Itália

10 dicas de viagem para a Itália (primeira vez sem cilada)

Linda nos filmes, confusa na vida real. Saiba como planejar sua viagem para a Itália e o que esperar desse país que tem uma da histórias mais ricas da humanidade.
Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr

Depois de visitar a Itália algumas vezes, percebi o que é mais importante saber antes de embarcar. Pra se preparar e se planejar melhor. Aqui vão minhas dicas de viagem para a Itália, desde a melhor época para viajar, que moeda levar e documentos pra imigração, até dicas de segurança, hospedagem e transporte.

Tudo para você viajar para a Itália sem cair em cilada. E aproveitar o que esse país tem de melhor, entre comidas inesquecíveis, paisagens de cinema e uma cultura milenar. Aproveite nossas dicas, um guia rápido para a primeira viagem. E se tiver qualquer dúvida, é só perguntar. Ah! Mulheres, a dica 10 é só pra vocês.

Dicas por cidades que já visitamos na Itália:

1. Clima – Escolha a melhor época para viajar

Nem sempre a Itália é como nos filmes, aquele paraíso ensolarado. Na verdade pode fazer muito frio. Quanto mais ao norte, mais frio. Principalmente nos Alpes Italianos. O que também depende da época do ano. No inverno (dezembro, janeiro, fevereiro e março) boa parte do país fica frio e chuvoso. No verão (junho, julho, agosto e setembro) chove menos, as temperaturas podem ultrapassar os 40 ºC e tudo fico mais caro, pois é alta temporada. Particularmente, prefiro os meses de clima ameno da primavera e do outono:

  • Abril
  • Maio
  • Junho
  • Setembro
  • Outubro
  • Novembro

Vai pra Roma? Então veja o guia: Quando viajar para Roma: melhores épocas e meses

2. Hospedagem – Escolha as melhores cidades base

Não chegue à Itália sem hotel reservado. Os preços de balcão costumam ser bem mais caros. Pesquise e reserve com antecedência. Exceto por Roma, geralmente as grandes cidades tem melhor custo-benefício. Por exemplo, é mais barato se hospedar em Nápoles do que nas pequenas cidades da Campania e Costa Amalfitana. É mais barato se hospedar em Florença do que em cidades menores e vilarejos da Toscana.

3. Câmbio – Que moeda levar?

Desde 2002 a moeda oficial da Itália é o Euro. Compensa comprar no Brasil. A maioria das casas de câmbio tem Euros em estoque e não é necessário fazer reserva. Cartão de crédito é amplamente aceito na Itália, principalmente as bandeiras Visa a Mastercard, mas é importante ter “dinheiro vivo” em cidades menores e situações como ônibus e restaurantes tradicionais que aceitam apenas papel.


Sabia que é obrigatório ter seguro viagem para entrar na Itália? Pesquise preços aqui.


Uma vantagem de levar dinheiro, é pagar a taxa de IOF de 1,10%, enquanto uma compra internacional no cartão é taxada em 6,38%. Por outro lado, dinheiro a gente está sujeito a perder ou ser roubado. Recomendo contar sempre com as três formas principais de gasto no exterior:

  • Dinheiro vivo: leve o suficiente para as contas básicas como comidas, transporte e ingressos
  • Cartão de crédito: use para compras extras e despesas inesperadas
  • Saque no cartão: a maioria dos bancos brasileiros e cartões de crédito permitem essa facilidade. Mas somando impostos, conversão desfavorável e taxas, melhor deixar como última opção.

4. Idioma – Decore palavras-chave em italiano

Na Europa Ocidental, ninguém fala inglês tão mal quanto os italianos. Quanto mais ao sul, pior. Lendo, o idioma italiano é inteligível para brasileiros. Mas pra falar ou entender o que eles dizem fica complicado. Bom é fazer um curso básico antes de ir. Se não puder, decore pelo menos 10 expressões básicas:

  • Oi / Até Logo – Ciao (a pronúncia é “tchau”)
  • Bom dia – Buongiorno (a pronúncia é “buondjiorno)
  • Sim / Não – Si / No
  • Obrigado – Grazie (a pronúncia é “gratsie”)
  • Desculpa – Dispiace (a pronúncia é “dispiatche)
  • Banheiro – Bagno
  • Quanto custa – Quanto costa
  • Não falo italiano – No parlo italiano
  • Onde está – Dove sei
  • Um / Dois / Três – Une / Due / Tre

5. Imigração no Aeroporto – Documentos obrigatórios para a Itália

Somente dois documentos são obrigatórios para entrar na Itália: passaporte válido e comprovante de seguro viagem, embora esse segundo raramente seja cobrado. Mas é comum pedirem para conferir passagem de volta para o Brasil ou ida para outro destino fora do Espaço Schengen. Quando estão desconfiados, pedem também comprovante de reserva em hotel ou endereço de onde vai se hospedar. Tenha tudo impresso.

Na minha última viagem, o fiscal da imigração me atendeu falando somente italiano. Mesmo eu dizendo NO PARLO ITALIANO. Consegui entender algumas perguntas e respondi em português. Por isso reforço que é importante saber um básico do idioma.

6. Transporte – Só trem ou vale a pena alugar carro?

No país da Ferrari, andar de trem é jeito mais inteligente de chegar aos destinos. É mais barato, evita trânsito e estacionamentos caros. A principal companhia férrea é a Trenitalia, que corta a península inteira, dos Alpes até a Sicília. Os trens regionais, entre cidades da mesma região, costumam ser velhos e pichados. Já os trens de média e longa distância são bem cuidados e confortáveis. A segunda maior companhia do país, e que também opera trens de alta velocidade, é a Italo Treno. Em ambas, comprar passagem com antecedência pela internet sai mais barato e pode encontrar promoções.

Não vale a pena alugar carro para ficar em grandes cidades como Roma e Milão. Mas se pretende pegar a estrada e conhecer o máximo de destinos, passando por vilarejos sem estações de trem, compensa bastante. As estradas italianas são boas, principalmente as rodovias nacionais em pistas duplas. As melhores locadoras de veículos do país estão cadastradas no RentCars. Prepare-se para pedágios caros.

7. Roubos – Fique esperto com batedores de carteiras

Be aware of pickpockets. Essa frase significa CUIDADO COM BATEDORES DE CARTEIRA, é dita por todas as máquinas de venda de passagens de trem na Itália. Afinal as estações são os lugares mais visados. Outros lugares comuns para larápios agirem são metrôs e grandes aglomerações de gente.

Acho a Itália um país seguro, mesmo a mal afamada Nápoles. Você dificilmente será roubado à mão armada ou sequestrado, mas furtos acontecem. Fique esperto em multidões, rodoviárias e terminais de trem.

8. Restaurantes – Gorjetas e taxas extras.

Na Itália a taxa de serviço quase sempre vem na conta e é obrigatório pagar. Geralmente é 10%, mas já vi até com 18%. Gorjeta é opcional, em torno de 10%, e não fica aquele climão (Tipo nos EUA) quando você não dá. E ainda existe o polêmico COPERTO, uma cobrança para utilização de talheres ou espaço físico. Quase todo restaurante cobra e o valor médio varia de acordo com o padrão do local, geralmente entre 1 e 5 Euros. Na última viagem, comprei um café e me sentei numa cadeira na calçada. De repente chega a cobrança de 2 Euros, mais caro do que o café.

  • Gorjeta – 10% a 15% – Opcional
  • Serviço – 10% a 20% – Obrigatório
  • Coperto – 1 a 5 Euros, obrigatório se utilizar mesa e talheres

9. É tudo lotado, mas você pode furar algumas filas

É normal encontrar filas e multidões nos grandes pontos turísticos da Itália, sobretudo no verão. Lugares como a Fontana de Trevi, o Coliseo, a Galeria da Academia e Pompeia, atraem milhares de pessoas por dia. Alguns locais são gratuitos e abertos ao público. Outros, cobram entrada. Mas geralmente há diferentes tipos de ingresso:

  • Ingresso comum
  • Ingresso fura-fila

O ingresso comum é sempre vendido nas bilheterias, sendo necessários minutos preciosos na fila. Às vezes até horas. Mas o ingresso fura-fila, em muitos casos, é possível comprar pela internet, em sites como Get Your Guide, que também reúne prestadores de serviços como transporte e excursões.

10. Cantadas – Mulheres, essa é pra vocês

Os italianos ainda vivem no século passado nos quesitos machismo e assédio. Mulheres que viajam sozinhas (leia-se sem um homem ao lado) são diariamente abordadas nas ruas. Eles chegam a se ajoelhar para exaltar a beleza da transeunte. Os mais contidos apenas encaram e soltam o clássico Ciao, Bella! Claro que não são todos, mas é um número considerável de assediadores soltos pelas ruas.

Gostou das dicas de viagem para a Itália?

Se tiver qualquer dúvida ou buscar dicas extras, como roteiros, lugares para se hospedar, o que vale a pena conhecer, basta mandar sua pergunta. Eu mesmo respondo, sempre o mais rápido possível. Vai ser um prazer ajudar você a planejar sua primeira viagem para a Itália.

Arrivederci!

Viajar com tudo reservado é bem melhor
  • Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
  • Real Seguros: compare preços de seguro viagem
  • RentCars: aluguel de carro pelo menor preço em dezenas de países
  • Get Your Guide: ingressos e tours para atrações no mundo inteiro

Descontos para economizar na viagem (e antes dela)

  • Utilize o cupom BUENASDICAS10 na EasySim4U e tenha  10% de desconto  em chip internacional
  • Utilize o cupom BUENASDICAS5 na Seguro Promo e tenha   5% de desconto  em seguro viagem
Seguro viagem america do sul 300x250

Criador e principal editor do Buenas Dicas, o blog do viajante inteligente (que é você 😄). Siga nossas redes sociais e para dúvidas, propostas e parcerias, veja nosso contato.

3 Comments

  1. Reserva Agora 300x250
  2. Olá!!

    Vou viajar com uma amiga para Europa em outubro e vamos ficar 4 dias em Roma! Conheci seu blog hoje e estou amando as dicas!!

    Vamos ficar hospedadas perto da Termini. Você teria alguma sugestão de roteiro para esse dias? Considerando que é nossa primeira viagem a Roma :D

    Conteúdo show!
    Parabéns!

    • Nivaldo responder

      Oi Evelyn! Que bom que está gostando. Escolheu bem, bairro econômico e bem localizado, recomendei ele nas dicas de hospedagem em Roma.

      Nossa, muitas sugestões. Inclusive tenho um roteiro pronto, que vou publicar semana que vem, dia 16. Mas já te adianto algumas coisas. Pra começar, a melhor coisa é fazer uma caminhada que vai do Parque Vila Borghese até o Vaticano, passando por lugares como a Piazza del Popolo, Fontana di Trevi, Piazza Spagna, Piazza Navona e Castelo de Sant’Angelo.

      Consegue um tempo para ir em Nápoles? To promovendo tanto a cidade que acho que mereço um pagamento da prefeitura, haha. Mas é porque vale a pena mesmo. Três razões básicas:

      A melhor pizza do mundo – Ranking de melhores pizzarias de Nápoles
      Muito barato – De hospedagem a comida, Nápoles é a grande cidade mais barata da Itália
      Localização – De lá você pode fazer bate e volta para Capri, Pompeia e vilas da Costa Amalfitana

      E além disso, a cidade é incrível, tem um ar de decadência (e cheiro de pizza) e belos palácios. Além de ser animada. Aliás, recomendo muito esse hostel que me hospedei lá.

      Qualquer dúvida, só perguntar.

      • Showw!

        Dessa vez vai ficar muito corrido ($$) pra ir em Nápoles… masa com certeza vou numa próxima!
        Obrigada pelas dicas! :D

Comentários