Serra Gaúcha

11 dicas de ouro para sua viagem à Serra Gaúcha

Lugares imperdíveis e todas as dicas para planejar sua viagem aos melhores destinos da Serra Gaúcha.

Fazer uma viagem à Serra Gaúcha requer um bom planejamento. Já visitei a região algumas vezes e conheci as principais cidades e atrações. Por isso acho que tenho repertório para ajudar você a organizar por completo seu roteiro, com dicas de lugares imperdíveis e atenção a outros detalhes.

Estas dicas da Serra Gaúcha são principalmente para turistas de primeira viagem. Mas se você já conhece e está com planos de revisitar o Rio Grande do Sul, aqui também de dicas de lugares diferentes e novas atividades.

Como planejar sua viagem para a Serra Gaúcha

Independente do seu tempo de férias ou período da viagem à Serra Gaúcha, espero que essas dicas ajudem você. E se precisar de qualquer informação extra, basta perguntar. Tentei explicar do jeito mais fácil, para você ter um verdadeiro guia de viagem que seja fácil de ler. E ainda tem links úteis para complementar as dicas e relatos.

1. Principais cidades da Serra Gaúcha, por colonização

Apesar de Gramado ser a mais famosa, existem dezenas de cidades na Serra Gaúcha. Algumas delas também são muito turísticas e oferecem atrativos diferentes aos visitante. Por isso, a primeira dica é ir além de Gramado.

São três grandes grupos de cidades, divididas principalmente em relação ao maior fluxo de imigrantes europeus que receberam. Cada uma dessas regiões tem cultura, gastronomia e vocação turística distintas. São elas:

  • Região Alemã: Gramado, Canela e Nova Petrópolis são as principais cidades turísticas dessa região colonizada por imigrantes alemães. Também conhecida como Região das Hortênsias.
  • Região Italiana: Bento Gonçalves, Carlos Barbosa, Caxias do Sul, Farroupilha e Flores da Cunha são as principais cidades da região, que foi colonizada principalmente por imigrantes do norte da Itália.
  • Região Gaúcha: São Francisco de Paula, Cambará do Sul e São José dos Ausentes são as principais cidades dessa região, que sofreu pouca influência de imigrantes europeus. É onde está um das maiores belezas naturais da serra, o Cânion Itaimbezinho.

2. Quando DE FATO faz frio na Serra Gaúcha

Não faz frio o ano inteiro na Serra Gaúcha. Aliás, o verão costuma ser muito quente. Eu mesmo já peguei 40 ºC em Bento Gonçalves.

Então, se faz questão de frio, viaje no inverno, entre junho e o início de setembro. É nessa época que pode até nevar em Gramado. Mas nada é garantido. Já fui para Gramado em agosto e nem chegou perto de zero graus. Depende do ano, da semana, dos ventos do ártico…então fique de olho na previsão do tempo. A desvantagem são os preços altos e a super lotação de alta temporada.

É possível esfriar em outros meses? Sim, com o chegada do outono, no final de março, as temperaturas já começam a baixar na Serra Gaúcha. Inclusive foi em maio, num Festival de Publicidade, que vi fazer temperaturas negativas em Canela.

Curiosidade:  a cidade mais fria da Serra Gaúcha é São José dos Ausentes , que possui a maior altitude da região. Ela é também a terceira cidade mais fria do Brasil.

3. Outras épocas em que vale a pena viajar para a Serra Gaúcha

Também é bom entender atrações sazonais de cada destino. Por exemplo, se quer focar em enoturismo, com direito a colher uva do pé e participar de vindimas na região de Bento Gonçalves, é preciso ir no verão, entre dezembro e março. Apesar do calor, é a melhor época para acompanhar o processo de produção dos vinhos.

Em Gramado, outros dois atrativos muito aguardados são o Festival de Cinema, que geralmente acontece no mês de agosto, e o Natal Luz, que tradicionalmente acontece entre o final de outubro e o início de janeiro.

Principais eventos anuais na Serra Gaúcha

Vindimas – Época de colheita e festas para amassar as uvas com os pés. Acontece entre meados de dezembro e março. Principalmente na Rota do Vinho, que inclui Bento Gonçalves, Garibaldi e Pinto Bandeira, entre outros. E em fevereiro, Bento organiza o famoso Jantar sob as Estrelas.

Natal Luz – Shows, espetáculos teatrais e uma extravagante iluminação pública tomam conta de Gramado. Historicamente acontece entre o final de outubro e o início de janeiro.

Chocofest – A maior feira anual de chocolates do Brasil acontece na Páscoa na cidade de Nova Petrópolis. Tem desfiles de rua e exposições de arte, tudo com a temática pascoal com coelhos e chocolates gigantes.

Fenachamp – Ano sim, ano não, Garibaldi é palco da maior feira de espumantes do Brasil. Costuma acontecer no mês de outubro.

Festival Internacional de Cinema – O maior festival de cinema do Brasil, em Gramado, premia os melhores do cinema com as estatuetas chamadas de “kikitos”. Acontece todo ano, geralmente em agosto.

4. Como ir para a Serra Gaúcha e deslocamentos

O Aeroporto de Caxias do Sul é o único na Serra Gaúcha que recebe voos comerciais, operados por Azul e Gol. Todos eles com conexão em São Paulo ou Campinas. Chegando por Caxias, você estará bem mais perto de Bento Gonçalves e um pouco mais perto de Gramado, comparando com a chegada por POA. Pode alugar um carro no aeroporto ou reservar um transfer com alguma operadora de turismo. A desvantagem dessa opção, é que os voos para Caxias costumam ser mais caros.

  • Viagem de Caxias do Sul para Bento Gonçalves: 40 km de distância / em média 50 minutos de duração
  • Viagem de Caxias do Sul para Gramado: 60 km de distância / em média 1h20 de duração

O que nos leva à segunda opção, que foi a que utilizei em todas as minhas viagens à Serra Gaúcha: chegada pelo Aeroporto de Porto Alegre, a 110 km de Bento Gonçalves e a 100 km de Gramado. Embora mais distante, essa viagem acaba custando menos, pois os voos são mais baratos e, se forapara Gramado, tem a opção do ônibus direto do Aeroporto para Gramado, além do maior fluxo de vans e aplicativos de carona nessa rota.

  • Viagem de Porto Alegre para Bento Gonçalves: 110 km de distância / em média 1h40 de duração
  • Viagem de Porto Alegre para Gramado: 100 km de distância / em média 1h30 de duração
  • Se estiver de carro, não deixe de parar no Templo Budista de Três Coroas.

Qualquer que seja o seu trajeto, um bom contato que tenho para indicar é a AR Turismo e Transportes. Fiz com eles o transfer de ida e volta entre POA e Bento Gonçalves, em carro sedan com porta-malas grande e recomendo.

5. Divida suas bases

Essa dica é uma das mais importantes. Se vai ficar um período maior, digamos que acima de 5 noites, não fique numa única cidade. Dividindo sua estadia em pelo menos duas cidades, você enriquece MUITO o seu roteiro. Além de facilitar trajetos.

Bandeira da Alemanha e Rua Torta em Gramado

E não estou falando em ficar apenas em Gramado e Canela. Vá para mais longe um pouco. Particularmente, minhas duas bases preferidas na Serra Gaúcha são Bento Gonçalves e Gramado.

Gramado por concentrar muitos parques temáticos que são indispensáveis, além de pontos turísticos famosos e um centrinho simpático, ótimo para andar a qualquer hora, bater perna à toa mesmo. Mais detalhes com bairros e hotéis no guia de Hospedagem em Gramado.

Igreja Cristo Rei, no Centro de Bento Gonçalves.

Bento Gonçalves por ser a cidade mais completa da região e ter atrativos mais genuínos do que Gramado, sem aquele clima de “armadilha pra turista” no ar. Em Bento, os restaurantes são melhores e mais baratos, a história é riquíssima e também tem muita coisa pra fazer. Entenda melhor nas dicas de Onde ficar em Bento Gonçalves.

Também pode considerar ficar em Canela, ao invés de Gramado, ou em Farroupilha ao invés de Bento Gonçalves. Particularmente, eu evito indicar apenas Caxias do Sul, por ser uma cidade grande e menos turística, sem o importante clima de férias.

6. Na Serra Gaúcha, o fator hotel é muito importante

Se tem um lugar em que não recomendo economizar muito com hotel, é a Serra Gaúcha. Principalmente se você vai viajar no inverno. Mas em qualquer época, num destino onde o foco é degustar vinhos e chocolates, comer bem e “namorar”, conforto é primordial.

Não estou falando pra você ostentar, apenas para garantir hotéis no mínimo razoáveis, com aquecimento de qualidade e se possível uma lareira pra dar aquele clima de serra. Minha melhor experiência foi na Pousada Cantelli, uma histórica pousada de pedra em Bento Gonçalves, com ótimo custo-benefício.

Em Gramado, tive a prova de que hotel bom pode ser barato. Passei alguns dias no Hostel Britânico, que é albergue e pousada, considerado um dos melhores de Gramado nas duas categorias. E gastei menos de R$ 90 por dia, com direito a um excelente café da manhã.

7. Lugares imperdíveis na Serra Gaúcha

Essa lista merecia um post só pra ela. Mas aqui vai um resumo do que você deve fazer na Serra Gaúcha. São os principais pontos turísticos e atividades mais legais.

Em Gramado, os lugares que realmente considero imperdíveis são o Mini-Mundo, o Palácio das Etnias e o clássico passeio pela Rua Coberta. Entre outras atividades, também é legal conhecer o Lago Negro, no bairro mais europeu de Gramado e o Snowland, parque temático com neve artificial e pistas de esqui. Dicas completas no post O que fazer em Gramado.

Cascata do Caracol, em Canela

Em Canela, as atrações mais legais são a Cascata do Caracol, uma grande cachoeira pertinho da cidade, e o Mundo Vapor. Outras atividades na cidade você vê nos pontos turísticos de Canela.

Em Bento Gonçalves, não fique apenas nas vinícolas. Recomendo conhecer o Roteiro Caminhos de Pedra, região mais italiana da cidade, onde estão lugares como a Casa da Erva Mate e o Parque da Ovelha. E de Bento parte o famoso Trem Maria Fumaça. Saiba mais o que fazer em Bento Gonçalves.

8. Comidas típicas e onde comer na Serra Gaúcha

Boa parte do tempo e do dinheiro numa viagem à Serra Gaúcha, vai embora com as comidas. Porque não tem nada melhor para sentir o conforto da serra, do que comer bem, seguindo a tradição de cada local.

A principal especialidade da região é o famoso Rodízio Colonial à moda do imigrante italiano. Os melhores restaurantes do tipo estão em Bento Gonçalves. O menu varia pouco, sendo servida uma sequência: sopa de capeletti, galeto assado, carne assada com molhos regionais, polenta e alguma massa à escolha. De sobremesa, sagu com creme.

Em Bento Gonçalves, meu restaurante colonial preferido foi o Casa Ângelo. Aqui tem mais dicas de onde comer em Bento Gonçalves, com outros restaurantes testados.

Em Gramado também tem bons rodízios e o famoso Café Colonial, que na verdade costuma ser servido na hora do lanche, sendo uma mesa farta com pães e bolos. Também não deixe de provar os fondues. Mas a moda agora em Gramado são os restaurantes temáticos animados, como a Pizzaria Cara de Mau.

E as comidas alemãs? Em Gramado tem alguns restaurantes decentes. Mas os  melhores restaurantes alemães estão em Nova Petrópolis . O mais famoso é o Torquês Alemão. Com fogão à lenha, o Unser Haus também é uma boa opção. Pra comer muito sem gastar tanto, o bufete do Lindenhof, por R$ 40, vale a pena se chegar cedo.

9. Dica de roteiro na Serra Gaúcha

Não existe um tempo ideal para ficar na Serra Gaúcha. Num período pequeno, de 2 ou 3 dias, vai ser preciso escolher só uma base e se concentrar numa região, por exemplo só Bento Gonçalves e Garibaldi, ou só Gramado e Canela. Se é a sua ideia, veja por exemplo esse Roteiro com Gramado e Canela.

Degustação de vinhos e espumantes na Cave Geisse, em Pinto Bandeira.

Agora, se tiver acima de 4 noites na Serra Gaúcha, recomendo muito que faça um tour geral pela região. Aqui vai um exemplo de roteiro pronto de 7 dias na Serra Gaúcha:

  • Dia 1 – Chegada em POA e ida para Gramado. Noite de passeio na Rua Coberta e Borges de Medeiros.
  • Dia 2 – Tour a pé em Gramado, incluindo Praça das Etnias, Mini-Mundo e Lago Negro, com parada em chocolaterias famosas como a Casa da Velha Bruxa.
  • Dia 3 – Passeio em Canela, incluindo Mundo a Vapor, Catedral de Pedra no Centro e Parque do Caracol.
  • Dia 4 – Ida para Bento Gonçalves, com parada para almoçar em Nova Petrópolis. Embarque na Maria Fumaça em Carlos Barbosa. Chegada em Bento de trem.
  • Dia 5 – Passeio no Vale dos Vinhedos. Recomendo visitar uma vinícola grande, como a Casa Valduga, e uma pequena e intimista, como a Torcello. Ou ter uma verdadeira aula de vinhos, como na Cave Geisse.
  • Dia 6 – Passe o dia no Roteiro Caminhos de Pedra, com paradas na Casa do Tomate, Casa da Erva Mate, Benevento Chocolate e Vinícola Strapazzon. Se calcular bem seu tempo, poderá fazer algumas atividades no Parque da Ovelha, como o pastoreio e alimentação de filhotes de ovelha.
  • Dia 7 – Tour no centro de Bento Gonçalves e retorno para Porto Alegre.

Esse roteiro é apenas um exemplo. Eu mesmo passei 7 dias só em Bento Gonçalves e ainda tinha muitos lugares para visitar. Gramado, já visitei 5 vezes e ainda não conheci tudo. Por isso, um roteiro na Serra Gaúcha deve ser feito de acordo com seu perfil e preferências pessoais. Posso ajudar você com isso, se precisar.

10. Gastos na Serra Gaúcha

Não é barato viajar para a Serra Gaúcha. Apesar de ter alguns pontos turísticos gratuitos, principalmente os passeios no centrinho de Gramado e Canela, a maioria dos lugares cobra entrada. E não são ingressos baratos. Veja a média de preços de cada atividade para planejar seus gastos:

  • Degustação em vinícolas: depende da vinícola e do tipo de degustação. Em média, os valores vão de R$ 30 a R$ 80;
  • Festa de Vindima: a partir de R$ 100;
  • Jantar com harmonização de vinhos: em média, a partir de R$ 130;
  • Rodízio Colonial: em média, de R$ 70 a R$ 90 por pessoa;
  • Café Colonial: em média de R$ 50 a R$ 80 por pessoa;
  • Diária em pousada confortável: depende muito do endereço e da data. Por exemplo, o Laghetto Siena em Gramado custa em média R$ 300 por noite;
  • Passeio de Maria Fumaça: a partir de R$ 100, depende da época do ano e de onde comprou o bilhete;
  • Ingressos: cada atração tem seu valor. Por exemplo, um dia no Snowland de Gramado custa a partir de R$ 100. A entrada no Mundo a Vapor custa a partir de R$ 30.
  • Descontos: no post Quanto gastar em Gramado, tem dicas de onde comprar ingressos com descontos, mais baratos do que nas próprias bilheterias.

11. Não deixe de conhecer a Serra Gaúcha!

A última dica é na verdade um incentivo. A Serra Gaúcha é uma das regiões mais bonitas do Brasil, onde dá pra combinar passeios por paisagens naturais incríveis, com roteiros culturais e gastronômicos riquíssimos, com muitos vinhos, chocolates e comidas típicas da Itália e da Alemanha. Além do próprio churrasco gaúcho.

Então não se prenda tanto a essas dicas de roteiros prontos. Fique quantos dias puder, seja apenas um final de semana ou durante todas as suas férias. Lugares para visitar não vão faltar.

E se tiver qualquer dúvida, basta perguntar. Eu mesmo respondo, sempre o mais rápido possível. Também pode solicitar uma  consultoria personalizada , assim sua viagem para a Serra Gaúcha vai ser ainda mais exclusiva.

Ah, e pra ver rapidamente um pouquinho de cada lugar na Serra Gaúcha, olha só este vídeo:

Boa viagem para a Serra Gaúcha!

Viajar com tudo reservado é bem melhor
      • Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
      • Real Seguros: compare preços de seguro viagem
      • Touron: ingressos e tours em Buenos Aires e em todo o Brasil
      • Confidence: compra de moedas e cartão pré-pago internacional

Descontos para economizar na viagem (e antes dela)

→ Utilize o cupom BUENASDICAS5 na Seguro Promo e tenha   5% de desconto  em seguro viagem → Acesse o Airbnb por esse link e ganhe mais de  R$ 150 em crédito  de hospedagem se ainda não for cadastrado. → Chip internacional de dados e voz com  15% de desconto  se usar o cupom CHIPMAISBARATO.

Criador e editor do Buenas Dicas, o blog de viagem super sincero. Siga nossas redes sociais e para dúvidas, propostas e parcerias, veja nosso contato.

Comentários