Um roteiro de 6 a 10 dias na Colômbia é o suficiente para conhecer o que existe de melhor em Cartagena e San Andrés, com direito a muitas praias, passeios de barco pelo Caribe, gastronomia, museus e outros pontos turísticos. Quanto mais tempo, mais calma para explorar cada lugar.

Montei o roteiro de forma que se adapta a viagens de 6, 7, 8, 9 ou 10 dias na Colômbia. Se fizer tudo, terá ocupação nos 10 dias. Se tiver menos tempo, basta retirar atividades não essenciais, que marquei no texto com  [opcional] . Assim você corta o que não interessar, e vai reduzindo seu roteiro na Colômbia para o mínimo de 6 dias. O que vai sair muito mais barato.

→ 15 dicas de viagem para a Colômbia

A versão mais longa do roteio, com 9 e 10 dias, é pra quem vai fazer tudo e ainda quer conhecer Providencia. Indico Providencia apenas para aficcionados por praia, porque esse extra vai aumentar muito o preço da viagem. E chegar lá também é um aventura, de teco-teco ou barco turbulento.

Por onde começar o roteiro pela Colômbia

O ideal é começar a viagem por Cartagena. Os motivos para isso têm a ver com as praias, os gastos e o câmbio. Explicando em detalhes:

Cartagena tem lindas praias, mas chegar nelas é caro e sempre fica aquele gostinho de quero mais. Por outro lado, San Andrés é um destino essencialmente praiano. Então, se você começar por San Andrés, quando chegar em Cartagena pode não ter mais pique para enfrentar horas de barco até uma praia.

Além disso, os passeios até as Islas del Rosario não saem por menos de R$ 150 por pessoa. Pra quem vem de um lugar como San Andrés, onde as lindas praias são grátis, vai ser chato pagar isso. Então, a dica é começar pelo destino mais caro primeiro, e sair de lá ainda com vontade de curtir as praias do Caribe.

Isolada no meio do Caribe, San Andrés dorme cedo e tem um comércio que fecha longas horas para o almoço. E fica quase tudo concentrado num único lugar da ilha. Então, se chegar lá primeiro e precisar comprar, por exemplo, um adaptador de tomada, pode ser complicado. Assim como para encontrar casas de câmbio fora do aeroporto. E a cotação de Real para Pesos Colombianos é bem pior do que em Cartagena. Resumindo, comece seu roteiro por Cartagena.

Nosso roteiro de 10 dias na Colômbia

Se ainda não comprou as passagens, recomendo olhar primeiro em sites de comparação de preços, como Decolar e Skyscanner. Eu comprei pela Copa Airlines, com conexão no Panamá e chegada em Cartagena. Os trechos internos, de ida e volta de San Andrés, comprei pela Viva Colombia, que costuma ter as passagens mais baratas.

La Piscinita, segunda melhor para no passeio ao redor de San Andrés

 

Dia 1. Chegada em Cartagena

Desembarque e pegue um táxi na porta do aeroporto. Tem uber em Cartagena, mas táxi é mais barato e tem muito mais carros circulando. Mas eles só aceitam dinheiro. Então é importante ter trocado alguns Reais por Pesos Colombianos no aeroporto. A corrida até a Cidade Amuralhada, que é o melhor lugar para se hospedar em Cartagena, custa menos de R$ 20.

Aproveite esse dia da chegada para percorrer as ruas de Cartagena e fotografar a bela arquitetura dos casarões preservados. Para se refrescar, aproveite as sorveterias e cafés, No Juan Valdez (tipo o Starbucks colombiano), tem um “affogato” (café com sorvete) muito bom. Se chegar a tempo, por volta de 17h vá assistir ao pôr-do-sol em cima da muralha. E já pegue vários panfletos para estudar quais passeios pretende fazer nos próximos dias.

(Aqui tem mais dicas de Cartagena)

 

Dia 2. Passeio nas Islas Rosario

Praia no Gente de Mar, na Isla Grande das Islas Rosario

Eu gosto muito de praia e recomendo já começar a viagem com o pé na porta: direto nas praias mais bonitas de Cartagena. Elas ficam nas Islas del Rosario, um pequeno arquipélago a cerca de 1 hora de barco de Cartagena, onde estão muitas praias particulares, em pequenas pousadas que se intitulam “resorts”. Exagero delas, pois as estruturas são todas simples em comparação a resorts de verdade.

Mas o visual não é exagero. Ali o mar do Caribe ganha todas aquelas cores inacreditáveis, embora algumas praias não tenham areia e a estrutura não valha a pena. Por isso é importante escolher a praia certa para passar o dia, para não se frustrar. Eu escolhi o Gente de Mar e gostei muito. O passeio para lá é um pouco mais caro que para os concorrentes, mas vale cada centavo.

Tem gente que vai conhecer diferentes praias nas Islas Rosario. Acho que isso vale pra quem viaja somente para Cartagena. Como nosso roteiro ainda tem San Andrés, com praias ainda mais bonitas, não vale a pena gastar tanto tempo e dinheiro com isso. Vá somente na melhor.

(Aqui tem mais dicas de Cartagena)

 

Dia 3. Castelo San Felipe de Barajas e Bocagrande [opcional] 

No terceiro dia de viagem, é hora de explorar a cidade e conhecer pontos turísticos. Há quem recomende fazer esse passeio de “city tour”, num ônibus que passa pelas principais atrações. Eu tenho pânico dessas coisas, sempre tenho vontade de sair correndo dessa galera de excursão, então recomendo fazer tudo por conta própria, mesmo que saia um pouco mais caro. Mas você faz tudo no seu tempo e pode conhecer lugar menos óbvios.

Primeiro, peguei um táxi até o Castelo de San Felipe de Barajas. Ele fica perto da cidade amuralhada, mas o clima quente e úmido de Cartagena torna uma caminhada até lá algo insuportável. A corrida é barato. Como expliquei no post sobre o castelo, evite as ciladas de vendedores na entrada. É preferível ir no início da manhã, antes do sol assassino, porque o passeio no castelo é quase todo a céu aberto e tem muitas rampas e escadas. Em 1 a 2 horas dá pra ver tudo.

Pegue outro táxi, agora rumo ao bairro de Bocagrande. Ele é o bairro mais rico de Cartagena, e o único lugar da cidade onde há uma praia urbana decente, embora de águas marrons e lotada de vendedores chatos. De qualquer forma, vale para fotos e para quem é viciado em praia. Ainda no bairro, recomendo almoçar no Shopping Plaza Bocagrande, que tem bons restaurantes típicos e baratos na praça de alimentação.

Acho importante visitar Bocagrande pra ver o lado moderno de Cartagena. Aqui estão alguns dos prédios mais altos da Colômbia e os hotéis das maiores redes, como Hyatt e Hilton. Atravesse a península e veja o mar do outro lado, onde um calçadão acompanha a baía de Cartagena, com vista para o porto. Ótimo lugar para fotos.

 

Dia 4. Dia livre em Cartagena ou passeio [opcional] 

Viajar com pressa é terrível. Odeio ficar batendo ponto em atração turística, sem me deixar levar a ideias que surgem no caminho. Por isso, no mínimo um dia livre é essencial em Cartagena. Nele dá pra fazer muitas coisas. Afinal, é férias, ninguém precisa acordar cedo todo dia.

A primeira sugestão é curtir sua pousada. Principalmente se escolheu algum dos Melhores Hotéis com Piscina de Cartagena. Nem precisa ser uma piscina imensa. O negócio é ter sombra e água fresca para sobreviver ao calor desumano da cidade. Entre um mergulho e outro, vá conhecer as livrarias, os cafés e as praças. No fim da tarde, na “golden hour”, quando o sol deixa tudo mais bonito, a dica é fotografar as janelas, portas e fachadas de Cartagena.

Rua do Centro de Cartagena, dentro da cidade amuralhada

A segunda sugestão é para os ratos de passeio, para quem quer conhecer o máximo de lugares. De Cartagena, saem excursões bate e volta para lugares próximos, como Santa Marta, Barranquilla e para o Vulcão Totumo, onde tem as piscinas para banho de lama.

Tour Vulcão de Lodo El Totumo: consultei preços e horários em algumas agências de turismo em Cartagena. Em média, o passeio custa 70 mil COP, com saída às 9h e retorno às 15h30.

À noite, para se despedir de Cartagena, não faltam opções de pubs, restaurantes típicos e lugares exóticos como o KGB Bar, de temática soviética, e o Cuba 1940, onde a salsa ao vivo e a decoração são uma viagem para a Cuba do passado.

 

Dia 5. Voo para San Andrés

Antes de tudo, espero que você tenha lido estas 15 dicas de viagem para a Colômbia, onde falo sobre a salgada taxa para entrar em San Andrés.  Espero também que tenha feito todo o câmbio necessário, para não precisar fazer trocar injustas na ilha. Então beleza.

Chegando em San Andrés, o táxi do aeroporto é bem mais caro do que em Cartagena, mesmo para quem escolheu uma pousada no melhor lugar da ilha. Nessa primeiro dia, a dica é fazer um passeio a pé pelo centro de North End, onde estão as lojas livres de impostos, a praia de Spratt Bight e o maior número de restaurantes.

É bom também chegar com uma noção de passeios. No Cooperativa de Turismo você pode verificar preços e horários de atividades para fazer no dia seguinte. Não caia na bobeira de reservar passeios e carros com agências de turismo. Vai gastar muito mais se fizer isso.

 

Dia 6. Volta na Ilha de San Andrés

Como expliquei no post O que fazer em San Andrés, a volta na ilha é o que existe de mais legal por lá. Você alugar um carrinho de golfe por menos de R$ 200 e tem o dia inteiro (até 18h) para dar uma volta completa na ilha. Assim, numa taca só, dá pra conhecer os principais pontos turísticos de San Andrés.

Você pode ler opiniões diferentes por aí, mas a minha percepção foi a seguinte: West View é a melhor parada e não tem nada melhor do quem pular no trampolim. A tal caminhada submarina é só pra arrancar dinheiro de turista. La Piscinita é uma versão piorada de West View e parece que o pessoal lá preferia estar em casa, longe dos turistas. O Hoyo Soplador é só um lugar besta pra movimentar a volta na ilha, que não deveria ser ponto turístico. E Rock Cay, na Playa Zarpada, vale mais pela caminhada do que pela própria ilha.

Com muitas atrações inventadas, a volta na ilha vale mesmo é pelo conjunto da obra. Dirigir naquela estrada paradisíaca, fazendo paradas para nadar e mergulhar, é a melhor experiência que tive em San Andrés. Vale cada centavo.

 

Dia 7. Isla Acuario e Johnny Cay

Apesar de ter lindas praias na própria ilha principal, como a Spratt Bight, é nos “cayos” que estão as águas mais cristalinas de San Andrés. Esses lugares são pequenas ilhas, protegidas por corais, praticamente sem ondas e sem algas. Os cayos mais próximos a San Andrés são Isla Acuario e Johnny Cay. Por isso mesmo são também os mais movimentados. Em meses de férias e alta temporada, como janeiro, dá tanta gente que parece o piscinão de ramos. Mas, em dias “normais”, são lugares tranquilos. Fui num sábado e estavam até vazios.

Isla Acuario: tem pequenas faixas de areia e piscinas naturais de pouca profundidade, ideais para observação de peixes e corais. Leve óculos de mergulho e sapatilha de borracha para não furar o pé nos ouriços. Se não levar, lá se vende e se aluga de um tudo.

Johnny Cay: aqui o negócio é praia mesmo, e ela é linda, nos famosos 7 tons de azul. Como fica complicado levar cadeira e guarda-sol, os comerciantes arrancam o couro dos turistas com aluguel de equipamento de praia. Pra evitar isso, melhor levar canga e chapéu.

Sai mais barato comprar o passeio para as duas ilhotas num pacote só. Custa entre 20 mil e 30 mil Pesos Colombianos (menos de R$ 40). Os embarques mais comuns são na Praia de Spartt Bight (se comprar no cooperativa) e na Marina, onde custa um pouco mais.

 

Dia 8. Providencia [opcional] 

Se faz questão de praias ainda mais paradisíacas e dinheiro não é problema, vá para Providencia, pequena ilha que faz parte do Arquipélago de San Andrés, Providencia y Santa Catalina. É possível ir por conta própria, comprando passagem de avião ou catamarã, ou dá pra comprar pacote, que inclui passagem aérea e uma noite de hospedagem em Providencia.

Como chegar em Providencia

Catamarã: a viagem de ida e volta tem preço médio de 320 mil COP, o que dá mais ou menos R$ 430. E duração média da viagem é de 3 horas e costuma ser turbulenta por causa das ondas. Dá uma olhada nesse relato aqui.

Avião: somente aviões pequenos fazem o trecho entre as duas ilhas, pelas empresas Searca e Satena. O tempo de viagem é de 30 minutos em média. Pesquisando agora no site da Satena, encontrei passagens por 279 mil COP o trecho, ou seja, R$ 374 na cotação de hoje. Ida e volta, sairia por R$ 748. Recomendo comprar com antecedência, pois costuma esgotar.

 

Dia 9. Volta para San Andrés [opcional] 

Novamente na maior ilha do arquipélago, aproveite para se despedir do Caribe, com direito a pôr-do-sol e jantar. Pra quem tem receio de passar mal com frutos do mar (tipo eu), é hora de experimentar. Assim, mesmo se ficar estragado, no máximo vai ter um péssimo voo pra casa, em vez de arruinar a viagem inteira, hahaha.

 

Dia 10. Volta ao Brasil

Droga, acabou a viagem. Hora de conferir passaporte e outros documentos e preparar as malas. No aeroporto, aproveite para gastar seus pesos colombianos no freeshop, porque eles não valem nada no Brasil. Tem muitas lojinhas no aeroporto de San Andrés e mais ainda em Cartagena, se ficar conexão por lá.

Veja nossas 15 dicas de viagem para a Colômbia.

 

Resumo do nosso roteiro de 6 a 10 dias na Colômbia

Dia 1. Chegada em Cartagena

Dia 2. Passeio para Islas Rosário (Sugestão: Gente de Mar)

Dia 3. Castelo San Felipe de Barajas e Bocagrande – Dia Opcional

Dia 4. Livre no Centro Histórico de Cartagena ou passeio – Dia Opcional

Dia 5. Voo para San Andrés

Dia 6. Volta na ilha em carrinho de Golfe (ou ônibus, que é mais barato)

Dia 7. Johnny Cay e Isla Acuario

Dia 8. Ida a Providencia

Dia 9. Volta de Providencia

Dia 10. Retorno ao Brasil

 

Para planejar sua viagem:  
  1. Booking: descontos exclusivos em hotéis e reservas com cancelamento grátis
  2. Real Seguros: compare preços de seguro viagem
  3. RentCars: aluguel de carro pelo menor preço nas principais locadoras do mundo
Viaje com descontos:
  1. 100 reais de desconto no Airbnb
  2. 5% ou mais de desconto em Seguro Viagem
Autor

Criador e editor-chefe do Buenas Dicas. Contato: nivaldo@buenasdicas.com

16 Comentários

  1. Olá, Nivaldo!

    Gostei bastante do seu roteiro e dicas. Estou planejando em fazer essa viagem em janeiro. Você voltou de San Andres direto para o Brasil? Estou perguntando porque li em algum lugar que as passagens compradas na viva Colômbia para San Andres deverão ser de ida e volta, ou seja, teria que voltar a Cartagena. É isso mesmo? Obrigada

    • Nivaldo Responda

      Oi Lídia. Pela Viva Colombia, eu fui de Cartagena para San Andrés, San Andrés para Bogotá e de Bogotá para Cartagena. Aí de lá fui de Copa para o Panamá e depois para o Brasil.

      Não faz sentido isso de ter que comprar ida e volta. Agora mesmo no site da Viva, estou vendo diversos voos apenas com o trecho de ida de Cartagena para San Andrés. O contrário também é possível. E são voos relativamente baratos para apenas 1 trecho, pois isso geralmente encarece.

  2. Olá, Nivaldo.
    Estou pretendendo viajar para Cartagena e San Andres no início de dezembro, porém li comentários sobre esta época o tempo ser ruim e cheio de gente, e não quero isso rs.
    Gostaria de saber sua opinião e se voce teria sugestão de outro roteiro que nesta época valeria mais a pena, com um budget de no máximo R$ 4.000.

    Seu blog é ótimo, é bem dificil achar blogs atuais, diretos e com uma explicação bem concisa. Parabéns!

    • Nivaldo Responda

      Olá, Camila. Que bom que o Buenas Dicas está ajudando 😊.

      Pra dezembro, não tem jeito. É alta temporada nos principais destinos turísticos do mundo, mesmo com o clima intenso em boa parte deles, afinal é início de verão no hemisfério sul (calor pra danar e muita chuva em vários lugares) e início de inverno no hemisfério norte (quando acontecem as maiores nevascas).

      De qualquer forma, o clima é imprevisível. Mesmo em dezembro, é possível fazer lindos dias de sol em San Andrés. Por exemplo, no post Quando ir para San Andrés, nossa leitora comentou assim: “fui no final de novembro pra dezembro de 2017, eu dei sorte de não pegar chuva, mas quem foi antes de mim e pegou quase todos os dias de chuva! Não recomendo ir em dezembro”.

      Sobre a quantidade de gente, a mesma coisa. A última semana de dezembro e a primeira de janeiro são as mais lotadas em lugares turísticos do mundo, afinal é recesso generalizado e início de férias escolares. No início de dezembro a lotação tende a ser menor.

      Outra dica de destino

      Aqui na América do Sul, um lugar que fui em dezembro, justamente na última semana do mês, foi Pucón, no sul do Chile. Diferente do Brasil, o verão no Chile é seco. Passei 10 dias lá e não peguei nenhuma chuva. E o calor era suportável até mesmo em Santiago. Em Pucón, fazia em média 10 ºC. Perfeito para andar na cidade e fazer a subida ao vulcão Villarrica.

      Sobre preços lá

      Infelizmente o Chile vem se tornando um destino cada vez mais caro para brasileiros, especialmente Santiago e o Atacama. O sul é um pouco mais barato, então ainda indico para quem não pretende gastar tanto.

      Destino em dezembro no Brasil

      Aqui no Brasil, dezembro é o último mês de tempo bom na parte alta do nordeste, onde está, por exemplo, Jericoacoara. Lá fica caríssimo no reveillon, mas antes é razoável, preços na média de São Paulo. Clima perfeito, praias lindas e passagem em média bem mais em conta que para Colômbia ou Chile.

  3. Olá!! Gostei muito das dicas. Fiquei curiosa em saber sobre pacotes para Providencia. Vou em janeiro mas no site da Satana já não tem mais voos disponíveis, e não gostaria de enfrentar o translado de barco. Você teria algum contato para indicar?

    Obrigada!!

    • Nivaldo Responda

      Oi Danielle! Além da Satana, outra companhia que voa para Providencia é a Searca. Olha se eles ainda têm vaga. Acabei de receber este Relato de Viagem Para San Andrés de uma leitora, e ela foi pela Searca, comprando a passagem com um guia de San Andrés (que ela citou o nome, mas não deu o contato. Mas no início do texto ela linka para o Facebook de um outro guia, o Diego Olsen, que talvez possa te ajudar, caso não consiga comprar por conta própria, afinal o site parece que não faz venda de passagem).

  4. Bom post! Me amarrei no roteiro
    Estou pesquisando ainda pretendo ir na metade de janeiro/2019 mas a passagem está salgada rs

    • Nivaldo Responda

      Valeu, Marcelo! Continua de olho, que direto rola promoção pra Colômbia. Mas em janeiro é complicado, porque é alta temporada em Cartagena e San Andrés. Torcendo pra baixar o preço!

  5. Olá,

    Somente vim comentar para agredecer suas dicas! Realmente é difícil hoje em dia posts atuais. Estou indo para a Colombia semana que vem e seus posts me ajudaram muito. Obrigada :)

    • Nivaldo Responda

      Obrigado, Iria! É um prazer receber elogios assim! Grande motivação para continuar escrevendo. E qualquer dúvida que tiver sobre seu roteiro na Colômbia, é só perguntar. Boa viagem!

  6. Oie, tudo bem?
    Adorei o post e as fotos, e curti que o post é atual. A maioria dos roteiros por aí é antigo.
    Queria te perguntar: San Andrés é mesmo tão lotada assim? Não sou muito fã de muvuca, e vejo muitos blogs criticando isso na ilha. Pretendo viajar em março/2019.
    Obrigada!
    Beijos,

    Priih

    • Nivaldo Responda

      Oi Pri, tudo ótimo! Que bom que gostou do post e das fotos. Tô tentando melhorar nessa coisas de fotografar. ;)

      Então, eu também li algumas críticas em grupos do facebook, de gente falando que não tinha como andar direito na praia e que a Isla Acuário tava lotada dentro e fora do mar… estranhei isso, porque foi minha segunda vez em San Andrés e nunca tive esse problema. As duas viagens foram em abril.

      Agora em 2018, se não me engano, cheguei lá dia 10 de abril. Foi tudo perfeito. A praia principal (Spratt Bight) tava tranquila, até no trecho mais central tinha um tanto apenas razoável de gente, beeeem menos do que em finais de semana em praias brasileiras tipo Ipanema e Guarujá. Parecia até uma cidade do interior (que é mesmo, haha).

      Na Isla Acuário, que é onde mais tem reclamação, também foi tranquilo, e olha que fui num sábado. Meu barco chegou por volta de 9h e comecei a nadar observando peixes… as partes mais rasas estavam cheias de crianças, gente dando comida pra peixe e tal, mas consegui me isolar sem precisar ir no fundo.

      Depois de ler muitas opiniões e artigos escrevi o post Melhor Época em San Andrés, lá tem mais detalhes. Mas, já adiantando aqui, acho que março é um dos melhores meses. Tempo seco, sol e média temporada, diferente de dezembro, quando tende a ser nublado e lotado, principalmente na semana do Réveillon.

      Carnaval em San Andrés

      Em 2019 o Carnaval cai na primeira semana de março. Não sei como fica o movimento na ilha. Chuto que deve ser acima do normal, afinal o Caribe está cercado de países católicos.

      Espero ter ajudado.

      Ahhh, aproveita e olha também os posts O que fazer em San Andrés e Onde se hospedar em San Andrés, que tão cheios de dicas sinceras.

      ;)

      • Oi, Nivaldo!
        Muito obrigada por responder!
        Fiquei muuuito mais tranquila depois do seu relato! <3
        Agora sim, estou certa de que vou curtir cada instante! Até favoritei os links aqui pra não perder nada. \o/
        Beijos,

        Priscilla

        • Nivaldo Responda

          Olá de novo! Que bom que favoritou, em breve volto a falar de San Andrés e Colômbia. Aproveita e vá também a Cartagena. Vale a pena passar pelo menos dois dias lá. Olha aqui minhas Dicas de Cartagena.

          Até mais!

Escreva seu comentário