Durante meu intercâmbio em Malta, fiz questão de mergulhar na culinária da ilha. Experimentei massas, carnes, sopas, sobremesas e outros pratos malteses recomendados por moradores locais. São receitas que realmente fazem parte do dia a dia do país.

Para essa lista, selecionei as mais comuns comidas típicas de Malta. Ou seja, aquelas que você pode encontrar em muitos restaurantes quando visitar o país.

Vou começar a lista com meu prato favorito. E pra encerrar, uma sobremesa que é paixão nacional. E tem pratos exóticos para o paladar brasileiro, mas que deixam qualquer maltês com água na boca. Vem com a gente ver as 7 melhores comidas típicas de Malta.

 

1. Timpana

É basicamente uma torta de macarrão.

Pois é, os Malteses misturaram dois pratos em um só. Imagine uma bandeja de penne com queijo e molho bolonhesa. Agora coloque dentro de uma massa de torta, tipo de uma torta de frango. Essa é a timpana, comida típica de Malta vendida nos melhores botecos e restaurantes baratos do país. Robusto, o prato também pode levar ovo e outras carnes na receita.

 

2. Pastizz (singular) ou Pastizzi (plural, pois é impossível comer um só)

Melhor do que empadinha.

Porção de pastizzi | Foto de Christian Tan (CC)

A mas famosa comida típica de Malta no mundo, é também a mais fácil de ser encontrada no país. Pastizzi vai bem no café da manhã, no almoço, no lanche, no jantar e principalmente na madrugada, pra dar aquela segurada na bebida depois das baladas de Paceville.  Vou resumir assim: é tipo uma empanada de massa folhada, e os principais recheios são de cremes de ervilha e ricota. Mas também tem Pastizz de carne, queijo e outros sabores mais normais ao nosso paladar, inclusive de NUTELLA. Pra matar a saudade e fazer em casa, tem uma receita aqui no CM.

Cena típica de Valletta, uma pastizzeria e um soldado paramentado | Foto de Alto Maltés (CC)

Dica de sobrevivência: não chame nenhum cidadão maltês de Pastizzi, porque, além de algumas conotações sexuais, a palavra também significa “idiota”. Ou seja, também é um legítimo xingamento maltês.

 

3. Tal-Lampuki, a torta de peixe

Conhecido no Brasil como Dourado-do-Mar, Cabeçudo e uma dezena de nomes, em Malta ele é simplesmente o Lampuki, peixe muito comum na culinária maltesa.

A post shared by Lydia E. Corral (@lydiaecorral) on

Os cardumes de Lampuki invadem o Mediterrâneo e passam por Malta entre o final de agosto e o final de dezembro. Pra comer o peixe fresco, essa é a melhor época. A Tal-Lampuki, torta feia com o peixe, é a receita mais comum. Mas ele também é servido em fatias ao molho de ervas, no sopa “Aljotta”, ou com hobz, o pão típico de Malta. Existe até o Ceviche de Lampuki, servido principalmente nos festivais, na alta temporada do pescado.

Onde comer: os melhores restaurantes de frutos do mar em Malta estão em Marsaskala, Birgu, and Marsaxlokk. Nessa última, de nome impronunciável, você pode comprar o Lampuki fresco, na feira que acontece todo domingo.

 

4. Minestra, a sopa vegetariana de Malta

Viajantes vegetarianos, podem ir tranquilos para Malta. O país tem restaurantes veganos, vegetarianos e receitas típicas que não levam carne. A mais famosa é a minestra, uma sopa à base de legumes como cenoura, abóbora, vagem e ervilha, entre outros.

A post shared by Alessandra (@ninabluettina) on

Se perguntar na Itália, vão dizer que até o nome é italiano, então Malta estaria usurpando essa comida típica. Então melhor evitar polêmica (mas no fundo é a mesma coisa, inclusive essa foto aqui em cima é de uma minestra italiana). Outras sopas de Malta, nem todas vegetarianas, são a Tal-Armala, feita com vegetais e ricota, e a Aljotta, uma sopa de peixe com tomate e alho.

Tem receita de Minestra, em inglês, no site da Air Malta, se quiser fazer em casa.

 

5. Fenek, a carne de coelho

Em solidariedade aos vegetarianos, não vou mostrar a foto desse prato polêmico.

Mas o fato é que quando os malteses veem um coelhinho felpudo correndo, eles sentem água na boca. Isso porque a carne de coelho é uma das preferidas dos moradores da ilha, e está presente em diferentes receitas: coelho assado, coelho frito, coelho guisado ao molho de ervas… Então, se você acha os bichinhos lindos, nem pense em passar a Páscoa em Malta, porque, em vez de coelhos de chocolate, você vai ver é coelhos assados no prato. (Cá entre nós, eu experimentei um coelho cozido e achei parecido com carne de frango, nada que valha a pena o sacrifício, literalmente).

 

6. Imqaret ou Date Cake

Na entrada de Valletta, capital de Malta, é difícil resistir aos quiosques e carrinhos de comida de rua que vendem o doce típico mais comum de Malta.

 

Achatado e em formato retangular, o imqaret é uma massa frita e recheada com uma pasta de tâmaras. Muitos bares e ambulantes vendem o imqaret por todo o país, mas só se tiver sorte você vai encontrar a iguaria vendida junta a uma bola de sorvete de baunilha, como indicado no site (em inglês) da AirMalta.

 

7.  Qaghaq tal- Ghasel, o biscoito de Natal

Se for passar o Natal em Malta, deixe o panetone de lado e se junte aos malteses pra saborear esse biscoito doce de nome impronunciável. Aliás, melhor chamar pelo nome em inglês, “Honey Rings”, ou seja, anéis doces. O preparo não tem segredo: é basicamente um biscoito assado recheado com melaço de cana. Se quiser fazer em casa, aqui neste site tem a receita em português. Aliás, até o nome do doce é aportuguesado por lá: anéis de melaço. Se sabe inglês, melhor ver também este site britânico, que tem a receita e o modo de preparo muito mais completos.

Para planejar sua viagem:  
  1. Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
  2. Real Seguros: compare preços de seguro viagem
  3. RentCars: aluguel de carro pelo menor preço nas principais locadoras do mundo
Viaje com descontos:
  1. 50 reais de desconto no Booking
  2. 100 reais de desconto no Airbnb
  3. 5% ou mais de desconto em Seguro Viagem
Autor

Escreva seu comentário