Onde se hospedar em São Paulo? Boa pergunta. Mas todo mundo quer ficar perto da Avenida Paulista, seja do lado supervalorizado dos Jardins ou nas ladeiras tumultuadas do Bela Vista. Só que existem bairros bem melhores para escolher seu hotel ou apartamento.

Ok, não é todo mundo que quer ficar perto da Avenida Paulista, mas a grande maioria dos visitantes faz essa escolha na hora de decidir onde ficar em São Paulo. Talvez por não conhecerem nenhum outro ponto de referência na cidade. Talvez por acharem que a região está perto de tudo. Talvez por falta de pesquisa.

Dica: o Booking tem mais de 700 opções de hospedagem em São Paulo, entre hotéis, flats, pousadas e hostels. Além das ofertas de sempre, o maior site de reservas do mundo também dá descontos para hóspedes frequentes. Veja aqui todos os hotéis do Booking em São Paulo.

Primeiro, onde ficar perto da Avenida Paulista

Não sou o fã número 1 dessa região de São Paulo, afinal quase tudo em São Paulo trava o trânsito da Avenida. Protesto contra o aumento da passagem? Na Paulista. Marcha da maconha? Na Paulista. Parada gay? Na Paulista. Movimento dos albinos evangélicos tatuados? Na Paulista.

Mesmo assim, concordo que existem muitos motivos para ficar perto da Av. Paulista, incluindo a grande variedade de cinemas e atrações culturais como o MASP, além da localização estratégica entre o Centro e os Jardins. Além, é claro, das inúmeras estações de metrô da Linha Verde e o fácil acesso às linhas azul e amarela.

Se você já está convencido a ficar perto da Avenida Paulista, é preciso apenas entender as ruas e regiões a rodeiam. Vou dividir o entorno da avenida em 4 regiões principais. Dica para economizar na hospedagem: além de hotéis, a região está cheia de apartamentos para se hospedar pelo airbnb.

• Consolação

Bairro pequeno e multifacetado. Vai da movimentada Avenida Consolação até a Rua Frei Caneca, reduto gay e hipster de São Paulo, passando pela charmosa Rua Bela Cintra e pelo agito sem limites da Rua Augusta. No bairro, já falei sobre o Hotel San Gabriel e o Ibis Frei Caneca, em cujas avaliações você pode ver mais detalhes e dicas sobre a região. Procure ficar nos quarteirões mais próximos à Avenida Paulista. Hotéis Booking Consolação.

• Jardim Paulista

Conhecido popularmente como Jardins, o bairro concentra os restaurantes mais famosos (e caros) de São Paulo, como o D.O.M, do Alex Atala. Mas não pense que dá pra ir a pé em tudo. O bairro é grande, cheio de ladeiras e cortado pela movimentada Avenida 9 de Julho. Procure ficar nos quarteirões mais próximos à Paulista, de preferência entre as alamedas Santos, Jaú e Itu. Se for mais pra baixo, perde a proximidade com o metrô, mas ganha em estilo com a Alameda Lorena e a Rua Oscar Freire. Ofertas Booking Jardim Paulista.

• Bela Vista

Bairro cheio de hotéis e hostels, mas é preciso saber escolher onde ficar por lá. Recomendo se hospedar no máximo até a altura da Alameda Ribeirão Preto. Pra baixo, as ladeiras são impossíveis de subir andando e o clima de centro se intensifica, principalmente na mini-cracolândia que se formou na Praça 14 Bis, na Av. 9 de Julho. Entre os destaques do bairro estão o Shooping Pátio Paulista e o Teatro Gazeta, além da proximidade com o Bixiga, bairro do Centro onde estão as melhores cantinas italianas de São Paulo. Ofertas Booking no Bela Vista.

• Paraíso

Entre a Paulista e o Ibirapuera, vai do clima comercial da parte alta ao estilo residencial beirando o parque. Privilegiando o transporte, recomendo ficar mais perto da Avenida Pauslita, onde estão as estações Brigadeiro e Paraíso do metrô, sendo que essa última conecta as linhas verde e azul. Reservas Booking no Paraíso.

 

Finalmente, os 5 melhores bairros para ficar em São Paulo

No geral eles são seguros, com boas opções de restaurantes, hotéis mais em conta e movimentados na medida certa, sem aquele exagero da Paulista. Cada um tem suas vantagens e desvantagens. Para entender melhor como escolher seu bairro em SP, fiz uma lista com as principais características.

 

5 – Brooklin / Berrini – Para fugir do trânsito mergulhando nele (hotéis aqui)

berrini ponte estaiada
Avenida Berrini vista do terraço do Corporate Centar, ao lado do Shopping Cidade Jardim. Na imagem, dá pra ver a Estação Berrini da CPTM, o Edifício Robocop e a Ponte Estaiada.

O bairro do Brooklin se divide em vários. Novo Brooklin, velho Brooklin, Brooklin… e por aí vai. Mas sem dúvidas sua região mais disputada é o entorno da Avenida Berrini. A Berrini concentra milhares de escritórios, centenas de milhares de pessoas e sem dúvidas, bilhões de carros. Sim, a Berrini tem o pior trânsito de São Paulo. Coloquei o bairro na lista apenas como opção para quem tem compromissos na região. A Berrini deve ser totalmente evitada em horários de pico em ambos os sentidos. Lá não tem essa de contra fluxo. Para onde quer que se vá, tenha paciência. É o olho do furacão.

Facilidades: a região tem bons hotéis e a estação de trem Berrini da CPTM, que se conecta à linha amarela do metrô, que vai até a Avenida Paulista e o Centro. Evite a hora do rush no trem. Se quiser um shopping, na continuação da Berrini tem dois, o Morumbi e o Market Place. Nessa continuação da Berrini também tem a sede paulistana da Rede Globo, onde são apresentados os jornais locais, com a bela vista marrom do Rio Pinheiros. Ainda bem que TV ainda não transmite cheiro.

Desvantagens: Já falei do trânsito né? A Berrini só é a melhor opção se os seus compromissos são exatamente lá.

Reserve aqui seu hotel na região da Av. Berrini

 

4 – Vila Olímpia – Para ser moderno futurista (hotéis aqui)

vila olimpia sao paulo
Cruzamento da Avenida Funchal com a Gomes de Carvalho. Vista de dentro da lanchonete Wendy’s.

A Vila Olímpia está exatamente entre o Itaim Bibi e a região da Berrini, no Brooklin. O bairro é novo, abarrotado de construções, hotéis, prédios espelhados e helipontos. Já saiu em diversas reportagens como o único bairro do mundo que possui mais helipontos do que pontos de ônibus. É também onde se concentram aqueles prédios novos com apartamentos minúsculos.

Desvantagens: como a Vila Olímpia é muito comercial, o bairro é cheio nos dias úteis e praticamente abandonado aos finais de semana. Não espere ver pessoas passeando com cachorros ou padarias abertas aos domingos.

Facilidades: como é, digamos, 90% comercial, o bairro tem ótimos restaurantes de quilo abertos durante a semana. Sem dúvidas bem melhor para comer do que a região da Paulista. Num raio menor que 1 km, a Vila Olímpia abriga dois grandes shoppings centers: o mediano Vila Olímpia, com boas opções de alimentação, e o luxuoso JK Iguatemi, lotado de madames e lojas de grife. Quanto a transporte, o bairro é servido pela estação Vila Olímpia de trem, que se conecta à linha amarela do metrô. A estação é vazia em horários alternativos e lotada na hora do rush.

Reserve aqui seu hotel na Vila Olímpia •

 

3 – Moema – Para ser paulistano de primeira classe (hotéis aqui)

aviao bairro moema

Bairro residencial, logo abaixo do Itaim Bibi. É um bairro tranquilo, que tem um estilo tradicional de São Paulo, com boas padarias, um grande shopping center, boas pizzarias e muita gente andando entre ruas arborizadas. Para os visitantes, Moema conta com alguns hotéis (não tantos quanto o Itaim e os Jardins) e muitos flats. Talvez seja o bairro da cidade que mais tem flats e onde eles têm o melhor custo-benefício.

Desvantagens: Moema também ainda não conta com metrô e, se você não gosta de avião tirando um fino da sua janela, melhor buscar algo mais distante da rota de pouso do aeroporto de Congonhas.

Facilidades: o grande centro de compras do bairro é o  Shopping Ibirapuera, um dos mais antigos de São Paulo. O bairro também tem uma das unidades mais antigas da Pizzaria Bráz, umas das melhores de São Paulo. Algumas regiões do bairro são coladas no Parque Ibirapuera. De táxi ou ônibus, se chega à Av. Paulista em 15 minutos.

Reserve aqui seu hotel em Moema •

 

2 – Pinheiros / Vila Madalena – Para ser cool (hotéis aqui)

O bairro de Pinheiros é um dos maiores da parte “nobre” de São Paulo. Por isso mesmo é bom ver em qual região você pretende ficar. Escolhendo a rua certa, sem dúvidas o bairro é um dos melhores lugares onde ficar em São Paulo. As ruas Cardeal Arco Verde e Teodoro Sampaio são a parte feia do bairro, parecem um centro decadente, mas são excelentes lugares para comprar, respectivamente, instrumentos musicais e móveis. A região do Largo da Batata, um antigo terminal rodoviário, vem sendo revitalizada, tem estação de metrô e fica ao lado do Mercado de Pinheiros, mas ainda é uma região que eu não recomendo para hospedagem, por concentrar muitos casas de prostituição e forrós risca-faca.

Então onde ficar em Pinheiros?

A primeira opção deve ser a Rua dos Pinheiros e quarteirões ao redor, como nas excelentes ruas Mateus Grou e Fradique Coutinho, onde está uma estação de metrô da Linha Amarela. A região é certamente uma das mais descoladas da cidade. Sabe aquela sorveteria vegana? É lá. Aquele petshop para quem cria hasmters? É lá. Aquela hamburgueria da moda? É lá. 90% do que é cool ou vanguarda em São Paulo, surge primeiro nessa região de Pinheiros. Para quem quer se hospedar lá, recomendo o Pinheiros Room, o bonito Grou SP e o simpático Hotel L’Opera, poucas quadras abaixo dos restaurantes e bares da moda. Pertinho das melhores coisas do bairro também está um dos 5 hostels mais bem localizados de São Paulo, o The Pod Hostel.

Reserve aqui seu hotel em Pinheiros 

Dicas do que fazer no bairro: uma atração interessante para visitar em Pinheiros é a feira da Praça Benedito Calixto. De estátuas velhas a roupas hippie, na feirinha você encontra de tudo. É um eterno point de hipster, bem entre as tumultuadas ruas Cardeal e Teodoro. Funciona somente aos sábado, das 14h30 às 18h30.

Vila Madalena. sim, a Vila Madalena, apesar de já ser considerada um bairro independente por vocação e estilo, é na verdade uma sub-região de Pinheiros. Entre ladeiras intermináveis e galerias de fundo de quintal, a Vila Madalena concentra restaurantes da moda e dezenas de bares lotados. Tem bar pra todos os gostos. Isso se você gosta de lugares lotados, é claro. Tem alguns dos melhores hostels de São Paulo.

Desvantagens: poucos hotéis na parte realmente boa do bairro. Os flats que existem ainda foram pouco avaliados no Booking e no Tripadvisor, sistemas de hospedagem mais confiáveis.

 

1 – Itaim Bibi – Para fazer tudo a pé, como as modelos (reserve aqui)

Ciclovia externa do Parque do Povo, na Itaim Bibi com a Marginal Pinheiros

Sem dúvidas a melhor opção para quem vem a negócios e excelente também para os turistas. O bairro concentra as empresas mais modernetes do mundo (Facebook e Google), as maiores agências de modelos da cidade e pelo menos um exemplar de cada bom restaurante, como América, St. Louis, Baruk e Les 3 Brasseurs, além das melhores redes de hotéis, como Tryp e Staybridge, e hotéis mais simples e baratos, como o super bem localizado Hotel Gran Chevalier.

Muitos restaurantes: o Itaim Bibi é provalmente o bairro brasileiro com mais restaurantes japoneses por metro quadrado. E mais restaurantes franceses. Também tem restaurantes espanhóis, cantinas italianas, hamburguerias, sorveterias, churrascarias e excelentes botecos. Ótimo para quem se hospeda a trabalho ou turismo.

O melhor bairro para caminhar em São Paulo: o bairro concentra tudo em poucos quarteirões, que podem ser facilmente percorridos a pé. Diferente de outros bairros de São Paulo, o Itaim Bibi é totalmente plano e suas ruas são paralelas. Assim dá pra andar sem suar e sem se perder. Como o bairro é movimentado noite e dia, considero uma das regiões mais seguros se São Paulo. E se suar de tanto andar, é só parar em alguma das excelentes sorveterias do bairro, como a Vipiteno e a Cuordicrema.

Ofertas em hotéis no Itaim Bibi •

Desvantagens: o Itaim Bibi não possui metrô e tem um trânsito complicado. Mas se locomover é facil, já que é delimitado por grandes avenidas (Nove de Julho, Faria Lima e Juscelino Kubitschek) e sua localização é excelente, entre os Jardins, a Vila Olímpia, a região da Berrini e a Vila Nova Conceição, além de estar a apenas 7 km da Av. Paulista.

Facilidades: o Itaim Bibi não tem um grande shopping center, mas conta com o Brascan Open Mall, um pequeno shopping a céu aberto, com ótima praça de alimentação, onde estão Burger King, Mcdonald’s, Starbucks, Galeto’s, Braugarten e outros, além da rede Kinoplex, livraria Saraiva e alguns serviços. Além de ser próximo ao Ibirapuera, o bairro conta com seu próprio parque: o Parque do Povo, inaugurado em 2008, com ciclovia, pista de caminhada, jardins e gramados.

Mais dicas de onde ficar em SP

Onde ficar em SP de acordo com os melhores hostels > Os 5 melhores hostels de São Paulo

Onde ficar perto do metrô em SP > 5 hostels bacanas e baratos perto do metrô em SP

Onde ficar perto do seu evento > Onde ficar em SP perto do que você precisa

Dicas de albergues > Os 10 melhores hostels de SP

Ainda não se decidiu? Veja mais todos os posts com hostels, pontos de interesses e outras dicas de onde ficar sp

Quando se perguntar onde se hospedar em São Paulo, primeiro pense nos seus compromissos e prioridades. Escolha primeiro o melhor bairro e para você e aí sim pense nos hotéis. Seja a viagem a turismo ou a negócio, siga as dicas do Buenos Dicas.

Fotos: Buenas Dicas; Michell Zappa (Beco do Batman, Vila Madalena – CC BY-SA 2.0)

  • Dicas para economizar na viagem:  
  • Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
  • Seguros Promo: compare preços de seguro viagem (cupom de desconto: BUENASDICAS5)
  • Get Your Guide: ingressos, passeios e experiências no mundo inteiro