Hoje em dia, principalmente pra quem trabalha no mercado privado, é difícil tirar 30 dias seguidos de férias. Assim, o jeito é tentar aproveitar ao máximo períodos menores, de 10 ou 15 dias. Pensando nisso, fiz esse roteiro por Chile e Argentina.

Pra inaugurar essa seção de dicas de roteiro aqui no site, vamos começar pelo período menor, de 10 dias. Parece pouco, mas dá pra conhecer os principais pontos de algumas cidades e ainda relaxar nesse tempo, passando por Santiago, Mendoza e Viña del Mar.

Se ligue nas dicas pra aproveitar bem o tempo e curtir as atrações do roteiro.

Malas prontas?

Então vamos direto a Santiago! Aliás, antes de preparar o seu roteiro, recomendo ler as melhores dicas de lugares, atividades e atrações no artigo O que fazer em Santiago.

A capital chilena fica a apenas 4 horas de voo de São Paulo e a um pouco mais que isso do Rio de Janeiro. Os voos pra lá não são muito baratos, mas se ficar de olho nas promoções, principalmente em sites como o Melhores Destinos, pode conseguir um barganha.

A emoção da viagem já começa no avião, que passa sobre um dos trechos de maior altitude da Cordilheira dos Andes, repleta de picos nevados.

CORDILHEIRA_ANDES_AVIAO

Na chegada a Santiago você já percebe que está em um país mais desenvolvido que o Brasil em muitos aspectos, a começar pelo transporte. No aeroporto Comodoro Arturo Merino Benítez, a dica é procurar por um dos microônibus que fazem o trajeto até os principais bairros da cidade por menos de 15 reais.

Se não estiver encontrando, pergunte em bom portunhol a um Carabinero – policiais chilenos, geralmente simpáticos e solícitos aos turistas – que certamente estará na saída do aeroporto.

Desça do microônibus no ponto mais perto do seu hotel ou no metrô, altamente conectado e um dos orgulhos do povo chileno.

Estabelecido? Curta Santiago!

Santiago oferece vistas fantásticas para a Cordilheira dos Andes. Mas pra avistar a silhueta andina é preciso se elevar além da altura dos prédios.

Suba ao Cerro Santa Lucia, numa caminhada de alguns minutos morro acima, ou ao Cerro San Cristóbal, um tanto quanto mais alto e turístico. E torça por um dia de céu limpo, senão não vai enxergar mais que a sombra da Cordilheira dos Andes. Pra visitar a cidade na melhor época para seu tipo de roteiro, leia nosso post: Quando ir para Santiago

Como não tive a sorte de subir o San Cristobal num dia como esse, vai essa foto emprestada mesmo.
Como não tive a sorte de subir o San Cristobal num dia limpo, vai essa foto emprestada mesmo.

Aos pés do Cerro San Cristóbal está o principal bairro boêmio de Santiago, o Bellavista, onde viveu o poeta Pablo Neruda, que inclusive teve sua casa La Chascona transformada em museu. Vale visitar.

Mas o melhor do Bellavista são seus bares, restobares, pubs e tudo mais que é sinônimo de pisco sour e cerveja! A dica é experimentar as locais mais consumidas, como a Austral e a Cristal, e emendar a noite em alguma balada do quase vizinho bairro de Providência.

Cervejas chilenas, né? Tá certo...
Cervejas chilenas, né? Tá certo…

Sentiu o clima de Santiago?

Agora pode tirar o dia seguinte para conhecer a parte histórica mais clichê da cidade, como a Plaza de Armas e o Palacio de La Moneda, e aproveitar o comércio fervilhante das ruas e “paseos”.

Quem sabe até sobre tempo para tomar um “cortado” num clássico café con piernas.

Pra conhecer o básico de Santiago, dois dias inteiros são suficientes (se for no inverno e quiser ir ao Valle Nevado, melhor reservar um dia somente para o passeio). Então acorde cedo, pegue o metrô, vá até a rodoviária e passe seu terceiro dia de férias na estrada, a caminho da Argentina!

Posts úteis:  Onde ficar em Santiago | Dicas de Santiago

Partiu Mendoza!

Essa bela cidade argentina fica do outro lado da Cordilheira dos Andes. De Santiago a Mendoza são cerca de 7 horas de viagem, mas a vista compensa. Por isso é recomendável ir sempre durante o dia, para aproveitar a paisagem e fotografar lugares como este.

CARACOLES_CHILE

E este…

CORDILHEIRA_ANDES_MENDOZA

E este…

ESTRADA_SANTIAGO_MENDOZA

E este…

RUTA_SANTIAGO_MENDOZA

A única parte chata da viagem é a parada na fronteira cheia de melindres, a aduana Paso los Libertadores. Depois disso, mais paisagens deslumbrantes.

Chegando à noite em Mendoza, a dica é se esbaldar em alguma churrascaria da rua Aristides Villanueva e seguir noite adentro em alguns dos muitos pubs das redondezas.

No dia seguinte, curta sua ressaca degustando vinhos em algum dos muitos passeios oferecidos às vinícolas da região, que é a maior produtora argentina de vinhos e azeites.

Mais um dia em Mendoza

Mais um dia de churrasco argentino em “tenedores libres”, regado a bons vinhos de Mendoza e muita cerveja Quilmes. Tá bom, pede um suco de pomelo aí pra descansar o fígado. Se estiver na vibe da aventura, também pode pular de paraquedas, fazer rafting nas muitas corredeiras da província, embarcar cedinho no passeio Alta Montanha ou curtir um dia no belíssimo parque General San Martín.

Cansado de comer? Voltemos ao Chile!

De Mendoza partem vários ônibus por dia a Viña del Mar (umas 8h de viagem), um bem frequentado balneário chileno, com praias, cassinos e baladas.

VINAL_DEL_MAR_CANAL

Se não bastasse, a cidade ainda é colada na histórica Valparaíso, famosa por seu agito cultural, sua noite boêmia e suas milhares de casinhas coloridas morro acima.

Os morros, aliás, são uma atração à parte. Vá até à casa que era de Pablo Neruda na cidade, também transformada em museu, e desça ao centro por algum dos “elevadores”, como o Ascensor Espíritu Santo, construído em 1911.

Se duvida que Pablo Neruda era um gênio, olha só a vista da casa dele.
Se duvida que Pablo Neruda era um gênio, olha só a vista da casa dele.

Também é possível fazer um passeio guiado de barco, a preço de banana, e ter uma vista completa da multicolorida Valparaíso.

No dia seguinte, pode aproveitar para passear um pouco pela orla de Viña del Mar, avistando pelicanos e gaivotas sobre as pedras, ou voltar bem cedo a Santiago. A viagem dura pouco mais de uma hora. Veja o que fazer em Vina del Mar.

Com a água gelada do inverno acho que ninguém se atreveria mesmo.
Com a água gelada do inverno acho que ninguém se atreveria mesmo.

Curta tranquilo seu último dia em Santiago e prepare-se para voltar à realidade.

Em resumo…

Dia 1 – Chegada a Santiago

Dia 2 – Cerros e bares

Dia 3 – Praças e museus

Dia 4 – Estrada e bares em Mendoza

Dia 5 – Churrasco e vinhos

Dia 6 – Aventura ou mais churrasco e vinhos

Dia 7 – Estrada e cassino em Viña del Mar

Dia 8 – Pisco, Neruda e elevadores em Valparaíso

Dia 9 – Estrada a Santiago e relaxamento

Dia 10 – Brasil

 

Mais dicas em Mendoza

Os melhores restaurantes de Mendoza

Passeio Alta Montanha

5 motivos para conhecer Mendoza

Os melhores hostels de Mendoza

 

Mais dicas no Chile

Onde ficar: Valparaíso ou Viña del Mar?

Reveillon em Santiago

Onde ficar em Santiago: bairros e hotéis

16 coisas que amamos no Chile

Guia de Santiago

Boa viagem e aproveite seu roteiro de viagem na Argentina e no Chile!

Viajar com tudo reservado é bem melhor
  • Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
  • Real Seguros: compare preços de seguro viagem
  • RentCars: aluguel de carro pelo menor preço em dezenas de países
  • Get Your Guide: ingressos e tours para atrações no mundo inteiro

Descontos para economizar na viagem (e antes dela)

Autor

Criador e principal editor do Buenas Dicas, o blog do viajante inteligente (que é você 😄). Siga nossas redes sociais e para dúvidas, propostas e parcerias, veja nosso contato.

25 Comments

  1. Reserva Agora 300x250
  2. Olá, bom dia. Uma dúvida: por que voltar ao Chile e não retornar ao Brasil direto de
    Mendoza?

    • Olá. No meu caso, por causa dos voos. Infelizmente, na maioria dos casos, sai mais mais barato comprar ida e volta de Santiago do que chegar por lá e voltar por outro destino, como Mendoza. Mas você pode voltar por onde quiser, seja Mendoza, Córdoba ou mesmo de Buenos Aires, fazendo um roteiro por terra até lá, se preferir.

  3. Olá, eu gostaria de saber se setembro e outubro é uma boa época para fazer o tour Santiago – Mendoza – Santiago. Abs

    • Fala Pedro. Olhando apenas pelas estações do ano e histórico meteorológico, tem boas chances da estrada (chamada de Ruta 7 na Argentina e Ruta 60 no Chile) estar liberada, pois o inverno acaba no fim de setembro. As maiores nevascas nos Andes são em julho. Então, pro fim de setembro e começo de outubro tem boas chances de ter pista livre, embora tenha que ser muito cuidadoso pra dirigir nessa região. Bonito certamente vai estar, com montanhas brancas de neve pelo caminho.

      100% de certeza é impossível nessa estrada. Fique de olho na previsão do tempo e no twitter oficial da fronteira (Paso Los Libertadores). Eles sempre informam as condições do tempo e se a estrada está transitável no dia: https://twitter.com/cfloslibertador

      Encontrei também um site que informe simplesmente se o Paso (aduana) está fechada ou aberta. É o http://www.cotizacion.co/paso-a-chile/

  4. Beatriz Bbruch responder

    Olá eu estou bem indecisa, vou em dezembro de 19 á 27 de dezembro, queria fazer um tur pello Chille ( Puerto montt, e Puerto Varas) e Argentina ( Bariloche, Ushuaia, e Patagonia) , pretendo 2 dias em cada lugar, mais a minha duvida é se fasso primeiro Chille ou Argentina, e onde é melhor passar a noite de natal? E 25 de dezembro é meu aniverssário tambem!!
    Me ajudem

    • Oi Beatriz! Vai fazer tudo de avião?

      Se for de ônibus, vai passar mais tempo na estrada do que nos destinos. Já fiz quase todos os trechos de você citou de ônibus, e são longos. De Bariloche a El Calafate são mais de 20 horas de viagem, por exemplo. E de El Calafate até Ushuaia são mais de 10 horas. Mesmo se privilegiar ônibus noturnos, vai gastar boas horas do dia e vai ficar exausta.

      Recomendo focar em um dos país e no máximo dar uma passada no outro. Por exemplo, você pode ir de Pucón até Puerto Montt. E de lá dar um pulo em Bariloche, que fica a 300 km de Puerto Varas.

  5. Juliana Catão responder

    Olá. Primeiramente parabéns pelo roteiro, com certeza vou utiliza-lo bastante. Minha dúvida: é comum a travessia Santiago-Mendonza-Santiago fechar em setembro? Obrigada Juliana

    • Obrigado, Juliana. O mais comum é que a travessia fique mais complicado no mês de julho, auge das nevascas. Inclusive essa semana a passagem entre Argentina e Chile estava fechada. Setembro é mais tranquilo, mas nunca se sabe… Achei um site que informa as condições atualizadas no Paso Cristo Redentor, um túnel de fronteira nessa rota: http://www.mdzol.com/seccion/paso-cristo-redentor/

  6. Liliane Nascimento Dos Santos responder

    Olá, Estou afim de fazer um roteiro Santiago-Mendonza-Santiago agora em Junho, Dia 9 Chego em Santiago, 10 quero ir para Mendonza e 13 voltar para Santiago e ficar até o dia 20, mas vi que a estrada pode ficar fechada por conta do tempo, alguém aqui já comentou sobre isso, se vc estiver na estrada oq acontece ?

    Obrigado.

    • Oi Liliane! Já descobriu o que acontece na estrada se nevar demais? Eu imagino que as companhias de onibus no Chile são bem informadas e avisam os passageiros quando isso acontece. Agora, se já estiver no meio do trajeto, devem retornar para o ponto de partida, com direito a corrente nas rodas e tudo. #tenso

  7. Rickson Silverio responder

    bom dia ! estou em duvida se vou para o chile ou mendonza com 3 amigos agora em julho (13a20 de julho) mais e uma viagem com intuito de conhecer neve e conhecer lugares novos, de uma forma mais simples e barata possivel

    • Rickson, se não tiver tempo pra fazer o roteiro Santiago-Viña-Mendoza e quer dar uma volta na neve, Santiago é a melhor escolha. De lá da pra ir até o Valle Nevado, onde inclusive já começou a nevar esse ano. A temporada de esqui 2016 está programada para abrir dia 24 de junho nessa estação.

      E tem muito o que fazer em Santiago sem gastar tanto, ao contrário de Mendoza, que exige certo investimento se for praticas os esportes de aventura por lá.

  8. Olá, uma dúvida.. vocês dormiram uma noite em Viña e depois uma noite em Valparaíso? ou se hospedaram em um local só? Adorei esse roteiro, vou fazer ele agora em junho e tinha reservado uma noite de sono em cada cidade, mas agora estou em dúvida se será necessário isso.

    • Oi Thays. Esse roteiro é bem legal mesmo, além de simples de fazer. Você reservou uma noite em Viña del Mar e a outra em Valparaiso? Eu dormi as duas noites em Viña del Mar. Elas são coladas, e é melhor não perder tempo carregando malas e fazendo checkin… Então é melhor passar as duas noites no mesmo hotel. Lembrando que as cidades são coladas. Se está na dúvida em qual ficar, fiz um post que mostra bem as diferenças: Viña del Mar ou Valparaiso

  9. Olá, irei em julho em familia, compensa ir até Vina Del Mar sendo que estará frio? Sabe quanto custa a passagem de onibus para Mendoza e Valparaiso?

  10. Allan Oliveira responder

    Buenasdcas, pretendo viajar para o Chile em Setembro/15. Vi em alguns blogs que é época boa para neve, logo irei ao Vale Nevado tb. Gostaria de saber se tens algumas dicas sobre o Vale Nevado, hospedagem, qtos dias serão suficientes por lá. E outra coisa a ida para Mendoza tem alguma parada em algum ponto/ mirante ou algo do tipo para apreciar e tirar fotos??
    Todo os deslocamentos em Vinã del Mar foram feitos por taxi, carro alugado?
    E por último, gostaria de parabenizar pelo site!

    • Olá, Allan. Desculpe a demora pra responder. Sobre o Vale Nevado não entendo nada, tenho que ser sincero. O período de neve é esse mesmo, geralmente da metade de junho até o início de outubro.

      Não aluguei carro de Santiago pra Viña del Mar não. Aliás acho que nem compensa, porque em Valparaíso é terrível pra dirigir. Pra Mendoza fui de ônibus também. Ele só para no caminho uma vez, na Alfândega, mas não é muito fotogênico por lá não. Só os Andes ao fundo mesmo.

  11. Parabéns e obrigado pelo post!

    Era justamente o que estava planejando para a próxima viagem de dez dias, em dezembro. Porém, estava tendo dificuldade em organizar as datas e passeios em cada cidade/país.
    Uma pergunta: vou no final de dezembro e, seguindo esse roteiro, passaria o Natal em Mendoza. Sabe se lá é interessante para passar essa data? De qualquer maneira estarei sozinho e não que o dia 25 em si vá mudar muita coisa, mas sabe como é…

    Obrigado pela ajuda!

    Abs

    • Valeu, Gabriel. Que bom que encaixou.

      Acho que isso do Natal depende muito do tipo de lugar que vai ficar e sua facilidade de entrosamento.

      Mendoza é relativamente grande mas não deixa de ser uma cidade de interior, que dorme cedo nos dias normais e feriados. Se seu plano for ficar em hostel, procure um mais agitado, que talvez role uma comemoração. Fiquei num desse tipo por lá, o Break Point, que fica na rua mais agitada da cidade (Aristides Villanueva) e também funciona como pub.

      Se não estiver na pegada juvenil, sugiro inverter o roteiro e passar no Natal no Chile, onde o povo é mais receptivo.

      • Gabriel Rymsza responder

        Ah, perfeito! Vou ficar em um Hostel justamente nessa rua, o Mendoza Inn. Acho que vou encontrar boas cias para passar o Natal.
        Fui ao Peru sozinho e conheci muita gente, acredito que é uma vantagem em viajar sozinho.

        Dia 26 parto para Valparaíso, finalizar o roteiro.
        Obrigado novamente!

        Abs,

        • Filipe Vidal responder

          Ola Buenas e Gabriel. Tambem irei nessa data de dezembro pra passar 15 dias tenho em mente de fazer um roteiro tipo, Santiago, Valparaiso, Mendoza, Santiago. Gostaria de saber em relacao a gastos e hospedagens e se era melhor alugar um flat, apto ou ir para hoteis e hostels?
          vlwwww

          • Tudo depende do seu orçamento. Padrão de hospedagem vai do Hilton ao couchsurfing. Todas essas cidades tem hotéis luxuosos e excelentes hostels. Em Santiago acrescente ainda as muitas opções do airbnb (www.airbnb.com.br). Se quiser dicar de bairros ou regiões pra ficar em Santiago, aqui tem um post bem completo: https://www.buenasdicas.com/reveillon-em-santiago-489/

Comentários