Dicas de viagem a Lima: roteiro, quando ir, o que fazer, preços, passeios (2024)

Lima não merece ser apenas uma escala até Machu Picchu. A capital do Peru é uma das cidades mais interessantes do América do Sul, e oferece passeios imperdíveis para praias e desertos próximos.

Com estas dicas de viagem a Lima, veja porque vale a pena conhecer a cidade, e organize tudo para não cair em cilada: vá na melhor época, faça os melhores passeios e coma nos melhores lugares.

Fundada em 1535 pelos espanhóis, Lima tem hoje 9.2 milhões de habitantes. Conta com bons museus, igrejas históricas, centros de compras modernos, uma agitada cena cultural e alguns dos melhores restaurantes do mundo, além de estar próxima de lindas praias e um oásis no deserto.

Dicas de viagem a Lima, Peru

  1. Como chegar – Voos diretos do Brasil a Lima
  2. Melhor época em Lima – Tempo bom em Lima e destinos próximos
  3. Quantos dias ficar em Lima  – Período mínimo e ideal
  4. Melhor lugar para se hospedarDicas de bairros e hotéis
  5. Como se deslocar em Lima – Táxi x Uber x Carro X Ônibus
  6. O que vale a pena fazer – Dicas de passeios em Lima
  7. Roteiro em Lima – Organize seus dias
  8. Onde comer – Dicas de restaurantes em Lima
  9. Preços em Lima – Quanto gastar na viagem
  10. Vale a pena viajar a Lima

FAQ – Repostas para as dúvidas mais comuns sobre Lima

  • Precisa de visto no Peru? Não.
  • Precisa de passaporte? Não. Pode entrar no Peru com o RG.
  • Tem voos diretos para Lima? Sim. De São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro.
  • Compensa alugar carro em Lima? Depende. Se alugar, evite ir no centro.
  • Seguro viagem é obrigatório no Peru? Não, mas recomendo fazer (preços aqui).
  • Lima é perigosa? Não achei. A sensação de segurança é maior que no Brasil.
  • Tem Uber em Lima? Sim. Mesmo app e preços similares ao Brasil.
  • Alguma outra dúvida? Pergunte nos comentários, no final do post.

1. Como chegar em Lima

Lima está localizada na costa central do Peru, às margens do Oceano Pacífico. Os bairros ricos da cidade estão sobre uma falésia, de onde se tem vistas privilegiadas para o mar.

Atualmente, Lima recebe voos diretos, todos os dias, de três capitais brasileiras:

  • São Paulo/GRU-Lima • LATAM e Sky • 5h10 de duração
  • Rio de Janeiro/SDU-Lima • LATAM • 5h30 de duração
  • Brasília-Lima • LATAM • 4h50 de duração

O valor médio da passagem, ida e volta, está entre R$ 2.500 e R$ 3.000.

Eu fui no voo de Brasília, a bordo de um Airbus A320 NEO da LATAM. Avião de apenas um corredor, apertado para um voo de quase 5 horas. Mas a vista ajudou a viagem a passar mais rápido, com direito a voo panorâmico sobre os Andes nevados e Cusco, numa linda manhã ensolarada.

No desembarque em Lima, fui ao guichê das operadoras de táxi, que ficam logo após as esteiras de bagagem. Paguei 60 soles, no cartão de crédito, até meu hotel em Miraflores (Red Radisson), localizado na parte mais central do bairro.

2. Melhor época em Lima

Para uma viagem somente a Lima, pode ir em qualquer mês. O clima na cidade é muito estável, sempre com poucas chuvas, muita umidade e temperaturas amenas.

Em média, as temperaturas médias em Lima variam de 15 ºC e 20 ºC entre junho e novembro, e de 17 ºC a 26 ºC entre dezembro e maio. No verão, entre dezembro em março, picos de calor podem elevar os termômetros aos 30 ºC.

Devido à altíssima umidade, é natural suar em qualquer caminhada em Lima, mesmo nos dias frios. Por isso, a viagem pode ser mais agradável nos meses de inverno.

Eu fui num mês de agosto, que é inverno, e precisava de jaqueta apenas no início do manhã e à noite. Não choveu nenhum dia. No passeio a Paracas e Huacachina estava calor, embora suportável.

Mas, se você for combinar Lima com Machu Picchu, aí sim a época do ano faz toda a diferença. Nesse caso, prefira ir entre maio e setembro, que são os meses menos chuvosos do ano, especialmente julho e agosto.

3. Quantos dias ficar em Lima

Dá pra conhecer o básico de Lima em 2 dias inteiros. Mas eu recomendo que você fique 3 dias inteiros, para fazer o melhor passeio da viagem: Paracas e Huacachina.

Considere um dia todo para o Centro Histórico, pois além de muitos lugares pra visitar, a trânsito até lá é péssimo, então você pode demorar muito para chegar e voltar. Dica de ouro: faça um Free Tour em Lima, um passeio guiado, grátis para reservar.

No outro dia, ande pela manhã no Bairro Barranco, uma espécie de “Vila Madalena” de Lima, e almoce em algum de seus excelentes restaurantes. À tarde, vá para Miraflores, onde estão o Shopping Larcomar e parque Malecón de Miraflores, perfeito para ver o pôr do sol.

E tenha um dia inteiro para os arredores de Lima. O tour de Paracas e Huacachina foi a melhor parte da viagem. Foi um dia cansativo, mas produtivo, com direito a passeio de barco para ver leões-marinhos e surfe nas dunas de um deserto. Recomendo!

4. Melhor lugar para se hospedar em Lima

Fique em Miraflores. Não tem conversa.

Eu fiquei no Red Radisson Miraflores, no melhor ponto do bairro. Região segura, cheia de bares e restaurantes, e a 10 minutos de caminhada da orla.

Tem muitos outros hotéis nessa que é a melhor área de Lima para turistas. Por exemplo, o bom e barato Ibis Budget Miraflores, e o superdescolado Selina Miraflores.

Quer luxo? Fique no hotel 5 estrelas AC Hotel by Marriott, ao lado do Larcomar Shopping e com uma vista maravilhosa para o Oceano Pacífico.

Para conferir as melhores localizações em outras áreas, confira o guia Onde ficar em Lima: melhores bairros, onde listei dicas de hotéis em Miraflores, San Isidro, Barranco e no Centro Histórico, dos mais baratos aos mais luxuosos.

5. Como se deslocar em Lima

Apesar de ter mais de 8 milhões de habitantes, Lima não possui metrô. A única linha do trem de superfície passa longe dos pontos turísticos da capital.

Preferi evitar os ônibus lotados e utilizei apenas Uber para circular pela cidade.

O aplicativo Uber é o mesmo utilizado no Brasil e achei os preços bem similares. A única diferença é que as cobranças são internacionais. Portanto, se você cadastrar seu cartão Wise ou um similar, vai pagar apenas 1,1% de IOF, em vez dos 4,38% dos cartões comuns.

Para ir do hotel em Miraflores até o Centro Histórico de Uber, gastei cerca de 30 soles. O problema foi conseguir carro, pois, sabendo do trânsito infernal no centro, os motoristas cancelavam a corrida. Levei meia hora até conseguir embarcar.

De Miraflores até o bairro Barranco, foram 15 soles e tive mais facilidade em conseguir um carro do Uber, pois o trânsito pra lá é mais leve.

Em Lima também funciona o aplicativo Cabify. Inclusive, tem muita propaganda dele nas ruas. Mas, na hora de chamar um carro fica complicado. Todas as minhas tentativas terminaram em cancelamento por parte dos motoristas.

Aluguel de carro e condições das estradas em Lima

Enquanto pesquisava para viajar, li em vários lugares que o trânsito em Lima era muito louco, que não tinha regras, que seria impossível dirigir lá. Cheguei esperando encontrar um tráfego padrão Egito.

Mas a realidade não é bem assim.

De fato, há muitos congestionamentos e o pessoal usa bastante a buzina, especialmente no Centro de Lima. Mas em Miraflores e no Barranco, regiões turísticas, achei os motoristas civilizados, até mais do que em São Paulo, por exemplo.

E as estradas litorâneas rumo a Paracas e depois para Huacachina, estavam em perfeitas condições, todas duplicadas e bem sinalizadas. Padrão europeu.

Por isso, se quiser alugar em carro em Lima (preços aqui) para ir explorar algumas praias e atrações por conta própria, acho viável e seguro. Desde que você evite ir rumo ao Centro Histórico e tente não sair do hotel na hora do rush.

6. O que vale a pena fazer em Lima

Aqui vai uma lista com opiniões reais e muito sinceras sobre os principais pontos turísticos e passeios em Lima:

Centro Histórico de Lima

A região é imensa e tem lugares completamente distintos. Recomendo a visita ao Museu de Arte de Lima, que guarda uma impressionante coleção de objetos incas. E siga até a Plaza Mayor de Lima, lugar mais bonito da região.

O meio do caminho parece o centro de São Paulo, um pouco melhorado e mais seguro, mas igualmente lotado e barulhento. O ápice da multidão é o Barrio Chino. Fui ao Mercado Municipal, mas o cheiro tornou a visita impossível, então vi só o primeiro corredor e saí correndo.

Este Free Tour em Lima é um bom jeito de conhecer as principais atrações do Centro Histórico, com um guia de turismo que sabe tudo sobre a cidade. A reserva é grátis, e ao final do passeio você contribui com o valor que achar justo.

Explore o Barranco

É o bairro artístico e boêmio de Lima. Tem muitos muros grafitados e concentra os melhores restaurantes de Lima. Inclusive o Melhor restaurante do mundo fica no Barranco.

A parte mais interessante do bairro é o Parque Parra, que vai de um viaduto grafitado e “instagramável” até um mirante para o mar, na encosta da falésia.

Percorra Miraflores

Como falei acima, Miraflores foi onde me hospedei em Lima, e considero o melhor local para viajantes na cidade.

Apesar de ser muito prático e agradável, há poucos lugares no bairro que podem ser considerados turísticos.

Entre eles, destaque o Larcomar Shopping, um elegante centro comercial encravado na falésia, onde estão dezenas de lojas e restaurantes, alguns deles com vista para o mar.

Ao lado do shopping, o Malecón de Miraflores é um parque também debruçado sobre o Oceano Pacífico, com bonitos jardins e uma vista espetacular.

Paracas e Huacachina

Ter comprado este tour de Paracas e Huacachina foi a melhor ideia que eu tive na viagem. O passeio começa na madrugada e só termina no final da noite.

Puxado. Mas é um dia riquíssimo de atividades e paisagens. Visitamos os leões-marinhos nas ilhas da costa de Paracas, 260 km ao sul de Lima, e depois fomos a Huacachina, um oásis entre dunas altíssimas no deserto, onde tínhamos passeio de buggy e surfe na areia já incluídos.

7. Dica de roteiro em Lima

Sabendo as principais atrações, fica fácil montar um roteiro em Lima. Passei 5 dias e 4 noites em Lima e meu roteiro ficou assim:

  • Dia 1 – Chegada, traslado do Aeroporto para Miraflores e jantar no restaurante Los Pescados Capitales, o melhor ceviche que já comi;
  • Dia 2 – Passeio no Centro Histórico de Lima: Plaza San Martín, Museu de Arte de Lima e Plaza Mayor. Pôr do sol no Malecón de Miraflores e jantar no Shopping Larcomar;
  • Dia 3 – Tour de um dia a Paracas e Huacachina, o melhor e mais cansativo dia da viagem;
  • Dia 4 – Passeio no Bairro Barranco, almoço na tradicional cantina Canta Rana. Tarde livre. No meu caso, fui ao shopping. Mas pode ser um passeio de bicicleta na orla, por exemplo;
  • Dia 5 – Se tiver tempo, explore o entorno do seu hotel. E vá com antecedência ao aeroporto, pois o trajeto pode levar mais de uma hora, devido ao trânsito intenso.

8. Comidas e dicas de restaurantes

Tive a oportunidade de visitar o Central, eleito o melhor restaurante do mundo. Mas ele está longe de ser o melhor lugar que eu comi em Lima.

O melhor ceviche que provei foi no Los Pescados Capitais, restaurante que provou ser mais do que um excelente trocadilho.

Gostei do ambiente animado e das sobremesas, como o Suspiro Limeño, do Panchita Miraflores, que me pareceu ser um local bastante tradicional das famílias de Lima.

O sanduíche de carne do bom e barato La Lucha é uma ótima pedida para um lanche ou fim de noite. É uma rede, com várias unidades em Lima.

Falando em noite, a República del Pisco tem um ambiente legal e é especializado no melhor drinque peruano. O pisco, obviamente.

9. Preços e quanto gastar em Lima numa viagem confortável

Além da passagem aérea, outros dos maiores gastos da viagem a Lima serão com hospedagem, alimentação, passeios e transporte.

Para ter uma noção inicial, o custo de vida em Lima é similar ao de grandes cidades brasileiras, como São Paulo e Brasília.

Inclusive, achei os preços nos restaurantes de Lima, assim como os preços para andar de Uber, bem parecidos aos do Brasil.

Médias de preços em Lima:

  • Ceviche individual em bons restaurantes: de 40 a 70 soles
  • Lomo saltado (filé com fritas e arroz) em bons restaurantes: 50 a 70 soles
  • Drinque de pisco nos melhores bares de Miraflores e Barranco:
  • Suco tradicional “Chicha Morada”:
  • Hotel bom e barato em Miraflores: 200 a 300 soles a diária
  • Hotel 4 estrelas em Miraflores: 300 a 500 soles a diária
  • Hotel 5 estrelas com vista para o mar: 400 a 700 soles a diária
  • Uber do Aeroporto de Lima para Miraflores: 50 a 60 soles
  • Uber de Miraflores para o Centro Histórico de Lima: 20 a 28 soles
  • Uber de Miraflores para o Barrio Barranco: 17 a 25 solres
  • Passeio para Huacachina e Paracas de 1 dia: 515 soles

Dessa forma, para um roteiro 4 dias e 3 noites em Lima, os gastos ficarão a partir de 1.640 soles por pessoa, além da passagem aérea.

Na cotação de hoje, seriam R$ 2.185.

Isso, como falei no início, para um viagem confortável, com hospedagem em hotel 4 estrelas, todas as refeições em restaurantes e todos os trajetos em Uber ou Táxi. E inclui também o passeio para a praia e o oásis de Huacachina.

10. Vale a pena viajar a Lima?

Sim, sem dúvidas! Como falei no início, Lima é muito mais do que uma conexão a caminho de Machu Picchu.

A capital peruana merece um roteiro todo dedicado a ela, além de ser uma excelente base para fazer os principais passeios dessa região litorânea do Peru.

Fique pelo menos os 3 dias inteiros que recomendei, e aproveite a excelente gastronomia, visite o centro histórico e faça passeios nas dunas e de barco para observar a magnífica vida marinha da costa peruana.

Inclusive, se tiver tempo de ir apenas a Lima, não perca tempo e compre sua passagem para desfrutar essa que é uma das mais interessantes capitais da América do Sul.

Continue planejando sua viagem ao Peru

Essas dicas de Lima nasceram após minha segunda viagem ao Peru. Aqui no blog você também encontra dicas sobre outras regiões do país, muito além da capital.

Veja tudo o que já falamos sobre o Peru e, em caso de dúvidas, fale comigo aqui pelo comentário ou mande um email para nivaldo@buenasdicas.com.

Desejo a você uma excelente viagem.

Reserve hotéis, ingressos, passeios e seguros com os parceiros do Buenas Dicas.

Você não paga nada a mais, e o blog recebe uma comissão.

Conheça nossos parceiros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 Comentários

  1. Oi Nivaldo, o seu blog foi o melhor que eu li sobre Lima. Adorei a sinceridade. Parabéns!
    Queria saber sobre chip de internet. Gostaria dos nacionais locais mesmo como Claro ou Movistar por exemplo. Você usou algum desses e gostou? Comprou em loja de Miraflores? Não há no aeroporto, né?
    Obrigada!!

    1. Oi Laura!

      Eu sou cliente Claro pós, então pra mim compensa ativar o Pacote Mundo. Custa menos de R$ 300 e é válido por 1 ano, na maioria dos países. Desde que tenha o intervalo de um mês entre uma viagem e outra. Se você pensa em fazer mais de uma viagem internacional esse ano, vale a pena.

      Eu gosto de já chegar com internet, então não compro esses chips locais. A única vez que comprei, na Argentina, não consegui ativar.

      O blog tem parceria com muitas empresas de chip internacional, e até a última vez que eu tinha olhado, não tinham planos com custo justo para América Latina. Mas conferi aqui, e encontrei duas boas oportunidades:

      Se seu celular tiver eSim, esse plano da Airalo para o Peru tá com preço justo. Ainda não comprei com essa empresa, mas é bem avaliada.

      Na O Meu Chip, que já usei, tem um chip pra América Latina não muito caro.

      Boa viagem! Qualquer dúvida é só perguntar de novo.

  2. Oi Nivaldo, bom dia.Estou adorando seu blog, e fiquei com uma dúvida – nossos planos de viagem incluem Lima, Huacachipa, Macchu Picchu etc.Minha primeira dúvida é sobre dinheiro – tudo aceita cartão ou é bom se planejar em levar bastante dinheiro em espécie?Se sim, levar dolar e troca lá? Como sugere?Abs

    1. Fala Rafael!

      Escrevi esses dias o post sobre Câmbio no Peru. Resumo aqui pra você: usei cartão de crédito em 99% dos gastos. Só precisei de dinheiro pra comprar água de ambulantes nos passeios, além de presentes em lojinhas. Algumas delas até aceitavam cartão, mas preferi pagar em dinheiro por serem valores muito baixos.

      Meu cartão Wise falhou algumas vezes, como infelizmente costuma acontecer com ele. Por isso tenha também um cartão do seu banco.

      E leve Real, a cotação é boa em Lima. Tem casas de câmbio pra todo lado em Miraflores. Se precisar de mais dicas de Lima, é só falar. Boa viagem.