Durante meu intercâmbio em Malta, curti muito as principais atrações do país: praias, feiras tradicionais, festas, monumentos históricos, cidades milenares, gastronomia e muitos pontos turísticos. No inverno ou no verão, não falta o que fazer em Malta. Confira as principais atrações desse pequenos país e veja o que vale a pena colocar no seu roteiro.

Lembrando que, apesar de ter algumas das praias mais bonitas da Europa, o clima em Malta permite que elas sejam aproveitadas pra valer apenas na metade do ano: de maio a outubro, quando o clima esquenta, principalmente no verão, de junho a setembro. Por isso é importante ler nossas dicas de quando ir para Malta.

Confira as melhores praias, cidades históricas, passeios, atrações, pontos turísticos e outras dicas sobre o que fazer em Malta. Por enquanto, a lista tem 12 diferentes atividades. Mas ela pode crescer à medida que eu me lembrar de mais coisas e receber mais dicas de Malta, de outros viajantes.

Salve no seu pinterest!

 

1. Blue Lagoon

A Blue Lagoon merece com glórias o primeiro lugar em qualquer lista sobre o que fazer em Malta. Localizada na pequena ilha de Comino, trata-se de uma pequena baía de águas rasas e cristalinas, que deixa a Costa Amalfitana no chinelo. Ao redor, minúsculas faixas de areia e pedras, muitas pedras. No verão, tem que chegar cedo pra conseguir, literalmente, um lugar ao sol.

Eu atravessei a Blue Lagoon a nado, aproveitando que a maior parte da baía é rasa. E aí, vai encarar?
Agora faz sentido aquele frase: “Nós vamos invadir sua praia”. Certeza que pelo menos 20% desse povo aí é brasileiro.

Apesar da aparência irresistível, as águas da Blue Lagoon são geladas. A melhor época para mergulhar nelas é o verão, quando o calor do lado do fora é insuportável. Em julho e agosto, planeje bem os horários do passeio, porque engarrafamentos até a balsa são comuns.

 

2. Valetta

Fundada em 1566, Valetta é a capital e também a cidade mais turística de Malta. Aliás, chamar de cidade é exagero. Com pouco mais de 6 mil habitantes, a península de Valetta parece mais um pequeno bairro cheio de construções históricas, igrejas e uma vista fascinante do Mar Mediterrâneo. É possível conhecer a cidade inteira em apenas uma tarde. Mas, melhor do que percorrer suas ruas, é admirar a silhueta de Valetta, dominada pelo Forte de Santo Elmo e pela cúpula da Igreja Carmelita.

 

3. St. Peters Pool

Perto da impronunciável cidade pesqueira de Marsaxlokk, fica um dos pontos mais incríveis do litoral de Malta: uma grande piscina natural, entre rochas que são um convite muito louco para um salto no abismo. Mas não se preocupe, o salto é (aparentemente) seguro, em profundidade razoável pra ninguém dar com os burros n’água. Até o cachorro tem coragem.

• Se for num domingo, passe antes na Feira de Marsaxlokk, número 10 dessa lista sobre o que fazer em Malta. O lugar é cheio de restaurantes. Pesquise bem antes de se sentar em algum deles, pois muitos são armadilhas para turistas, principalmente no verão, quando ficam lotados. Escolhendo bem, vai saborear ótimos frutos do mar e outras pratos da culinária maltesa.

 

4. Popeye Village

Sucesso nos anos 80, o filme Popeye foi gravado em Malta e deixou de herança pra Ilha essa vila de pescadores fictícia. Não deu outra, virou ponto turístico de Malta, e pode ser visitada em qualquer estação do ano. A vila é um pequeno parque temático, com teatro de fantoches, passeios de barco e personagens como Popeye, Brutus e Olivia circulando por lá. Mas, como quase tudo em Malta, é no verão que a Popeye Village fica melhor, quando são colocados brinquedos infláveis na baía de águas transparentes.

Eu fiz o passeio com pressa, então não aproveitei quase nada. Pra entender mais o que tem lá dentro, preço do ingresso e ver muitos fotos, dá uma olhada nesse post do blog Deixa de Frescura.

 

5. Mais praias de Malta

O litoral maltês tem 197 quilômetros de extensão e concentra algumas das praias mais bonitas da Europa. Algumas delas realmente são o que chamamos de praias de pedra, pois não têm faixa de areia, como em Sliema Bay, aos pés do Fort Tigné, onde se reúnem alguns banhistas. Mas também existem praias ao estilo brasileiro, com ondas e muita areia. Dessas, minhas preferidas são: Paradise Bay, Golden Bay e Għajn Tuffieħa.

A praia de St. George’s Bay, da foto acima, é a mais próxima da maioria das escolas de inglês em Malta. É uma praia urbana e artificial, que fica lotada no verão e tem gente o ano inteiro, inclusive à noite, por ser perto das baladas de Paceville. Então, não se assuste se algum russo (sempre eles) entrar na água gelada de madrugada.

O site Malta Uncovered (em inglês) fez um ranking com as 10 melhores praias de Malta, listando os prós e contras de cada uma. Minha favoritas:

• Golden Bay

• Għajn Tuffieħa

• Mellieħa Bay

• Paradise Bay

• Blue Lagoon

 

6. Navegar na Blue Grotto

Por 8 euros você embarca nesse passeio até o interior de uma caverna marinha. A Blue Grotto é a mais famosa, mas o barco segue para outras fendas, num trajeto de mais ou menos 30 minutos. Se o mar estiver tranquilo e o barqueiro de bom humor, ele faz uma pequena parada pra quem quiser nadar no Mediterrâneo dentro da caverna.

Foto de Pawel Biernacki (CC)

 

7. Explorar Gozo: Cittadella de Victoria

Mesmo que a famosa Azure Window tenha ido por água abaixo, literalmente, ainda tem muito o que fazer em Gozo. A segunda maior ilha de Malta é rica em história. O lugar mais importante é a Cittadella, uma cidade-castelo fortificada na Era do Bronze e com vestígios dos tempos do neolítico. Fazer o passeio de um dia é mais comum, mas ela fica bonito mesmo é com a iluminação noturna. Se passar a noite em Gozo, não deixe de fotografar. Dê uma olhada nas dicas da Maria Lucaroni, que também fez lindas fotos.

| Foto de Pete Lanman (CC)

 

8. Templos megalíticos

Se você gosta de história ou vai pra Malta no inverno (e não tem mais o que fazer), vá respirar o pó milenar em algumas das ruínas mais antigas da humanidade. São seis os templos megalíticos, espalhados em diferentes pontos nas ilhas de Malta e Gozo. Tudo Patrimônio Mundial da Unesco. As entradas custam em média 10 Euros. O pessoal do blog Contando Destinos também visitou alguns desses templos e acho que eles gostaram mais do que eu. Vale a pena ler o relato e ver mais detalhes por lá.

A post shared by doctordeluca10 (@de.luca10) on

 

9. Mdina

Assiste Game of Thrones? Então você ja viu o portão de Mdina, que na série é a entrada de Westeros. Em Mdina também rolou um duelo entre Ned Stark e Jamie Lannister, entre outras cenas da série. Capital de Malta até 1570, quando foi substituída por Valeta, Mdina preserva palácios aristocráticos do século XV. Andar em suas ruas, entre prédios na mesma tonalidade de bege, é uma viagem no tempo. Melhor do que entrar nos museus, na catedral e nas catacumbas, é aproveitar os restaurantes, a sorveteria e os cafés de Mdina, alguns com mirantes fantásticos para Malta e alcance até o Mar Mediterrâneo.

• Mais cenários de GOT em Malta, você descobre aqui, em inglês.

• Mdina fica colada com Rabat, outra cidade com forte influência árabe em Malta. Vale a pena fazer o passeio duplo, de preferência com uma parada no Crystal Palace, lanchonete conhecida por fazer os melhores pastizzi de Malta.

 

10. Feira de Marsaxlokk

Última, porém ótima dica sobre o que fazer em Malta no inverno ou qualquer outra época do ano. Isso porque é sempre tempo de comprar pescados, pechinchar lembrancinhas e comer bem. Mesmo já dominada pelo turismo, a feira ainda é interessante. Os barquinhos coloridos são fotogênicos e é interessante ver a diversidade de frutos do mar à venda, tudo fresquinho e a preços justos. Na calçada, dezenas de restaurantes disputam clientes, então fique esperto pra não cair em roubada, pesquisando bem onde vale a pena comer. Acontece todo domingo pela manhã. Combine esse passeio com a St. Peter’s Poool.

11. Baladas e Cassinos

Guardadas as devidas proporções, Malta é uma espécie de Las Vegas da Europa. Todos os dias de semana, milhares de jovens lotam a região de Paceville, onde estão dezenas de bares e boates. A entrada é grátis em quase todos os lugares. Tem boates especializadas em hip-hop, em ritmos latinos, em pop e o que você imaginar. Agora, se você gosta é de apostar, os melhores cassinos da Malta são o Dragonara, em St. Julians, e o Oracle, em Qawra.

 

12. Mergulho

Entre os 10 melhores pontos de mergulho da Europa, 2 estão em Malta. O ranking foi feito pelo site Dive.in, listando a região da Blue Hole (e antiga Azure Window), em Gozo, e Anchow Bay, em Popeye Village, como os melhores lugares para curtir o fundo do mar em Malta. Isso explica a quantidade de escolas de mergulho em toda a costa. E muitas delas fazem parcerias com escolas para oferecer descontos aos estudantes.

O blog brasileiro Marcio no Mundo contou como foi a experiência de mergulhar em Malta. O que ver num mergulho em Malta: além de peixes e lindas formações naturais do Mar Mediterrâneo, ao redor de Malta estão destroços da Segunda Guerra Mundial, como o bombadeiro britânico Blenheim Bomber, a 42 metros de profundidade.

 

E você, tem mais alguma dica sobre o que fazer em Malta?

Selecionei os melhores passeios que eu fiz e os que eu gostaria de ter feito. Se você tem mais dicas de Malta, seja de baladas, praias, gastronomia ou qualquer outra coisa que seja imperdível na ilha, é só comentar abaixo. Aí outros viajantes e intercambistas também vão poder aproveitar.

Para planejar sua viagem:  
  1. Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
  2. Real Seguros: compare preços de seguro viagem
  3. RentCars: aluguel de carro pelo menor preço nas principais locadoras do mundo
Viaje com descontos:
  1. 100 reais de desconto no Airbnb
  2. 5% ou mais de desconto em Seguro Viagem
Autor

Criador e principal editor do Buenas Dicas, o blog do viajante inteligente (que é você 😄). Siga nossas redes sociais e para dúvidas, propostas e parcerias, veja nosso contato.

7 Comments

  1. Ola! Gostaria de saber qual melhor opção para chegar em Malta.De avião por Catania ou ferrie po Pozzallo? Ja que irei em agosto para Sicilia e pretendo ficar em Malta, com mala de mão e mala de 32 quilos.

    • Nivaldo responder

      Olá, Dilma. O jeito mais rápido e barato pra chegar em Malta é sempre de avião. Claro que viajar de barco, pra quem não tem medo de ondas, é muito mais divertido. Mas os preços geralmente são mais altos.

      Pesquisando agora pra sua viagem em agosto, encontrei voos de ida de Catania para Malta por 138 REAIS pela Ryanair. Mesmo pela AirMalta, que tem aviões mais espaçosos e serviço de bordo, os voos não são caros, numa média de R$ 190. E o tempo de viagem é de apenas 55 minutos. Pesquisei pelo Skyscanner, site de comparação de preços de passagens.

      Aí pesquisei também o valor dos barcos entre a Sicília e Malta para agosto, no site da Virtu Ferries (http://www.virtuferries.com/?p=8863). Eles fazem trajetos entre Pozzallo, Catnia e Malta. Na tabela de preços, não está claro qual é o porto de embarque, mesmo assim deu pra ver que o preço é salgado. Para adultos, a passagem só de ida custa 127 EUROS, o que dá R$ 542 na cotação de hoje. E essa não é uma viagem cênica, é mar aberto o tempo todo, sempre paisagens incríveis pelo caminho.

      Então depende do que você prefere, se é economizar tempo e dinheiro ou se é gastar quase três vezes mais para ter uma experiência diferente.

      Dê uma olhada também no post “Como chegar em Malta”: https://www.buenasdicas.com/como-chegar-malta-2716/

  2. Janaina Dalosso responder

    Nivaldo, boa noite!! Tudo bem?
    Estou cogitando fazer um curso na EC Malta , St. Julians por 30 dias em Junho/2018. Vou ficar em residencial estudantil (quarto duplo – sem refeições). Quanto vc acha que devo levar em euros (espécie) para ficar 30 dias?
    Grata!
    Janaina Dalosso

    • Nivaldo responder

      Ola, Janaina. Depende do estilo de vida que levar em Malta. Fiz o post Preços e Custo de Vida em Malta, com informações completas sobre isso. Nos comentários, outros leitores fizeram a mesma pergunta e respondi com mais preços e ideias de planejamento e orçamento pra viagem.

  3. Oii Nivaldo! Estou devorando tudo aqui sobre Malta! rsrs
    Minha 1ª dúvida é sobre a temperatura da água…
    Ela é gelada durante todas as estações é? Tipo no verão o calor excessivo compensa né… Estou com medo de ir em junho por exemplo e não conseguir entrar na água. E medo de ir em agosto e passar raiva por causa da quantidade de pessoas! =/

    • Nivaldo responder

      Oi Patrícia! Que bom que os posts tão ajudando.
      Então, eu entrei no mar em Malta em abril e maio. E tava muito gelado! Haha. Em abril, eu fui um dos primeiros a se arriscar, mesmo em dias de vento polar. Acho que foi porque tinha acabado de chegar do calor do Saara que tava em São Paulo, desesperado por praia, e muita gente lá tinha acabado de atravessar o inverno europeu. Então acho que inaugurei o verão, em plena primavera, haha.

      Mas fiquei curioso com sua pergunta e fui atrás de informação. Descobri um site americano que mostra média de temperatura da água no Mediterrâneo, no litoral de cada país (https://www.seatemperature.org/mediterranean-sea). Tudo em Graus Celsius. Olha só em Malta como é:

      Janeiro: 16
      Fevereiro: 16
      Março: 15
      Abril: 16
      Maio: 18
      Junho: 21
      Julho: 24
      Agosto: 26
      Setembro: 25
      Outubro: 23
      Novembro: 21
      Dezembro: 18

      Se fosse você, eu iria em junho. Primeiro porque vai chegar mais rápido, depois porque vai estar menos lotado e é menos calor. Pra ter uma ideia, a temperatura média em malta em junho de é 23 ºC e em agosto é de 26 ºC. Se essa é a média, imagina então qual é a máxima, quando você provavelmente vai estar dentro de um ônibus sem ar-condicionado, em pé, a caminho da praia. =D

      A lotação excessiva de agosto também é ruim nas baladas de Paceville. Meus amigos que ficaram lá o ano inteiro, disseram que os clubes ficam insuportavelmente quentes e lotados em julho e agosto. Junho é um tanto mais agradável.

Comentários