site oficial.  Custa USD 22,00 (preço de novembro de 2017).

Para entrar no prédio, você passará pelo controle de passaportes da ONU, que fica em frente ao prédio, do outro lado da rua, na esquina da 1st Avenue com a 45th Street. Após as devidas autorizações, cruze a avenida e entre no prédio e procure pelo balcão dos tours. Tudo estará muito bem sinalizado.

Durante esse tour, você verá todas coleções da casa, visitará todas as salas de reunião, incluindo a sala do Conselho de segurança e a sala da Assembléia geral, que são muito bonitas e interessantes. Tudo que estará ali tem algum motivo.

Você conseguirá ver também os murais Guerra e Paz, do artista brasileiro Candido Portinari que, mesmo visto por uma vista lateral, vale a visita ao prédio.

Depois da ONU, o Empire State Building

Depois de muito aproveitar a visita à ONU, vamos descer a 1st Av. e pegar a 34th St, até o Empire State Building. Com uma silhueta reconhecível por praticamente todo mundo, o Empire State Building é o símbolo maior de Manhattan e um dos ícones mais fotografados da cidade.

Uma observação importante: nós não subimos no Empire State. Acabamos fazendo algumas escolhas, pois entre vários arranha-céus da cidade, faríamos muito turismo nas alturas. Optamos por subir ao Top of the Rock e ao One Observatory (ainda vamos falar sobre ele, no quinto dia do roteiro).

A grande loja da LEGO

Ao descer do edifício, vamos seguir pela 5th Av até o Madison Square Park, uma pequena praça, que fica bem em frente ao Flatiron Building, outro prédio icônico da cidade. Aqui tem uma grande loja da LEGO e você poderá fazer muitas compras se gostar da marca como eu!

Aproveite o seu restinho de dia, para dar um pulo na 6th Avenue, bem perto do Flatiron, onde você encontrará muitas lojas de desconto com preços bem acessíveis para você fazer a festa nas compras.

As lojas são bem próximas:

– Tj.Maxx e Marshalls: ficam no mesmo shopping, na 6th Ave. entre as ruas 18th e 19th.

– Burlington Coat Factory: a mais barata de todas (vale muito fazer compras aqui), que fica na 6th Ave, acima da 22nd St.

Com as tantas sacolas que você sairá daqui, vamos voltar ao hotel e descansar.

 

5º dia do roteiro em NYC

Nesse 5º dia de passeio, vamos explorar a região de Dowtown e o Financial District, além de conhecer um dos pontos mais icônicos da cidade: a Estátua da Liberdade.

Vamos começar o dia na estação de metrô City Hall.

Da estação, vamos descendo pela Broadway até chegarmos na Wall Street, que é o coração do Financial District de NY. Ali você irá passar pela NYSE, uma das bolsas do USA e uma das maiores do mundo, e pelo pelo Federal Hall, um prédio bem bonito que hoje abriga um museu dedicado à história de Nova York.

Apesar da importância do local, você só verá executivos e operadores de mercados engravatados. Não vale a pena perder tanto tempo assim no local. E se você não for um amante de finanças e do mercado, pode seguir direto para a nossa próxima parada: Charging Bull and the Fearless Girl.

O touro de Wall Street e os supersticiosos

Voltando até a Broadway, vamos continuar descendo a rua até chegarmos às estátuas do Charging Bull and the Fearless Girl, a menina que o desafia (agora ela fica permanentemente no local).

Um dos símbolos maiores de Wall Street, o touro esculpido por Arturo Di Modica foi colocado ilegalmente à frente da bolsa de valores de Wall Street em 1989. A obra representa a agressividade e o otimismo do sistema financeiro americano.

O local, com certeza estará cheio de turistas subindo no touro para fotos engraçadas, e também, passando a mão nos testículos do touro, que nos trará sorte e dinheiro. Não sabemos se é realidade ou não, mas não vamos arriscar e vamos seguir a tradição!

Passeio de barco para a Estátua da Liberdade

Após sair do Charging Bull, vamos descer mais um pouquinho até o Battery Park, no extremo sul da ilha de Manhattan. O parque tem um bela vista da baía de NYC e é daqui que saem os ferry boats para a Estátua da Liberdade, nossa próxima parada.

Quando estava planejando a viagem, pensei em não fazer esse passeio, mas ao chegar na cidade, uma amiga me convenceu e acabei fazendo o passeio completo: Statue of Liberty and Ellis Island.

Bem no meio do parque, tem os guichês para a compra dos tickets. Aproveite que não tem filas e faça o passeio. Esses ingressos darão acesso somente à base da estátua, não teremos aqui ingresso para subir até o topo.

Sim, é possível ir até o topo, mas é preciso agendar com muita antecedência via internet para conseguir esse passeio. Mas, como já falamos, acho que vale algumas escolhas de em quais arranha-céus iremos subir na cidade, afinal temo apenas 6 dias de roteiro em NY. Nós ficamos com o Top of the Rock e com o One Observatory (calma, já vamos chegar lá).

Ingressos, caminho e chegada na ilha da estátua

Após comprar os tickets, vamos seguir para uma rigorosa vistoria de segurança para entrarmos nos barcos. Quase igual nos aeroportos (nada que não estejamos acostumado).

Uma dica valiosa: ao entrar no barco, vá para o andar de cima e fique do lado direito, pois você passará bem em frente à estátua e renderá belas fotos!

Ao desembarcar, você verá que tudo o que falam é verdade: ela é pequena, mas é muito legal ver a estátua e a vista de todo Downtown da ilha.

Ao sair da Liberty Island, a próxima parada do ferry será na Ellis Island. Quando fiz o meu roteiro de NY, não tinha lido nada sobre isso e recebi essa dica enquanto estava na cidade mesmo. Era aqui que os imigrantes vindos de outros países ou estados chegavam na cidade, como se fosse uma imigração para se entrar em Nova Iorque.

Hoje, a ilha abriga um museu de imigração, que conta como foi construída a cidade de NY e a importância dos imigrantes (a despeito do que fala Donald Trump hoje). Vale a pena perder uns minutinhos aqui.

Ao terminar o passeio, o ferry te levará de volta para o Battery Park.

Uma dica para almoçar é o restaurante Freemans. Será preciso pegar um metrô para chegar até lá, mas vale a visita ao restaurante, que fica no final de um beco e é super descolado, com uma comida excelente.

Se quiser, também pode se aproveitar dos vários hotdogs que são vendidos ali no parque e seguir para a nossa próxima parada: o 9/11 Memorial.

9/11 Memorial, onde ficava as Torres Gêmeas

Esse memorial foi construído no local do WTC, destruído por Bin Laden. Fica bem próximo ao Bettery Park, então pode ir a pé. Aqui também está o One World Trade Center, prédio construído após as quedas das Torres Gêmeas, mas que não foi construído no mesmo local das torres derrubadas após o atento.

No local onde ficavam as Torres Gêmeas, hoje existem dois memoriais muito bonitos (e tristes ao mesmo tempo): North and South Pool, com fontes de água que simbolizam as lágrimas derramadas após os atentados e onde estão gravados o nome de todas as 2.996 vítimas da tragédia.

O lugar rende belas fotos, mas, mais do que isso, é um local que precisamos respeitar e usamos para refletir sobre o extremismo que causou os atentados de 2001.

O mais alto mirante de Nova Iorque

Contornando as piscinas, veremos a entrada do One World Observatory, que é um observatório que fica no 102º andar do prédio mais alto da ilha hoje: o One World Trade Center.

Visitamos a ilha em novembro e não pegamos fila para a compra de ingressos e subir até o observatório. Vale a pena pagar o preço: 37 dólares para subir.

Quando entrar no elevador, já deixe o celular preparado, pois o elevador possui telas de LED em sua lateral, que vão mostrando a construção e crescimento da cidade de NY vista por aquela vista. Eu tive a sorte de subir sozinho no elevador, então aproveitei ao máximo a experiência.

Aproveite a vista lá de cima, tire muitas fotos e, quando descer, vá até o Oculus. Uma mistura de shopping, estação de metrô e obra de arte. Você reconhecerá o prédio de longe, pois possui uma arquitetura moderna desenhado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava. Aproveite também para visitar a Century 21, mais uma das grandes lojas de desconto da cidade, onde você terá várias marcas de roupas, calçados e acessórios em geral para comprar a preços acessíveis.

Onde comer em Little Italy e Chinatown

Depois de tanto passear, uma boa pedida para o jantar é ir até Little Italy ou Chinatown. O Little Italy é uma região conhecida pelas cantinas italianas na cidade. Quase engolida pelo Chinatown e hoje se restringe a apenas um rua. É a Mulberry Street, onde está o letreiro característico da região e ótimos lugares de comida italiana.

Em Chinatown, não perca a chance de ir aos restaurantes de Dumplings (guiozas), que também está ali ao lado.

Para a sobremesa, vá tomar um sorvete no Taiyaki NYC, que foi eleito como uma das comidas mais “instagrammables” da cidade e oferece um gostoso sorvete em uma casquinha macia e crocante em formato de peixe. Vale a pena dar um pulo aqui!

O mapa desse dia está aqui.

 

6º dia do roteiro em NY

Para terminar nosso roteiro em NY, vamos sair um pouco da ilha de Manhattan e vamos nos dedicar ao Brooklyn. Para mim, foi a região mais especial de NY, uma região que foge dos padrões nova-iorquinos que estamos acostumados a ver nos filmes e tem um vibe mais jovem, mais tranquila, sem muita gente na rua, com muitos hotéis, bares e baladas novinhos para serem desfrutados.

Meu roteiro no Brooklyn

Andar pelas ruas do Brooklyn é muito bom. São vários grafites, arte por todos os lados. Um clima de vizinhança de interior dentro de NY. Onde antes existiam várias fábricas funcionando, agora a vida social é bem agitada.

Começamos o dia na parte norte, em Williamsburg, na estação de metrô Bedford Avenue. Williamsburg é um bairro ao norte do Brooklyn, que podemos passear, encontrar vários bares legais e padarias. O coração do bairro fica no quadrilátero formado pelas Bedford Avenue e Kent Street e 11th Street e Metropolitan Avenue.

Então, perca-se pelas ruazinhas em busca de grafites e novidades. E se quiser tomar um café e comer algum bolinhos bem gostoso, visite a Bakeri (150 Wythe Avenue). Você vai se sentir na casa da sua avó.

Saindo de Williamsburg, vamos fazer um passeio pelo East River.

Vá até o píer North Williamsburg e pegue o ferry no sentido southbound, para seguirmos para o DUMBO. O ticket do ferry, infelizmente, não está incluso no MetroCard. Mas é baratinho (2,75 dólares), vendido nas máquinas automáticas na entrada do píer. O passeio pelo rio vale a pena.

Desça na estação DUMBO

DUMBO é um abreviação de “Down Under Manhattan Bridge Overpass”. Ou seja uma passagem que fica embaixo da Manhattan Bridge, com visão bem legal do skyline de Manhattan.

Ao descer no píer, caminhamos até o Brooklyn Bridge Park. E de lá para o Brooklyn Heights Promenade, que são parques às margens do East River, onde geralmente tem crianças brincando e atletas correndo.

Passeie um pouquinho e volte para os pés da Brooklyn Bridge. Nesse espaço, tem várias opções para almoço e sobremesa: uma tradicional pizza americana no Grimaldi’s ou no Juliana’s e um sorvete na Ice Cream Factory. Vale a pena enfrentar a fila para experimentar.

Onde tirar a melhor foto no Brooklyn

Depois, vá até o cruzamento da Washington Street com a Front Street. É onde se tira a foto da Manhattan Bridge, com o Empire State Building enquadrado bem ao meio dos pés da ponte. Acerte o ângulo!

De lá, dê uma volta no Jane’s Carrousel e Pebble Beach, conheça alguns mercadinho descolados que temos por ali e vamos atravessar a Brooklyn Bridge.

Aberta para uso em 1883, a ponte sobre o East River tem 1834 metros e já foi a maior ponte de suspensão do mundo e hoje é considerada uma das 10 pontes antigas mais bonitas do mundo.

Indo ao contrário do que dizem, atravesse a ponte à pé. Muitos tentam atravessá-la de bicicleta, mas ela é muito movimentada. Evite ser atropelado.

Para se tirar boas fotos, basta ter paciência que, em algum momento, não vai ter ninguém na sua frente. Eu consegui.

Se sobrar um tempinho, aproveite bastante dos locais em volta da ponte, que são bem interessantes. Uma ótima pedida para encerrar o dia dedicado ao Brooklyn é fazer o tour da Brooklyn Brewery. (http://brooklynbrewery.com)

O tour deve sim ser reservado com bastante antecedência pelo site da cervejaria. Eu tive que alterar os meus dias de roteiro de viagem, pois só consegui para ir em uma 4ª feira. Então, não esqueça.

Os tours são feito todos os dias às 17h00 e os portões só abrem nesse horário. Então, não adianta chegar mais cedo, que não tem lugar para ficar, a não ser nos cafés aos lados.

Ali, temos uma pequena fábrica de cerveja, que visitamos bem rapidamente. Ees nos explicam sobre a história da cervejaria e como funciona todo o processo de criação dos sabores. O melhor da visita é que podemos experimentar vários sabores da marca, alguns exclusivos do local.

Depois de uns bons drinques, hora de descansar.

Uma dica importante: se você conseguir fazer o passeio do Brooklyn em um sábado, não perca a feira de Smorgasburg. Vale a pena conhecer um pouco da vida local, as comidas de ruas e toda sua diversidade.

E você, tem mais dicas de roteiro em NYC?

Em 6 dias de roteiro em Nova Iorque, conheci os museus, mirantes, parques, monumentos e cenários de filme que havia planejado. Além de muitos outros pontos turísticos em Manhattan e no Brooklyn. Se você também tem um relato de viagem para NY, mande pro e-mail buenasdicas@gmail.com pelos comentários, logo abaixo.

Para planejar sua viagem:  
  1. Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
  2. Real Seguros: compare preços de seguro viagem
  3. RentCars: aluguel de carro pelo menor preço nas principais locadoras do mundo
Viaje com descontos:
  1. 100 reais de desconto no Airbnb
  2. 5% ou mais de desconto em Seguro Viagem

9 Comentários

  1. Olá, muito boa as dicas! Em setembro estaremos indo e com certeza iremos aproveitar estas dicas! Você locou carro? Em qual região ficou hospedado? Obrigado

    • Pedro Henrique Responda

      Olá Lucas,
      Bom dia!
      Como fiquei somente em NY, não aluguei carro. Acho que só vale pegar um carro se você for em outras cidades e estados ali próximos, pois a cidade tem MUITO trânsito e muito engarrafamento. Na minha opinião, acho que você vai perder muito tempo de carro por lá. De metrô e à pé, você gasta menos e chega mais rápido na maioria das atrações de Manhattan.
      Sobre hospedagem, eu acabei ficando no The Locals, um hostel no Queens, a 3 estações de metrô da Times Square.
      Se eu fosse ficar em Manhattan, escolheria um hotel ou hostel em Midtown ou no Soho, que são as melhores regiões para se hospedar. Mas é bem caro se hospedar ali.

  2. Visitei uma boa parte dessas atrações, mas ainda quero voltar em NYC algumas vezes porque essa cidade parece ser inesgotável, sempre tem aqueles lugares que não deu tempo de passar ou novos atrativos!

    • Verdade, parece que nunca dá tempo de ver tudo em NY. E aí, alguma dica extra que merece entrar no roteiro? Abraço.

      • Pedro Henrique Responda

        NYC sempre tem coisas novas para fazer. Sempre será uma viagem nova para cidade.
        Algumas outras dicas: começa essa semana na Broadway a peça “Harry Potter and The Cursed Child”, continuação dos livros e filmes escritoras pela ingles JK Rowling; para quem gosta de uma boa culinária, não pode perder o Nobu e o Momofuku Ko (esse último com estrelas Michelin); e, para quem visitar a cidade nos meses quentes de verão, não pode perder a temporada de Rooftops.
        Logo mais volto para a cidade e volto com dicas fresquinhas.

    • Que bom que gostou. Tem muitos pontos turísticos clássicos, restaurantes, parque e lugares novos. Não falta o que fazer em Nova Iorque. Aproveite nossas dicas de NYC e boa viagem!

Escreva seu comentário