Viagem de carro de Brasília a São Paulo

A viagem de carro entre São Paulo e Brasília pode ser feita em apenas um dia. Mas eu preferi ir com calma, fazendo paradas diferentes pelo caminho e observando, entre outras coisas, as condições das estradas e melhores rotas.

Fiz a viagem de ida e volta (Brasília/São Paulo/Brasília) no mês de junho por ser época de seca, com pouquíssimas chances de chuvas pelo caminho. E deu certo, pois não caiu uma gota.

TAG DE PEDÁGIO – C6 VELOE OU SEM PARAR OU TAG ITAÚ
Para não perder tempo nos pedágios, antes de viajar instalei uma tag de cobrança automática. Pensei primeiro na tag do Itaú, pois sou cliente e imaginei ter algum benefício, mas estava cobrando uma taxa de ativação. Depois pensei no Sem Parar, que já veio colado no meu carro, mas existe cobrança de mensalidade. Por fim, me lembrei da tag da Veloe, gratuita para clientes C6. Solicitei no app do banco e chegou em poucos dias. Foi a tag que utilizei na viagem. Funcionou em todos os pedágios entre Brasília e São Paulo. Falhou uma única vez por culpa minha (e dos preços), pois o saldo da conta tinha se esgotado.

O caminho mais curto e rápido de Brasília para São Paulo

Brasília / Cristalina / Catalão / Uberlândia / Ribeirão Preto / São Paulo

  • Distância: 1.007 km
  • Tempo médio de viagem: 12h30, sem contar as paradas

Seguindo a melhor rota traçada pelo GPS, por volta de 10h saí de Brasília em direção ao trajeto que passa por Luziânia, Cristalina, Catalão, Araguari, Uberlândia, Uberaba, Ribeirão Preto, Campinas e São Paulo. Por esse caminho, o Google Maps indicava 12h30 de viagem.

Já fiz essa viagem em um dia, saindo cedinho de Brasília e chegando à noite em São Paulo. Mas dessa vez preferi ir com calma e já comecei a viagem com hotel reservado em Ribeirão Preto, onde cheguei no final da tarde. E no dia seguinte, cheguei em São Paulo na hora do almoço. Está tudo explicado no relato a seguir.

ROTA ALTERNATIVA TODA EM PISTA DUPLA
Outro caminho possível de Brasília a SP é pelas BR-060 e BR-153, passando por Goiânia e Itumbiara. Essa rota tem 1.145 km e leva em média duas horas a mais de viagem, mas percorre somente pistas duplicadas e possui paradas melhores pelo caminho, como o Jerivá.
Distância: 1145 km / Tempo média de viagem: 14h30

De Luziânia a Cristalina – A a única estrada ruim da viagem

Foi a primeira vez que vi uma estrada que NÃO É TODA DUPLICADA cobrar pedágio.

Os 76 km entre Luziânia e Cristalina possuem trechos de pista simples intercalados com trechos de pista dupla. Quando você se empolga na dupla, de repente vem um caminhão no sentido oposto. Achei perigoso. A alternância deveria ser melhor sinalizada.

Os trechos de mão dupla são de muitas curvas e ladeiras, complicados para ultrapassagem. Passei longos minutos atrás de caminhões lentos.

A cobrança do pedágio, no valor de R$ 5,80 para carro de passeio, pode ser paga apenas em dinheiro. Cartões de crédito e débito não são aceitos. Não reparei em obras no caminho e imagino que não será toda duplicada tão cedo.

Para não perder tempo nas paradas, colei no pará-brisas a tag da Veloe, enviada pelo banco C6. A cobrança é feita diretamente no saldo da conta corrente, no mesmo valor do guichê.

De Cristalina a Catalão – Pista dupla pouco movimentada

O trecho entre Cristalina e Catalão foi um dos melhores da viagem.

Apesar das muitas curvas, a estrada (BR-050) é nova e bem sinalizada. O que é cobrado no pedágio, lógico, mas dessa vez me pareceu mais justo. Estava com pouco movimento.

Uma boa parada é no Posto JK – Estrela, em Catalão. Possui restaurante por quilo, lanchonete e banheiros decentes. Além de um lugar (jaulas pequenas) para deixar seu cachorro esperando.

De Catalão em diante, seguindo sempre em pista dupla com cobrança de pedágio, o trânsito vai aumentando gradativamente.

Triângulo Mineiro – Estradas, postos e paradas

Depois que entrei em Minas Gerais, vi poucos postos Petrobras BR na estrada. Péssima notícia para quem, assim como eu, acumula pontos no programa Premmia.

Na região predomina a Rede Ipiranga. Precisei parar num deles e era muito caído, com banheiros em péssimo estado.

O único posto BR que encontrei foi na saída de Uberlândia, o Posto Décio, que me pareceu muito bem estruturado para uma parada. Infelizmente, já sem confiança na autonomia do tanque, eu havia abastecido num posto anterior.

Passei em Uberaba por volta de 16h, então preferi seguir viagem. Mas a cidade é estratégica para o pernoite, caso esteja cansado. O Hotel Jaguar, por exemplo, é bem avaliado e próximo à rodovia.

Ribeirão Preto – Parada para dormir e trânsito pesado

Já na Via Anhanguera, quase sem curvas e cortando centenas de quilômetros praticamente idênticos de plantação, a estrada segue duplicada e em ótimas condições. Por outro lado, vai ficando mais movimentada.

Não sei se é coincidência, mas é a terceira vez que faço essa viagem, e o trânsito sempre fica muito mais pesado na altura de Ribeirão Preto. Por isso mesmo, e também pela noite chegando, é um ótimo lugar para dormir.

Escolhi o Monreale Express Ribeiro Preto para passar a noite. Além de bom e barato, o hotel é um clássico na cidade, ocupando um prédio antigo no centro, pertinho do Pinguim. Dá pra ir andando tomar um chopp e comer uma coxa creme.

Se preferir não entrar em Ribeirão Preto, o Vancouver Hotel fica a apenas 500 metros da Rodovia Anhanguera. É bem avaliado pelos hóspedes (Nota 8.2) e oferece estacionamento e café da manhã incluídos na diária.

Estradas na altura de Campinas e chegada a São Paulo

De Ribeirão Preto a São Paulo são 315 km. Tudo em pista dupla, com um pedágio atrás do outro. Além de caros, costumam ter filas. Por isso, friso, recomendo muito que vá com uma tag que abre automaticamente a cancela da via rápida.

Passando por grandes cidades como Campinas e Jundiaí, o trânsito se torna ainda mais intenso. Mantenha o GPS ligado para seguir a rota mas rápida, pois nessa região há estradas alternativas até São Paulo, e fica bem confuso seguir as placas. Ou escolha de acordo com o trânsito.

Rodovia dos Bandeirantes ou Anhanguera?

Entre Araras e Limeira, surge uma possibilidade: um trevo da Via Anhanguera para a Rodovia dos Bandeirantes. Ambas levam até São Paulo, mas são bem diferentes.

No dia da minha viagem, continuar pela Via Anhanguera me fez chegar 1 hora mais rápido em São Paulo, segundo o GPS.

Mas a Rodovia dos Bandeirantes tem a vantagem de ser proibida para caminhões. Dessa forma, possui um trânsito mais leve, sendo considerada uma das estradas mais seguras do Brasil.

Chegada em São Paulo

Surpreendentemente, a chegada à capital foi tranquila. Depois de todo o trânsito da região metropolitana, de repente me vi dirigindo na Marginal Pinheiros.

Mas tenha muita atenção e agilidade nas mudanças de faixa, pois os retornos são distantes e um erro pode aumentar muito o tempo de viagem.

Chegamos!

Veja nossas Dicas de viagem a São Paulo e aproveite o melhor da capital paulista com nossas recomendações de restaurantes, hotéis e lugares legais pra visitar. Se ainda não tiver hotel reservado, confira também o guia Onde ficar em São Paulo, um post completo com os melhores bairros e hotéis em localizações estratégicas.

Caso tenha alguma dúvida sobre onde parar para comer, abastecer ou dormir, além de condições das estradas, mande sua pergunta pelos comentários abaixo. 

Viajar com tudo reservado é bem melhor

Descontos para economizar na viagem

  • Utilize o cupom BUENASDICAS5 na Seguros Promo e tenha   5% de desconto  em seguro viagem
  • Acesse o site O Meu Chip por esse link e tenha   15% de desconto  usando o cupom CHIPMAISBARATO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 Comentários

  1. Boa noite, Nivaldo! Tudo bem?

    Muito bom seu relato! Me ajudou muito!! Algumas dúvidas:
    Você fez este trajeto sozinho? Acha muito arriscado uma mulher fazer essa viagem sozinha?
    Eu sou de SP morando em Brasilia e dessa vez queria ir de carro. De Ribeiro em diante eu estou mais familiarizada.
    Alguma dica para uma mulher que vai fazer essa viagem?

    Muito obrigada,
    Abraço,
    Adélia

    1. Oi Adelia. Nunca fiz esse trecho todo sozinho. Mas tenho uma amiga que sempre vem sozinha de São Paulo a Goiânia e Brasília. Ela é animada, vem direto, sem parar pra dormir. A maioria dos postos no caminho são organizados, e as estradas boas.

      Olha, eu gosto de viajar sempre durante o dia. Acho mais seguro, porque enxergo melhor a pista e caso tenha um imprevisto, como um pneu furado ou algum defeito no carro, fica mais fácil resolver.

      Boa viagem!

  2. Prezados,
    Gostei muito do blog. bem esclarecedor.
    Aproveitando a oportunidade gostaria muito de saber, neste trajeto de BSB-SP, que pontos turísticos poderiam ser visitados, antes de chegar em SP e tb na capital?

    1. Boa tarde, Menezes. Por esse caminho mais curto, via Catalão, tem Cristalina, que possui algumas cachoeiras e a Lagoa dos Cristais, e em Ribeirão Preto tem o famoso chopp do Pinguim.

      Se fizer a rota um pouco maior, pode passar por Itumbiara, com seu belo Rio Parabanaíba.

      Sobre a capital, vejo nosso guia: O que fazer em São Paulo.

      Boa viagem.