Em busca de visões diferentes de viagens e turismo na Colômbia, publico abaixo o relato da Isabela Malkut. Ela fez um roteiro de 11 dias na Colômbia, passando por Bogotá, Cartagena, San Andrés e Providência. Está rico em fotos e detalhes, com dicas de transporte, hotéis, restaurantes e passeios. Boa leitura!

Férias na Colômbia: roteiro de 10 noites e 11 dias por Bogotá, Cartagena, San Andrés e Providencia

Olá pessoal! Vou fazer um relato incluindo todos os destinos da minha viagem pela Colômbia, onde passei por Bogotá, Cartagena, San Andrés e Providencia. Já que tem muito gente que também faz esse roteiro, acho que pode ajudar a esclarecer alguns pontos.

Não contratei nada por agências, pesquisei e fiz meu próprio roteiro, assim acho que fica personalizado e mais barato, fora que ficamos muito mais livres, sem compromissos com grupos ou horários. Fui com meu namorado. Deixando claro que é a percepção que tivemos e as opiniões são pessoais.

O roteiro inicial não incluía Providência. Ficaria os últimos 5 dias da viagem apenas em San Andrés, mas logo que comecei a pesquisar, não tive dúvidas: cancelei meu hotel em SA e reservei outro apenas para poder passar a noite e pegar o avião para Providencia cedo e outro para os últimos 2 dias em San Andrés.

O roteiro final ficou assim:

Última noite em Bogotá, para pegar voo de volta a SP

Reservas de voos e hotéis

• Fiz a reserva dos bilhetes pela Decolar (Avianca) e também da maioria dos hotéis. Pelo Booking, reservei apenas o hotel de Bogotá (15 a 17) e o hotel de San Andrés para uma noite.

• Fiz a compra do  bilhete aérea para Providência diretamente no site da Satena . Apesar do pagamento confirmado desde novembro, não recebi deles o a passagem. O site deles não funciona bem e não consegui contato. Tentei resolver no aeroporto de Bogotá, mas não consegui receber o bilhete, pois tinha que pegar o voo para Cartagena. Só consegui resolver isso 2 dias antes de embarcar para Providência. Eles confirmaram o pagamento, porém o sistema deles não gerou o bilhete, não havia mais assentos no voo que tinha comprado e tiveram que nos acomodar em voos mais tarde, o que no fim foi ótimo pois deu para descansar mais e aproveitar Providência. DICA:  Por mais que tenha seu pagamento confirmado, solicite os bilhetes e confirme que foram de fato emitidos.  O Whatsapp da SATENA funcionou muito bem, contactei e me enviaram os bilhetes por email. Número: +57 313 8816419

Piscina do Hotel Deep Blue, em Providencia

Problema com a Decolar

Tive um grave problema com a empresa na reserva do hotel em Providência. Estava tudo confirmado e a informação é que pagaria diretamente ao hotel. Recebi inclusive e-mails do Decolar, confirmando as reservas e no site també estava tudo ok. Contactei o hotel no dia 16 para ver a possibilidade de antecipar o check-in, já que chegaria muito cedo a Providência. Nesse momento, fui informada pelo diretor do hotel que a minha reserva estava cancelada desde o dia 7 de dezembro, pois o Decolar não havia enviado a eles os dados do meu cartão de crédito. O diretor do hotel me enviou os e-mails de tentativas de contato com o Decolar e nenhum deles foi respondido. Como o hotel não tinha meus contatos, não puderam me informar.

Por sorte o hotel ainda tinha vaga, mas tive que gastar mais, pois a suíte disponível era a mais cara e também tive que trocar de quarto na segunda noite. O Decolar me enviou uma mensagem automática dizendo que a reserva estava cancelada apenas no dia 17/01. Quanto ao ocorrido, vamos entrar com processo contra a Decolar.

DICA: Sempre contacte diretamente o hotel para confirmar sua reserva e para que eles tenham seus dados, caso precisem passar alguma informação.

Alterações na Avianca

Comprei todos os voos diretos, pagamos mais caro por isso e apenas o voo de volta teve conexão, pois tivemos que dormir em Bogotá para depois voltar para SP.

A Avianca fez alterações nos voos e nem se quer nos comunicou, aparecia apenas no Decolar que a empresa fez alteração e eu não sabia qual era. Em contato com a Avianca, descobri que tinham mudado o voo de SP para Bogotá, que seria as 18h50 e que cancelaram também o voo direto de Cartagena para San Andrés. Agora teríamos que ir para Bogotá e depois pegar outro voo para San Andrés 2 horas depois.

Para resumir, nos colocaram num voo SP-Bogotá de madrugada do dia 16/1, o que atrapalhou o planejamento da viagem. O voo de Cartagena para Bogotá atrasou mais de 2 horas, sem nos dar nenhuma explicação. Fomos obrigados a ir para um hotel em Bogotá para pegar um voo da LATAM às 2 h da manhã. E ainda tive a mala extraviada em meu retorno a SP. Me devolveram mais de 24 horas depois. Os funcionários da empresa, despreparados, nos deram várias informação incompletas e erradas. Com certeza vou evitar essa empresa, mesmo que tenha que pagar mais caro.

DICA: leve sempre opções de roupas na mala de bordo e guarde todos os comprovantes, tire fotos e filme se precisar. Sempre confirme seu bilhete diretamente com a cia aérea não confie nas informações que estão no site de reservas. O aplicativo tripcase me ajudou muito nas informações dos voos, terminais, atrasos e portões.

Bogotá – 2 dias de roteiro

→ Entenda onde é melhor se hospedar em Bogota

• Adoramos a cidade,  achei o centro um charme e o clima frio , o que gosto bastante. Não é necessário mais de 2 dias para conhecer as principais coisas.

• Na ida ficamos no hotel Saint Simon, achei bem confortável e num bairro bem legal, próximos a várias lojas e shoppings. O café da manhã é simples, mas de forma geral tem um bom custo-benefício. Na volta, ficamos no Hotel Aloft, que é bem perto do aeroporto. Adorei. É bem moderno e grande. E o quarto é bem equipado, super confortável. Café da manhã e atendimento excelentes.

• Fomos à Plaza Bolívar, visitando os principais pontos turísticos.  Não deixem de ir à Catedral Primada e à Igreja Santa Clara , que é maravilhosa. Igreja Señora del Carmen e também a San Augustin. É tudo bem perto e são lindas. Museu Botero também é muito legal, lá dentro tem um restaurante ótimo, vale almoçar lá depois do passeio.

• Fomos também ao Cerro de Monserrate, é legal e tem uma vista ampla da cidade. Valeu a pena conhecer.

• O restaurante Andrés DC ficava ao lado do nosso hotel, é bem típico e a decoração surpreendente. Tem que conhecer.

• A Trattoria Nuraghe, no centro é bem ruim, demorada, a massa não é fresca e ainda veio crua. Não recomendo.

• Crepe & Waffles adoramos, vale muito a pena. Fomos algumas vezes, também em Cartagena.

Cartagena – 3 dias de roteiro

→ Entenda onde é melhor se hospedar em Cartagena

• A cidade é encantadora, só tenho elogios. O legal é caminhar e se perder pelas ruas do centro. A cada esquina é uma surpresa. Com certeza é uma cidade que vou voltar e para ficar mais tempo.

• Ficamos hospedados na cidade amuralhada, num casarão antigo. A ideia era fazer uma imersão na cultura e história da cidade e nada mais apropriado que isso. O hotel que ficamos foi o Boutique Casa Córdoba Estrella. Excelente localização e atendimento, muito bem decorado e preservado. O hotel tem poucos quartos e o que ficamos era bem amplo e confortável. Os únicos pontos negativos foram o wi-fi que não funcionava no quarto e o café da manhã que era limitado.

• Dos principais pontos turísticos, fomos: Teatro Heredia, Plaza Santo Domingo, Catedral Santa Catalina, Plaza Bolívar, Torre do Relógio e todos esses andando, pois a graça é essa, andar e conhecer. Também fomos ao Castelo de San Felipe de Barajas. Pegamos um táxi do centro para lá e chegamos bem rápido. Evite o horário de sol forte, pois é muito calor (fomos às 16h30).

• Em frente à Torre Del Reloj, do lado de fora, tem um hotel que chama se Monterrey. Lá em cima tem um  café com uma vista muito legal da cidade . É só pedir na recepção para subir.

• Presentes, comprei algumas coisas no centro e outras no Bairro Bocagrande, em frente ao Centro Comercial.  Tem uma feirinha de artesanato que se chama maicaito, tem preços legais e boas opções. Os artesanatos são lindos. DICA: sempre negocie.

• A cidade tem restaurantes incríveis. Fomos jantar no Carmen, no El Gobernador by Rausch e no 1621. Recomendo os 3, mas sem dúvidas  o melhor restaurante foi o 1621 . Ele fica dentro do Sofitel Santa Clara e o atendimento e a comida não impecáveis. O Carmen também é muito legal. O que menos gostamos foi o El Gobernador (quem quiser detalhes, fiz avaliações no Trip Advisor). DICA: faça sempre reservas e em muitos deles não é permitido entrar de bermuda, vá preparado.

• Para lanches mais rápidos e saudáveis sugiro o Gokela, no centro. Sorveteria, recomendo a Tramonti. Destaque para o sorvete de pistache e graviola.

• Conheçam o Sofitel Santa Clara. O hotel fica num antigo convento construído em 1621.É lindo e o atendimento é incrível. Mesmo para quem não esta hospedado lá,  vale a pena entrar para conhecer o hotel e o restaurante 1621.

Providência – 2 dias de roteiro

• A ilha é incrível, realmente um paraíso. Um lugar que voltaria sem dúvidas e para ficar mais tempo. A melhor coisa foi incluir a ilha em meu roteiro.

• Ficamos hospedados no  Hotel Deep Blue,  que fica em frente à ilha de Cayo Cangrejo. Só tenho elogios para o hotel . Logo que chegamos, já fomos recebidos com uma limonada de coco espetacular. Todos os funcionários são atenciosos e gentis. O quarto é muito confortável e com uma linda vista para Cayo Cangrejo.

• O restaurante do hotel é incrível, pratos deliciosos e muito bem servidos. O hotel atende de forma muito personalizada. É possível, por exemplo, contratar serviço de massagem no quarto ou ter seu café da manhã servido lá.

• Clima: o tempo estava oscilando bastante, às vezes estava nublado e abria sol nos intervalos, mas deu para aproveitar.  Alugamos uma mule para dar a volta na ilha  e conhecer os principais pontos. Fomos à praia de Santa Catalina, onde tem um mirante, recomendo. Achei a ilha linda. É simples, mas é bem preservada, as pessoas educadas, tratam o turista de forma muito gentil. É para apreciar a tranquilidade e a beleza natural.

 Cayo Cangrejo é maravilhoso , quando fomos estava bastante sol e a cor do mar e a tranquilidade da ilha são demais. Fizemos mergulho e é possível ver vários peixes e nadar com as tartarugas. Fantástico.

San Andrés – 2 dias de roteiro

→ Entenda onde é melhor se hospedar em San Andrés

• Do que pude conhecer,  detestei a ilha . Claro que não imaginei que um lugar tão divulgado e barato seria paradisíaco, mas não imaginava que era tanta muvuca e sujeira. Sem dúvida, um lugar que voltaria apenas para ir até Providência.

• Chegamos em San Andrés na madrugada do dia 21 de janeiro e fomos direto ao hotel para descansar e pegar o voo para Providencia. Não deu pra ver nada da cidade, apenas na volta iríamos conhecer.

• Para essa noite, reservamos o hotel Castel Blanc, pois era próximo ao aeroporto, já que teríamos pouco tempo de descanso, ficamos apenas 3 horas lá. Hotel péssimo. A roupa de cama estava suja, tinha cabelo de terceiros no lençol, chão sujo e a água extremamente salobra. Quarto muito claro ao amanhecer. Não recomendo.

• Para as outras duas noites após Providencia, reservamos o Hotel Casablanca. A primeira impressão do hotel foi boa. Chegamos em torno das 19h para o check-in e deixamos nossas bagagens no quarto. Assim que chegamos, notamos o ar condicionado ligado bem forte. Estava frio no quarto e um cheiro forte de umidade. Saímos para jantar e, ao retornar, percebemos que seria impossível passar a noite nesse quarto. Ele não tinha janela e o cheiro úmido e de mofo já estavam fazendo mal para nós. Reclamamos na recepção e nos disseram que não seria possível mudar pois estava tudo lotado. Apenas no dia seguinte poderiam fazer algo.

• Tivemos que sair à noite para buscar outro hotel. Encontramos vaga no Portobelo. Simples, mas  pelo menos não tinha cheiro de mofo . Buscamos nossa bagagem e entregamos a chave na recepção. No dia seguinte nos colocaram em outro quarto, inclusive deram um upgrade e o gerente tratou o assunto de forma muito gentil. Porém negaram o reembolso da primeira diária e disseram que não podiam fazer nada. Pagamos 2 hotéis por uma noite e fizemos uma reclamação no Decolar para tentar resolver a questão.

• O café da manhã do Casablanca é muito bom. DICA: evitem os quartos próximos da piscina, no primeiro dia nos colocaram no quarto 3 e estava impossível dormir lá.

– Fomos no  restaurante La Regatta  jantar. Fizemos reserva e foi tudo bem. A decoração é bem legal, vale a pena conhecer. Sobre a comida, esperava mais. O prato que pedimos não estava muito bem temperado, mas a sobremesa estava muito boa. O atendimento foi bom e rápido.

• Fomos almoçar no Peru Wok, adoramos. O ambiente é climatizado e a comida estava incrível. Veio bem rápida e tudo uma delícia. Achei muito melhor do que a comida do Regatta. Mas recomendo os dois restaurantes.

• O tempo estava oscilando bastante. Tínhamos marcado para  fazer o parasail e dar a volta na ilha. Depois de voltar de Providência, não tivemos o menor interesse em pegar os barcos lotados para conhecer as praias de San Andrés.

– A impressão que tive de SA foi bem ruim.  Muita muvuca, pessoas mal educadas, lixo na rua, brigas de mulheres perto do hotel  (tiveram que chamar a polícia). Não vi lojas de luxo, a maioria das lojas vendem as mesmas coisas e não achei preços bons. A loja que mais gostei foi uma de produtos indianos, comprei coisas lindas por lá.

• Desistimos do parasail e alugamos uma mule para dar a volta na ilha, achei péssimo. Só um momento passa por uma praia bonita com areia branquinha, a maior parte do tempo vimos sujeira, pobreza, casas abandonadas e praia com pedras. Fora o mau cheiro em várias partes.

 O mar é incrível!  Mas é o mesmo que podemos ver em Providência. Os pontos negativos pesaram muito pra mim e não tive sequer o interesse em fazer os passeios. Tenho certeza que não compensaria enfrentar barcos lotados e praias com muvuca, independente do quão lindo fosse o mar. Preferi ficar com a imagem linda de Cayo Cangrejo. E se soubesse que SA era assim, com certeza teria ficado os últimos dias apenas em Providência. Mas é aquela coisa, o paraíso pra cada um é bem particular, sei que o meu está bem longe do que é San Andrés.

Dicas finais sobre meu roteiro na Colômbia

  • Câmbio: preferimos levar dólares e fomos trocando aos poucos. Exceto gastos com bilhetes aéreos e hotéis, levamos 100 dólares por pessoa, por dia. Foi suficiente. Não economizamos e ainda compramos presentinhos.
  • Façam seguro viagem para a Colômbia.
  • Levem adaptador de tomada.
  • Ativei o plano “passaporte Américas” da Claro e usei o celular normalmente. Bom que não precisei comprar chip.
Viajar com tudo reservado é bem melhor
  • Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
  • Real Seguros: compare preços de seguro viagem
  • RentCars: aluguel de carro pelo menor preço em dezenas de países
  • Chip Internacional: internet no celular em qualquer lugar do mundo

Descontos para economizar na viagem (e antes dela)

7 Comments

  1. Bom, acho que você deve continuar fazendo suas reservas sem uma agência e tendo mais problemas como tiveram.
    Vocês poderiam fazer a mesma coisa que fizeram em uma agência, sem ter que contratar passeio algum para ficar preso. Fica a dica de um brasileiro menos esperto.

  2. DEBORA MURAMOTO ALVES DE CASTILHO responder

    Para além de perspectivas, essa pessoa teve muito azar na viagem! Haja percalço!
    Estou em San Andrés há 3 dias e tem sido bastante tranquilo. Não achei as ruas sujas – inclusive, em Cartagena, achei a “cidade butique” fedida em vários pontos por vazamento de esgoto, lixo na rua (em 5 dias só vi recolherem o lixo um dia, enquanto em San Andrés já vi duas vezes em menos tempo) muvuca para além da capacidade da própria cidade com direito a mãe trocando fralda de cocô de criança em frente à tão bem falada La Cevicheria.

    Sinceramente, perspectivas à parte mas, se o turista brasileiro se desse ao trabalho de ler alguns jornais locais do lugar de onde vai entenderia o porquê da pobreza em lugares que são vendidos pra nós como paraísos perfeitos: Cartagena é uma das cidades mais pobres da Colombia e sofre com a prostituição e a pobreza, sendo a cidade amuralhada bem diferente da realidade dos locais; já San Andrés tem problemas (inclusive ambientais) com um turismo agressivo que é danoso a uma ilha tão bonita.

    Não sei se você tem como colocar no blog, mas em San Andrés o snorkeling do Caribe Extremo é fantástico! Vimos hoje tubarão, arraia, lulas, polvo, além dos corais e vários cardumes coloridos naquele mar azul lindíssimo, em um espaço vazio e super especial aqui da ilha com um guia super cuidadoso com o ambiente! Vale a pena! Amanhã, canoagem numa canoa transparentes pelos mangues da ilha com a EcoFiwi! Depois, em vez do mulé, optamos por bike pra dar a volta na ilha! Exercício+smoke free!

    Sei lá, como turistas, mesmo com problemas, temos que procurar respeitar o lugar e buscar aquilo que o valoriza, né?

    Abraços aí!

    • Olá, Debora. Obrigado pelo comentário, acrescenta bastante a quem está planejando a viagem. Ainda bem que a sua está sendo melhor que a da nossa leitora convidada. Também achei San Andrés mais limpa do que Cartagena, onde considero que o turismo é ainda mais massivo e danoso.

      Você está fazendo umas atividades bem legais, fora da rota clichê. Tô achando até que preciso voltar pra te copiar um pouco, haha. Quando retornar de viagem, está convidada a compartilhar sua experiência com nossos leitores. É só mandar seu relato e algumas fotos para buenasdicas@gmail.com

  3. Socialmente e antropologicamente interessantes as observações: “….Não vi lojas de luxo….”; >”… Muita muvuca, pessoas mal educadas, lixo na rua, brigas de mulheres perto do hotel….”

    A pessoa que escreveu é britânica ou nórdica? Estive em San Andres e Providencia em abril e não vi esse alarmismo social, nada que nunca tenha visto nas praias brasileiras, a não ser que quem escreveu só ande de helicóptero e fique em resorts… ;p

    • Fala Vinicius. Bom, são diferentes perspectivas. Eu tive uma experiência de viagem em San Andrés parecida com a sua (meu roteiro). Inclusive andei (perdido) em bairros residenciais e não vi pobreza ou sujeira nas ruas. Por isso acho importante publicar relatos de outras pessoas, que vivem de outra forma e chegam com outras expectativas, afinal o Caribe costuma ser vendido no Brasil dessa forma de vc falou, como se fosse um grande resort all inclusive (já ouvi dizer que assim é Punta Cana, mas ainda não estive lá).

Comentários