Listas sobre o que fazer em São Paulo são sempre incompletas, já que é impossível conhecer a cidade inteira. Por isso vou focar nas atrações principais, mas também mostrando como viver uma experiência única, em lugares incríveis que só São Paulo tem e não são muito divulgados. Morando há 5 anos em São Paulo e sendo turista na própria cidade, quero oferecer esse olhar diferente, sem deixar de lado os clássicos paulistanos.

Por que acho que posso dar essas dicas com propriedade? Já morei, trabalhei e estudei nos principais bairros de São Paulo. E antes de ser morador, também fui turista. Além de ser curioso por natureza: estou sempre em busca de passeios diferentes, restaurantes legais, parques, museus, feiras, gastronomia típica e lugares tradicionais e históricos para conhecer, fotografar e indicar.

• Veja também: Onde ficar em São Paulo10 melhores praias de São Paulo

Pontos turísticos básicos

Quase todo mundo que vem fazer turismo em São Paulo pela primeira vez, faz questão de conhecer estes lugares. São os principais pontos turísticos de São Paulo, atrações que realmente merecem uma visita. Pra quem não tem tempo de sobra, a notícia boa é que dá pra conhecer vários desses lugares num mesmo dia.

• Mercadão | vá na hora certa e coma sem parar

Meio sanduíche basta pra muita gente | Foto de Alessandro Leite
Meio sanduíche basta pra muita gente | Foto de Alessandro Leite

Inagurado em 1933, em estilo alemão, influenciado pelo Mercado Central de Berlim, a arquitetura da bonita fachada externa é o que menos atrai as pessoas para o Mercadão. O que importa mesmo está lá dentro, nas bancas de frutas e outras comidas do 1º andar e especialmente nas lanchonetes do 2º andar. É lá no segundo piso que estão os famosos e imensos sanduíches de mortadela.

Dica esperta: aos sábados e domingos, a partir do meio-dia, o Mercadão fica lotado e a fila costuma ser demorada nos restaurantes, principalmente no mais famoso, o Hocca Bar. Se não quiser esperar, vá mais cedo. Depois das 15h começa a ficar mais tranquilo.

Onde comer no Mercadão: Hocca Bar, Mortadela Brasil e Bar do Mané.

Preço: o sanduíche básico de mortadela, sem queijo e outras frescuras, está em média R$ 14.

Dias e horários de funcionamento do Mercadão: aberto de terça a domingo, das 6h às 18h. Fique atento a possíveis mudanças no Portal do Mercadão.

 

• MASP | interessante por dentro e por fora

sao-paulo-masp

O mais importante museu da América Latina e símbolo de São Paulo, o MASP merece sua visita: pode ser para apreciar o imenso acervo, com obras de mestres como Renoir, Monet, Van Gogh e Diego Rivera (consulte aqui o acervo completo), ou pode ser simplesmente para apreciar a arquitetura externa do museu e da vista a partir de seu icônico vão central, palco de grandes eventos e protestos em São Paulo.

Preço do ingresso: R$ 15 e meia e R$ 30 a entrada inteira. (Site de venda de tickets do museu). Entrada gratuita às terças.

Dias e horários de funcionamento: Terça a domingo: 10h às 18h (bilheteria aberta até 17h30) Quinta-feira: 10h às 20h (bilheteria até 19h30) – Em julho o museu está aberto todos os dias.

 

• Pinacoteca do Estado | só pra dizer que foi

pinacoteca o que fazer em sao paulo

Em frente à Estação da Luz, é uma atração fácil de visitar, mas não considero que seja um lugar essencial. No acervo estão obras de Victor Brecheret, Tarsila do Amaral, Portinari, Anita Malfatti, entre outros artistas nacionais e internacionais. Fundado em 1905, é o mais antigo museu de arte de São Paulo e se destaca mais pela própria arquitetura do que pela coleção (exceto pra quem é fã de esculturas). Além da coleção fixa, recebe diferentes exposições ao longo do ano, que você pode acompanhar aqui no calendário.

Preço da entrada: R$ 6 a inteira e R$ 3 a meia. Em meses de férias, como julho, a entrada geralmente é gratuita às quartas e sábados. Vale ficar de olho no site oficial.

Dias e horários de funcionamento: quartas a segunda, das 10h às 17h30, com possibilidade de permanência até 18h

Dica esperta: vá de metrô e desembarque na histórica Estação da Luz.

 

Passeios grátis em São Paulo

Máquina capitalista por vocação, São Paulo dá uma chance pra quem gosta mesmo é de passeios grátis. Vou listar as principais opções, especialmente pra quem vem fazer turismo em São Paulo pela primeira vez. Tem parque, avenidas fechadas e, como tudo em São Paulo, uma multidão de gente junto. Olha só o que fazer em São Paulo sem gastar nada.

• Parque Ibirapuera | Pra respirar menos fumaça

ibirapuera sao paulo

Não é o maior, mas sem dúvidas é o mais importante e frequentado parque de São Paulo. Pra quem vem fazer turismo em São Paulo, recomendo gastar pelo menos umas duas horas andando pelo Ibira. Além de servir como uma pausa no caos da cidade, a visita é boa para apreciar o conjunto arquitetônico do parque, com obras como a OCA, o Auditório Ibirapuera (de Oscar Niemeyer) e o Pavilhão Ciccillo Matarazzo, onde a cada dois anos acontecer a Bienal de São Paulo. E do lado de fora do parque estão dois marcos da cidade: o Obelisco de São Paulo e o Monumento às Bandeiras.

Dica atlética: vá de tênis e bermuda, preparado pra correr. Durante a semana, com o parque mais vazio, é legal andar de bicicleta ou skate. É possível alugar a bike do Flávio Bike (estava R$ 5 a hora quando pesquisei), ou procurar uma estação do Bike Sampa nas redondezas (o serviço está decadente, mas ainda funciona).

 

• Avenida Paulista aos Domingos | Pra ser feliz com gente feliz

Durante a semana, a Avenida Paulista é apenas uma ultra movimentada avenida. Demorada pra atravessar, barulhenta e enfumaçada. Aos domingos, ela vira um imenso espaço cultural, com artistas de rua, famílias e uma atmosfera única na cidade. É um passeio realmente imperdível. Carente de parques, a população de São Paulo abraçou essa ideia com todas as suas forças.

Horários: somente aos domingos, a avenida fica aberta exclusivamente para pedestres e ciclistas das 10h às 19h. Como esse assunto gera altas polêmicas, é bom ficar ligado em atualizações de horários.

Alternativa: no centro, o Minhocão também fecha só para pedestres aos domingos e é um bom lugar para correr e pedalar, com bem menos gente do que na Paulista.

 

• Rua Oscar Freire | Pra dar só uma olhadinha

A rua da ostentação em São Paulo. As mais luxuosas grifes do mundo tem loja aqui. As principais marcas brasileiras também estão presentes em lojas modelo. É um passeio grátis se você estiver apenas “dando uma olhadinha”, porque não faltam opções para você abrir a carteira na Oscar Freire. Além das lojas, a rua também tem alguns cafés, que dão todo um charme ao passeio, especialmente nos dias frios de inverno.

Dica de horário: à noite e aos domingos é mais vazio, mas nem todas as lojas estão abertas. Durante os dias de semana o movimento é normal, sem parecer um shopping a céu aberto. Se quer movimento, a dica é ir no sábado à tarde, logo depois do almoço. Bom pra ser assaltado tomar um sorvete nas sorveterias gourmet da rua.

 

• Rua 25 de março | E aí, vai encarar?


Taí meu maior pesadelo em São Paulo. Mas se você não se importa em lutar contra a multidão, andar pela 25 de março é uma boa pedida para encontrar produtos muito baratos. Tem de tudo. Lojas de perfumes, lojas de roupas, lojas de suplementos, lojas de tecnologia e uma infinidade de galerias, quiosques, bancas e vendedores ambulantes.

Como chegar na 25 de março: não invente de ir de carro, táxi, uber, cabify ou ônibus. O melhor transporte até a 25 de março, que vai livrar você de um trânsito infernal, é o metrô. Pegue a Linha Azul e desça na Estação São Bento. Fique atento ao mapa do metrô de São Paulo.

 

• Passeio no Centro de São Paulo

Só depois de 4 anos morando em São Paulo é que eu fui ter ânimo pra dar uma volta completa no centro. Pena que não fiz isso antes. Em vez de andar só um pouco em volta das estações de metrô, faça o passeio completo. Sim, você vai ver uma galera bem estranha e uma turminha da pesada, mas tem muita gente como a gente no centro. Também tem bons restaurantes, chopp gelado e muitos prédios históricos pra fotografar (sem dar muita bandeira com o celular).

Dica de roteiro pelo centro: desça na Estação República do metrô e dê uma olhada na Praça da República. Ande alguns metros até o Bar Brahma, na esquina da Ipiranga com a São João, cantada por Caetano Veloso. Volte até a praça e entre na Rua Barão de Itapetininga, exclusiva para pedestres e cheia de galerias históricas: o mais legal da rua são as lojas de brinquedos. Em uma das primeiras galerias, estão lojas de brinquedos antigos, tipo aqueles que você quebrava quando era criança.

brniquedos antigos em são paulo
Brinquedos antigos na rua Barão de Itapetininga

Continuando o passeio no centro: siga pela Barão de Itapetininga até o imponente Theatro Municipal (agenda aqui).  Continue em linha reta e passe pelo Viaduto do Chá: à sua direta vai estar o Shopping Light e em seguida a Prefeitura de São Paulo, dois prédios muito fotogênicos. Atravesse a pista e entre à esquerda do largo à frente, na Praça do Patriarca. Siga reto pela Rua da Quitanda até o CCBB(agenda aqui), onde acontecem mostras bem legais. Vire à esquerda e siga até lugares os três lugares mais legais pra curtir no centro, um pertinho do outro:

Bar Salve Jorge: bons pratos, bons petiscos e um ótimo chopp. Não é barato, mas o visual do centro histórico na frente faz valer a visita.

Casa Mathilde Doces Portugueses: se tem em Portugal, tem na Casa Mathilde. Doceria grande e com um bom ar-condicionado pra se refrescar da caminhada.

Edifício Martinelli: suba ao mirante de um dos prédios mais altos de São Paulo. O passeio é grátis e tem mais detalhes sobre ele no link.

 

Dicas de onde comer em São Paulo | restaurantes, feiras e ruas gastronômicas

Quando me perguntam o que fazer em São Paulo, a resposta está na ponta da língua: COMER. Não faltam bons restaurantes, feiras, padarias e ruas inteiras pra você comer as melhores comidas típicas de São Paulo. Vou listar alguns lugares essenciais nos seus dias de turismo em São Paulo.

• Padarias: pra conhecer uma legítima e imensa padoca paulistana, vá na Bella Paulista (endereço e fotos aqui), que fica no bairro da Consolação, pertinho da Avenida Paulista. Ela inclusive está no nosso ranking do pão na chapa. Outra padaria que eu recomendo, é a Mr. Baker, que tem dezenas de tipos de pães, brownies um delicioso cookie de chocolate e uma honesta pizza quadrada.

• Pizzarias: consagradas há anos como as melhores de São Paulo, a Bráz, a Margherita e a Camelo agora disputam território com as novas e deliciosas Leggera e Napole Centrale. Na dúvida, experimente todas.

• Hambúrguer: São Paulo tem dezenas de boas hamburguerias. Fique de olho no nosso mapa de hamburguerias de São Paulo. Pra saber as tendências do momento no mundo dos sandubas, veja as avaliações do site Hambúrguer Perfeito.

• Ruas Gastronômicas: a Rua Avanhandava é sucesso entre turistas, mas quem conhece São Paulo de verdade dificilmente vai lá, por ser meio fora de rota e pelos preços acima da média. Recomendo andar pela Rua dos Pinheiros, perto do metrô Fradique Coutinho, onde tem restaurantes baiano (Consulado da Bahia), polonês, alemão (Fast Berlim), italiano, suíço e boas hamburguerias e pizzarias, como a nova Braz Elettrica.

• Feiras: pastel, tapioca e muitas frutas e coisas de casa e cozinha. Nas feiras de São Paulo você encontrar quase de tudo, além dos típicos feirantes paulistanos. Mapa e agenda de feiras.

 

Dicas alternativas | Fora da rota turística é mais legal

É bom conhecer os pontos turísticos de São Paulo, mas é melhor ainda aproveitar o outro lado da cidade, que tem ainda mais parques, atrações e coisas legais acontecendo. Olha só o que fazer em São Paulo fora do óbvio.

 • Parque Villa-Lobos

É o melhor parque para praticar esportes em São Paulo. O Villa-Lobos tem ciclovia, cestas de basquete, pista de patins, quadras e áreas específicas para diversas atividades. E ainda tem um orquidário bonito por dentro e por fora, além de atividades culturais, como o dia do blues e aulas gratuitas de yoga (notícias do parque aqui). Para quem tem cachorro, o Villa-Lobos tem uma das únicas área de São Paulo em que se pode soltar os bichos, um grande cercado que vira uma verdadeira área de lazer pra cachorros.

Shopping ao lado: se quiser ver um filme ou fazer umas compras, ao lado do parque tem o Shopping Villa-Lobos.

Dica de transporte: na extrema zona oeste e fora do eixo comercial turístico de São Paulo, o jeito mais barato de chegar ao parque é de trem. Pegue a Linha Amarela do metrô até a estação Pinheiros, faça a conexão com o trem e desça na estação Villa Lobos- Jaguaré, em frente ao parque.

Endereço: Av. Professor Fonseca Rodrigues, 2001

 

• Parque do Povo

parque do povo o que fazer em sao pauloParque pequeno e muito funcional. Tem uma ciclovia ao redor, que se conecta com a ciclovia da Marginal Pinheiros. Tem um bom gramado para curtir a tarde de sol. Mas o melhor mesmo é a vista futurista para as torres prateadas, a marginal e os trilhos do trem. É o meu parque favorito pra correr em São Paulo, por não ficar lotado de gente como o Ibirapuera e ter boa parte da pista na sombra.

Shopping de luxo ao lado: combine esse passeio com uma visita ao luxuoso shopping JK Iguatemi, que fica logo ao lado. É um dos lugares mais óbvios pra encontrar celebridades em São Paulo. No JK eu já esbarrei no Roberto Justus, no Juca Kfouri, em duplas sertanejas, blogueiras famosas e apresentadoras da Globo. Nas vitrines, não é difícil achar joias, roupas e relógios mais caros do que a sua casa.

 

•  Mercado de Pinheiros

mercado de pinheiros foto dentro

Como já falei aqui no blog, o Mercado de Pinheiro é melhor do que o Mercadão sem a menor dúvida. Não faltam motivos pra essa afirmação. Resumindo: a localização é melhor, as bancas são melhores e mais baratas e a comida é muito melhor. Pra se ter uma ideia, dentro do Mercado de Pinheiros está um dos melhores restaurantes peruanos de São Paulo, a melhor pizzaria e ainda tem um empório do Alex Atala, loja de cervejas artesanais e uma loja de fumos do tempo do arco da velha.

Onde comer: o excelente peruano é a Comedoria Gonzales (saiu no Destemperados) e a melhor pizza de São Paulo é a Napole Centrale.

Como chegar: facílimo, é só pegar a Linha Amarela do Metrô, descer na Estação Faria Lima e andar apenas dois quarteirões.

Dica esperta: os restaurantes ficam lotados aos sábados em horário de almoço. Pra não pegar fila, vá depois dos horários de pico, mais pro meio da tarde.

 

 • Cinemas de Rua

cinesala sao paulo

Cada vez mais raros no Brasil inteiro, os cinemas de rua estão virando uma coisa retrô. Em São Paulo restam poucos e bons. Eu adoro cinema de rua pelo simples fato de odiar shopping. Se você quer aproveitar esse lado cultural de São Paulo, indico algumas boas salas.

• Cinesala: uma única e aconchegante sala de cinema no efervescente bairro de Pinheiros. Tendência a passar mais filmes cults e fora do eixo de Hollywood. Em 2016, Foi eleito , pela Folha de São Paulo, o melhor cinema com bombonière da cidade. (agenda aqui)

• Kinoplex Itaim: se estiver no Itaim Bibi, que considero o melhor bairro para se hospedar em São Paulo, vá tomar um sorvete e curtir um filme no cinema desse pequeno complexo comercial a céu aberto.

• Cinemas da região da Avenida Paulista: na avenida e suas imediações tem bons cinemas de rua, como o Espaço Itaú de Cinema, na Rua Augusta, o Cinearte do Conjunto Nacional e o Cinema Reserva Cultural São Paulo.

 

• MIS | o lado legal da arte

exposicao mis sao paulo

O Museu da Imagem e do Som de São Paulo atrai centenas de milhares de visitantes em suas exposições. Já passaram por lá as mostras de Stanley Kubrick, David Bowie, Castelo Rá-Tim-Bum, Silvio Santos, Renato Russo e Steve Jobs. Se você é como eu e não perde muito tempo olhando quadros, seu lugar é no MIS.

Agenda: pra combinar sua viagem com alguma mostra do MIS, fique de olho na agenda.

Dica esperta: todas essas exposições que eu citei atraíram multidões que formavam filas de dar volta no quarteirão. Coisa de 4 horas ou mais de espera. Pra evitar as filas, visite o MIS em dias de semana em horário comercial. Comprar o ingresso antecipado também ajuda. Fique de olho no site oficial do museu.

 

• Vida noturna

Impossível falar de tudo o que acontece na noite paulistana. Por isso vou citar as principais concentrações de gente e balada na cidade que nunca dorme, generalizando o máximo possível. Se quiser dicas de bares e restaurantes nessas e outras regiões é só perguntar nos comentários.

• Vila Madalena: bares e botecos de todos os tipos. Difícil generalizar, mas vamos chamar de hippie-alternativo-chique para baladeiros e botequeiros de 18 a 100 anos. Muitos lugares com shows ao vivo e bares clássicos como Pé de Manga, Astor e Mercearia.

• Vila Olímpia e Itaim Bibi: onde a high society (e aspirantes) se encontra. Baladas caríssimas e boates sertanejas como Woods e Villa Mix dominam a noite.

• Baixo Augusta: mundo alternativo que está se gourmetizando. Boates, botecos, bar de tapas, restaurantes vegans, padarias, gente que passa a noite no meio da rua bebendo catuaba. Na Rua Augusta e imediações tem de tudo.

 

• Bate e volta na praia ou na serra

Dia de sol na Praia da Massaguaçu | Foto da Prefeitura de Caraguá

Uma das melhores coisas a se fazer em São Paulo, é sair de São Paulo. Se o excesso de prédios cansar você, dê um pulo na praia. Tem excelentes praias perto da capital, em viagens que levam de 1 a 3 horas de carro (isso se você não inventar de pegar a estrada numa véspera de feriado). Dê uma olhada nesta lista: Praias SP: 10 melhores praias de São Paulo.

Outro famoso bate e volta dos paulistanos é para a Serra da Mantiqueira, onde fica Campos do Jordão. A cidade ferve no inverno, com boa programação cultural. E em qualquer época do ano, sua arquitetura europeia, suas casas de chocolate e pontos turísticos charmosos valem pelo menos um passeio rápido.

 

Tem mais dicas sobre o que fazer em São Paulo?

Ufa, esse post cansou. Mas olha que não cheguei nem na metade de uma possível lista completa, com realmente tudo o que fazer em São Paulo. Faltam muitos restaurantes, alguns parques, uma dúzia de museus, dicas de bate e volta e outras coisas legais pra fazer na Selva de Pedra. Pretendo acrescentar coisas novas à medida que for redescobrindo a cidade. Aceitos dicas! Afinal, ninguém conhece bastante uma cidade com mais de 12 milhões de habitantes e 463 anos de idade. Mande dicas!

Vão do Masp. Se busca o que fazer em São Paulo, não deixe de passar por aqui.
Vão do Masp. Se busca o que fazer em São Paulo, não deixe de passar por aqui.
Salão Circus, na Rua Augusta. Grande, estiloso e exótico, a cara de São Paulo
Salão Circus, na Rua Augusta. Grande, estiloso e exótico, a cara de São Paulo
theatro municipal sao paulo
Theatro Municipal de São Paulo, passagem obrigatório para quem anda pelo centro histórico.

 Como economizar na viagem:  

  • Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
  • Seguros Promo: compare preços de seguro viagem (cupom de desconto: BUENASDICAS5)
  • RentCars: compare preços de aluguel de carro

Escreva seu comentário