Booking.com

Sim, é possível ir de Montreal a New York de trem. E foi assim que fiz essa viagem, considerada a rota mais bonita da América do Norte. Cruzando o sul de Quebec, a fronteira entre Canadá e Estados Unidos e toda a extensão do estado de NY, entre lagos e florestas de rara beleza, concluí: vale a pena evitar o avião!

É uma viagem longa. São 600 quilômetros de distância entre Montreal e Nova Iorque. De ônibus, o tempo de viagem é de 8 horas. Um avião comercial faz em 1h10. De trem, foram exatamente 10 horas a bordo. Agora vou contar os detalhes, como onde comprar as passagens, preços e detalhes por dentro dos vagões. Tudo com muitas fotos do trem e da paisagem pelo caminho, boa parte entre o lago Champlain e as montanhas Adirondack.

Onde comprar a passagem

A única empresa que faz a rota entre Montreal e Nova Iorque é a norte-americana Amtrak. Ela é uma estatal federal dos Estados Unidos e opera em todo o território nacional. Cada rota tem um nome. Essa viagem entre Quebec e NY se chama Amtrak’s Adirondack. Recomendo comprar sempre pelo site oficial da empresa. Foi onde comprei, com cartão de crédito internacional. A passagem é vendida em Dólar e é uma compra no exterior, então tem cobrança de IOF.

Outro site confiável para comprar a passagem é o Wanderu, plataforma de comparação de preços de serviços de viagem, como trem, ônibus, passagens aéreas e hotéis. Geralmente os preços são similares, mas é possível encontrar passagens mais caras ou mais baratas do que no site oficial. Por isso é importante pesquisar. Comprei com eles quando fui de trem de Toronto para Montreal e não tive problemas.

Preços da passagem

Paguei 70 Dólares Estadunidenses (Equivalente a R$ 271 na cotação de hoje) na tarifa VALUE, que permite reembolso de 100% se cancelar a compra até 8 dias antes da viagem, e embarque com duas malas sem custo extra. Outra tarifa sempre disponível é a FLEXIBLE, hoje vendida por 101 Dólares. Pesquisando diferentes datas, os preços não estão variando. Ou seja, não é como passagem de avião, que os preços mudam de um minuto pro outro. É possível encontrar promoção de última hora, mas recomendo não contar com isso.

Na verdade, é melhor comprar com bastante antecedência do que esperar até a última hora. Como ele é o único trem que faz a rota e sai apenas um por dia, as passagens costumam esgostar. Recomendo comprar com pelo menos um mês de antecedência, especialmente se viajar em feriados internacionais e meses de férias como dezembro, janeiro e junho.

Ah, e não se preocupe em imprimir nada. O ticket é eletrônico. Basta salvar sua passagem no celular, com QR CODE e nome legíveis. É somente isso que o fiscal a bordo precisa conferir.

Embarque em Montreal

Em Montreal, o trem parte da Gare Centrale, que é a Estação Central de Montreal. Localizada no centro de Montreal, é fácil chegar lá de metrô, descendo na estação Bonaventure ou na Square-Victoria–OACI. Vá com uma boa antecedência, pois a estação é grande, fácil pra se perder, e os funcionários da Via Rail (empresa canadense parceira da Amtrak) passam conferindo malas e passagens.

Estação de Trem em Montreal. Embarque feito pela ViaRail, companhia férrea canadense

Imigração na fronteira entre Canadá e EUA

Após cerca de duas horas de viagem lenta pelos subúrbios de Montreal e sul do Quebec, o trem finalmente cruza a fronteira com os Estados Unidos. Não é preciso descer para um posto de imigração ou algo do tipo. O trem para e os fiscais dos EUA entram para conferir passaporte e visto. Comigo foi tranquilo, ele apenas perguntou quantos dias iria ficar em Nova Iorque. Já o casal de australianos no banco ao lado precisou dar longas explicações. A parada durou mais ou menos 50 minutos.

Não tem posto de fronteira ou aduana. Só uma parada no caminho e embarque dos fiscais dos EUA para inspeção.

Por dentro do trem da Amtrak

Após a fronteira, o trem finalmente acelerou. Fui do lado esquerdo, na janela, e acho que acertei na escolha, pois a paisagem era quase sempre melhor do meu lado. Poltrona larga, macia e com bom espaço para as pernas. Reclina um pouco mais que um banco de ônibus. Não tem entretenimento a bordo, como TV ou rádio. Tem apenas WI-FI mas o sinal é ligado apenas nos Estados Unidos e estava péssimo no dia. Dizem que costuma ser melhor, talvez o tempo chuvoso tenha atrapalhada. No caminho, o sinal do celular também é praticamente inexistente. Bom, porque assim temos paz pra curtir o trem e a paisagem.

Poltrona espaçosa. Repare nas tomadas na lateral. 110V, pinos padrão EUA e Canadá
Banheiro do trem, limpo e espaçoso. Muito melhor que banheiro de ônibus ou avião.

Vagão Lanchonete

Logo após a entrada nos EUA foi liberado o vagão lanchonete. Tem apenas um funcionário pra fazer tudo. Ele recebe o pedido, prepara as comidas, serve e recebe o pagamento. O que resulta em fila. No cardápio, sanduíches, refrigerantes, vinho e enlatados. Pedi um Angus Cheese Burger por U$ 7.50 e um chocolate quente por U$ 2. Caro pela qualidade tipo comida de avião. A dica é passar antes no mercado e levar um petiscos e bebidas, assim você gasta menos e evita fila. Vi gente com queijos e vinho, tipo piquenique a bordo.

Vagão Ocean View e sua vista panorâmica

Segui o fluxo, atravessei o vagão principal e entrei pela porta do Ocean View (Great Dome Car). Subi as escadas e me sentei com a melhor vista da viagem. Com janelas na frente e até metade do teto, esse vagão é ideal para ir apreciando a paisagem de ambos dos lados. Cruzando rios, fazendas, florestas temperadas e seguindo pela orla do Lago Champlain, a paisagem é o melhor da viagem.

Reparei em casas que pareciam saídas de filmes, com suas lanchas e churrasqueiras no quintal. Na margem do lago, milhares de patos se lançavam nas águas. Fiz a viagem no início do outono, com as árvores já ganhando diferentes tonalidades. Mas choveu durante todo o trajeto, então imagino que num dia de sol deve ser ainda mais bonito.

Li que trata-se se um trem de alta velocidade, que pode atingir mais de 200 km/h. Mas, devido a limites estaduais, ele segue lentamente, soando seu apito sem pressa ao longo do cênico Hudson Valley. Das 10 horas a bordo, passei pelo menos a metade do tempo no vagão panorâmico, apesar de ter cadeiras menos confortáveis. Mas infelizmente ele fecha nas horas finais da viagem.

Aproximação e chegada em Nova Iorque

Depois da parada em Albany, a mata e os lagos foram dando lugar a grandes cidades. Sem paisagem bonita, o vagão panorâmico foi fechado. Esse último trecho, já de tédio e cansaço, durou cerca de 3 horas. Na chegada em Manhattan já era noite e ainda chovia muito. Pra acabar qualquer chance de visual, o trem entrou em longos túneis.

Finalmente o desembarque na Penn Station, no coração de Manhattan e a poucas quadras da pulsante (e inútil) Times Square. Acabou a calmaria. Hora de descer e enfrentar o mar de gente pra fazer a conexão com o metrô de Nova Iorque. Se for sua primeira vez em NYC e for passar pelo menos 5 dias, já na chegada recomendo comprar o MetroCard (aqui tem um tutorial).

Estação de trem em Albany, única parada pra esticar as pernas no caminho entre Montreal e Nova Iorque.

Ônibus, trem ou avião, qual a melhor forma de ir de Montreal para Nova Iorque?

Por todo esse conforto a bordo e paisagens pelo caminho, acho que vale a pena ir de trem. Mesmo que demore duas horas a mais do que a viagem de ônibus e 9 horas a mais do que em avião. Mas conferi preços também das outras formas de transporte. Ônibus é bem mais barato e pode custa até a metade do preço. Já a passagem de avião, se pesquisar bem e encontrar tarifas econômicas, custa no mínimo o mesmo que o trem.

Então, se é a primeira vez que faz essa viagem de Montreal a NY, ou de NY a Montreal, acho que compensa muito ir de trem. Leva um dia inteiro e fica cansativa no final, mas é uma atração à parte e merece estar no ranking de rotas de trem mais bonitas do mundo. Qualquer dúvida, é só perguntar pelos comentários abaixo. E boa viagem!

Viajar com tudo reservado é bem melhor
  • Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
  • Real Seguros: compare preços de seguro viagem
  • RentCars: aluguel de carro pelo menor preço nas principais locadoras do mundo

Descontos para economizar na viagem

Autor

Criador e principal editor do Buenas Dicas, o blog do viajante inteligente (que é você 😄). Siga nossas redes sociais e para dúvidas, propostas e parcerias, veja nosso contato.

Comentários